🔮 Melhor do que Buffett? Nosso Preço-Justo achou essa joia com +42% 5 meses antes deleLibere o preço-justo

Ações Americanas Tropeçam no Fim de Novembro, Mas Desempenho no Ano Segue Forte

Publicado 01.12.2021, 16:23
NDX
-
US500
-
DJI
-
GM
-
MSFT
-
F
-
DIS
-
MRK
-
DISH
-
GOOGL
-
QCOM
-
AAPL
-
AMZN
-
COST
-
ATVI
-
XLNX
-
NVDA
-
GPS
-
IBM
-
JNJ
-
GE
-
AMD
-
KC
-
CL
-
CT
-
NQM24
-
TSLA
-
DLTR
-
IXIC
-
US10YT=X
-
META
-
MID
-
PENN
-
NCLH
-
GOOG
-
SP600
-
TOSYY
-
BTC/USD
-
IPO
-
AMZO34
-
DISB34
-
FDMO34
-
GEOO34
-
JNJB34
-
MSFT34
-
M1TA34
-
IBMB34
-
QCOM34
-
COWC34
-
GOGL34
-
GPSI34
-
GMCO34
-
TSLA34
-
MRNA
-
NVDC34
-
ATVI34
-
N1CL34
-
D1IS34
-
X1LN34
-
LCID
-
M1RN34
-
KD
-
RIVN
-

Os investidores estavam otimistas quando o mês de novembro começou. Afinal, outubro havia produzido os melhores retornos mensais em anos.

Os juros ainda estavam baixos, mesmo com o Federal Reserve começando a alertar que já era hora de se preparar para uma “normalização” das taxas, uma forma polida de dizer que os juros subiriam no próximo ano. A ocupação e os salários estavam aumentando, em paralelo com a queda dos pedidos de seguro-desemprego.

O entusiasmo aumentava, à medida que os principais índices rompiam novas máximas. O Nasdaq 100 mostrava valorização de 4,6% até o dia 19 de novembro.

Mas as preocupações com a inflação na segunda quinzena do mês começaram a pesar sobre as ações, na esteira da alta dos preços da gasolina, dos alimentos e dos custos das famílias. De repente, na última sexta-feira, saíram notícias de que uma nova variante da Covid-19 poderia ser resistente às atuais vacinas, tirando o chão do mercado.

Preocupações com a ômicron; aperto monetário no horizonte

As ações voltaram a cair novamente na terça-feira, último pregão do mês.

O humor azedou na segunda-feira depois que a CEO da Moderna (NASDAQ:MRNA) (SA:M1RN34), Stéphane Bancel, disse ao Financial Times que os imunizantes disponíveis poderiam não ser tão eficientes contra a variante ômicron quanto eram com as outras cepas. Os investidores rapidamente voltaram a assumir posições de aversão ao risco após o breve alívio dos temores nas negociações de segunda-feira.

Mas o maior vetor negativo do mercado na terça-feira foram as explícitas declarações do presidente do banco central americano, Jerome Powell, perante o Comitê Bancário do Senado, no sentido de que o Fed estava disposto a frear a inflação nos EUA, possivelmente elevando os juros mais cedo do que se previa.

O resultado foram as fortes vendas realizadas na sessão de ontem. Quando os mercados fecharam no último pregão de novembro, as vendas haviam varrido os ganhos mensais do Dow Jones Industrial e S&P 500, além de reduzir a valorização do Nasdaq Composite e Nasdaq 100.

Ainda assim, as ações americanas devem encerrar o ano de 2021 com forte valorização, a não ser que haja um desastre em dezembro. O S&P 500 acumula alta de 21,6% no ano. O Dow sobe 12,7%, e o Nasdaq, 20,6%. O Nasdaq 100 tem alta de 25,2%.

A pressão de venda desde sexta-feira é reflexo dos seguintes fatores desconhecidos:

1. Qual é o perigo concreto representado pela nova variante? As atuais vacinas conseguem oferecer proteção suficiente?

O nervosismo dos investidores ficou patente nas ações de cruzeiros, linhas aéreas e do setor de viagens.

DIS 300 Min.

Até mesmo a gigante do entretenimento Disney (NYSE:DIS) (SA:DISB34)sentiu o golpe. As ações da empresa encerraram o pregão de terça-feira em queda de 2%, a US$144,90, depois de atingirem a mínima de 52 semanas a US$143,11.

2. Quando exatamente o Fed vai agir para conter a inflação e como isso será feito?

A resposta curta para a questão envolvendo o Bacen americano: Powell disse, em audiência no Senado, na terça-feira, que a economia dos EUA poderia estar aquecida demais, o que acabou chocando os mercados. Dessa forma, o Fed pretende, primeiro, parar de comprar títulos para ajudar a dar suporte à economia. O processo, conhecido como “tapering", deve ser encerrado na próxima primavera local.

Assim que o Fed interromper a aquisição de títulos, será iniciada a alta dos juros. Não se sabe quanto tempo depois e qual seria o novo patamar de juros. Wall Street não considera que haverá grandes elevações de juros, porque isso poderia colocar tudo a perder.

Aliás, o retorno da nota referencial de 10 anos do Tesouro americano fechou a 1,477% na terça-feira, bem longe do pico de 1,766% registrado em 30 de março.

Os comentários bastante cautelosos de Powell não deveriam ter causado surpresa. Ele disse, depois da reunião de política monetária no início de novembro, que o Fed pararia de injetar bilhões de dólares por mês na economia.

Após o depoimento de Powell na terça-feira, era difícil encontrar uma ação em alta. No dia, quem teve o melhor desempenho no Dow foi a Apple (NASDAQ:AAPL). A Merck (NYSE:MRK) teve leve valorização. Mas as ações de energia e serviços financeiros foram os piores setores, com os desempenhos mais fracos do dia.

As ações de energia cederam por causa do derretimento do petróleo. De fato, o barril de West Texas Intermediate caiu 21%, para US$66,18, durante o mês, surpreendendo os operadores que já especulavam sobre sua disparada para US$90 ou mais. Mesmo assim, segundo relatórios setoriais, o galão de gasolina nos EUA continuou cotado a US$3,39.

Diversas outras commodities também registraram queda, como o algodão, que se desvalorizou 7,3%. Mas o café saltou 13,9%, para US$2,324 por libra-peso.

Até mesmo o bitcoin foi golpeado pela liquidação de novembro, tocando o pico a US$68.925 em 10 de novembro e, durante o resto do mês, baixando 17,1%, para US$57.144.

BTC/USD 300 Min.

Mas não chore pelos criptoativos, já que o bitcoin acumula alta de 97,3% no ano.

Semicondutores, tecnologia e construção foram os setores líderes. Entre os que ficaram para trás estão energia, aeroespacial, commodities e biotecnologia.

Empresas aumentam separações de unidades de negócios e IPOs

Outro evento inesperado durante o mês de novembro: quatro megaempresas anunciaram que iriam separar unidades de negócio ou concluíram iniciativas nesse sentido. A IBM (NYSE:IBM) (SA:IBMB34)concluiu a separação da Kyndryl (NYSE:KD), enquanto Toshiba (OTC:TOSYY), Johnson & Johnson (NYSE:JNJ) (SA:JNJB34) e General Electric (NYSE:GE) (SA:GEOO34)também anunciaram planos similares. A ideia é que a separação das empresas destravará sua geração de valor no futuro.

Nenhuma das quatro foi bem recompensada por suas decisões. As ações da IBM e KD caíram 6,4% e 48%, respectivamente. As ações da General Electric se desvalorizaram 9,4%. Os papéis da JNJ caíram 4,3%; sendo que a separação das suas unidades só ocorrerá após 2023. As ações da Toshiba nos EUA sofreram queda de 7,9%.

O mercado de IPOs também foi bastante ativo. Renaissance Capital afirma que 388 empresas abriram seu capital através de lançamentos tradicionais de ações. Outras 558 o fizeram através de empresas com propósito específico de aquisição (SPACs). Ambos os números são recordes. Dito isso, muitos IPOs acabaram não dando bons resultados após a estreia das novas empresas nas bolsas.

O índice Renaissance Capital IPO caiu 5,6% em novembro, após um ganho de 6,6% em outubro.

IPO vs SPX 1A

Gráfico: cortesia de Renaissance Capital

No ano, o índice acumula queda de 7,67%. A Renaissance também patrocina um ETF, o Renaissance IPO ETF (NYSE:IPO), que compra ações de empresas que abriram seu capital. O ETF teve queda de 8,1% em novembro, após se valorizar 6,6% em outubro. No ano, o ETF acumula queda de 2,3%.

Houve uma grande exceção: a fabricante de picapes elétricas Rivian Automotive (NASDAQ:RIVN) fez seu IPO em 9 de novembro, a US$78, e terminou o mês com uma alta de 55%, a US$119,76.

RIVN 300 Min

Sua capitalização de mercado de US$105,8 bilhões é maior que a da General Motors (NYSE:GM) (SA:GMCO34) e Ford (NYSE:F (SA:FDMO34)), muito embora tenha uma produção mínima e precise realizar investimentos pesados para construir fábricas. Ainda assim, suas ações fecharam o mês com uma alta de 53%.

Rival Lucid Group (NASDAQ:LCID), que busca vender carros elétricos de luxo, subiu 42% em novembro, após uma alta de 43% em outubro. A empresa abriu seu capital em julho através de uma fusão com uma SPAC. Desde então, seus papéis já dobraram de valor.

A seguir, apresentamos outros fatos importantes sobre a atividade dos mercados em novembro:

As ações de grande capitalização foram as que impulsionaram o mercado. A fabricante de chips NVIDIA (NASDAQ:NVDA) (SA:NVDC34), importante fornecedora de soluções de infraestrutura para criptomoedas, adicionou 27,8% aos ganhos de 23,4% registrados em outubro. A Apple subiu 10,35%, após uma alta de 6% em outubro. Microsoft (NASDAQ:MSFT) (SA:MSFT34) valorizou-se 5,9%. Costco Wholesale (NASDAQ:COST) (SA:COWC34)subiu 9,7%.

Quem está no topo? Apple, mais uma vez. A fabricante do iPhone/iPad retomou o título de ação mais valiosa dos EUA da Microsoft, que havia assumido o primeiro posto em 29 de outubro. O valor de mercado da Apple atingiu US$2,629 trilhões. O da Microsoft era de US$2,527 trilhões. A Amazon (NASDAQ:AMZN) (SA:AMZO34), Alphabet (NASDAQ:GOOGL) (SA:GOGL34)e Tesla (NASDAQ:TSLA) (SA:TSLA34)t ambém têm capitalizações de mercado acima de US$1 trilhão. A Meta Platforms (NASDAQ:FB) (SA:FBOK34), controladora do Facebook, superou o nível de US$1 trilhão em 28 de junho, mas recuou para baixo dessa marca no dia seguinte.

Ações de menor capitalização foram pressionadas no fim do mês. Os índices de small caps S&P 600 e S&P Midcap 400 caíram 2,4% e 3,1%, respectivamente, no mês. Mas os declínios ocorreram após o índice de small caps se valorizar 6% no início do mês. O índice de empresas de média capitalização registrou alta de 4% em novembro, antes de recuar.

Sinais de estresse de mercado? O cálculo diário de máximas e mínimas de 52 semanas do Barchart.com estava negativo pela nona sessão consecutiva. A ação de terça-feira no mercado produziu 29 novas máximas de 673 novas mínimas.

Investidores ficaram atentos quando os índices ficaram muito caros. Os principais índices de referência – Dow, S&P 500, Nasdaq e Nasdaq 100 – recuavam sempre que seus indicadores de força relativa superavam 70, o que ocorreu diversas vezes na primeira quinzena de novembro. O IFR mede a força dos preços.

5 melhores ações do S&P 500 em novembro

  • Qualcomm (NASDAQ:QCOM) (SA:QCOM34) +35,72%
  • Advanced Micro Devices (NASDAQ:AMD) +31,72%
  • NVIDIA Corporation (NASDAQ:NVDA) +27,81%
  • Xilinx (NASDAQ:XLNX) (SA:X1LN34) +26,92%
  • Dollar Tree (NASDAQ:DLTR) +24,19%

5 piores ações do S&P 500 em novembro

  • Penn National Gaming (NASDAQ:PENN) -28,45%
  • Gap (NYSE:GPS) (SA:GPSI34) -27,15%
  • Activision Blizzard (NASDAQ:ATVI) (SA:ATVI34)) -25,05%
  • Norwegian Cruise Line Holdings (NYSE:NCLH) (SA:N1CL34)-24,14%
  • DISH Network (NASDAQ:DISH) (SA:D1IS34) -23,91%

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.