Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

As Ações da Apple Estão Rumando para os US$ 200?

Publicado 17.08.2022, 16:00
Atualizado 02.09.2020, 03:05
  • A Apple está a menos de 5% de sua máxima histórica após o último rali de dois meses
  • A empresa mais valiosa do mundo influencia significativamente o índice S&P 500 devido à sua capitalização de mercado de US$ 2,8 trilhões
  • A maior questão à espreita na mente dos investidores é se esse rali é sustentável em um cenário recessivo

As ações da Apple Inc (BVMF:AAPL34) (NASDAQ:AAPL) têm mostrado um impulso incrível nos últimos dois meses. Apesar do mercado de baixa deste ano, a empresa mais valiosa do mundo está atualmente pairando perto dos máximos de todos os tempos, depois de subir 35% em relação à baixa de junho.



A maior questão para os investidores agora é se esse rali é sustentável em meio às atuais condições amplas do mercado. A fabricante do iPhone influencia significativamente o S&P 500 index devido à sua capitalização de mercado de US$ 2,8 trilhões, tornando esse rali essencial para que o mercado continue sua jornada ascendente.

Uma combinação tóxica

Muitos riscos ainda podem atrapalhar a tendência de alta da Apple no curto prazo. A economia ainda está lutando em meio a inflação perto do mais alto em quatro décadas e taxas de juros crescentes, uma combinação tóxica que pode prejudicar a demanda por produtos e serviços da Apple.

Em sua mais recente divulgação de resultados, a receita e o lucro da Apple superaram por pouco as estimativas dos analistas, com as vendas do iPhone se mantendo acima do esperado.

No início deste ano, a empresa com sede em Cupertino, Califórnia, havia alertado que o terceiro trimestre poderia ser difícil, com problemas na cadeia de suprimentos reduzindo as vendas em US$ 4 bilhões a US$ 8 bilhões.

No entanto, como os ganhos exibidos, o dano foi significativamente menor, criando expectativas de que os produtos de hardware da empresa ainda estão em grande demanda.

Por outro lado, os fornecedores da Apple começaram a dar sinais de que a desaceleração da demanda pode estar se espalhando. A Micron Technology (BVMF:MUTC34)(NASDAQ:MU) alertou na semana passada que as vendas no trimestre atual devem ser mais fracas do que sua previsão anterior há menos de seis semanas. Isso seguiu projeções de receita decepcionantes da Qualcomm (BVMF:QCOM34)(NASDAQ:QCOM), Intel (BVMF:ITLC34)(NASDAQ:INTC) e Nvidia (BVMF:NVDC34)(NASDAQ:NVDA).

Além disso, as rígidas políticas de COVID da China ainda podem ser um obstáculo nos planos de crescimento da Apple se uma nova onda do vírus chegar no próximo inverno, sufocando as linhas de fornecimento da Apple.

Além desses riscos, as ações da Apple parecem caras após esse rali. Agora custa 27 vezes os lucros projetados para os próximos 12 meses, em comparação com uma média de 17 na última década. Essa avaliação será difícil de justificar se o mercado entrar em outra fase difícil no curto prazo.

Para esses potenciais ventos contrários, de acordo com vários modelos financeiros, como aqueles que avaliam empresas com base em múltiplos P/E ou P/S ou valores terminais, o valor justo médio da Apple no InvestingPro é de cerca de US$ 154, implicando um potencial negativo de 11,3%.

Valor justo da AAPL

Fonte: InvestingPro
As ações da Apple continuam sendo uma escolha sólida para investidores de longo prazo que devem adicionar esse nome ao portfólio quando a próxima queda chegar. Em uma nota recente aos clientes, Morgan Stanley fez um argumento convincente para possuir ações da Apple, prevendo que as ações poderiam em breve atingir a marca de US$ 200 com uma capitalização de mercado de US$ 3 trilhões.

De acordo com o banco de investimentos, o mercado ainda valoriza a fabricante do iPhone como uma empresa de hardware quando deveria usar uma abordagem baseada no “valor vitalício”. Esse modelo de valor vitalício pressupõe que os usuários da Apple gastarão US$ 2 por dia em produtos ou serviços da Apple, um valor já alcançado pelos proprietários de iPhones nos EUA.

Outro ponto forte que torna a Apple uma grande aposta a longo prazo é seu status de porto seguro e a capacidade de devolver grandes quantias de dinheiro durante uma possível recessão. Com cerca de US$ 200 bilhões em caixa, a Apple está em uma posição invejável para aumentar rapidamente seu programa de recompra de ações sempre que necessário, apoiando assim suas ações em tempos difíceis.

Resultado final

O grande movimento de alta da Apple nos últimos dois meses tornou suas ações caras, devido aos ventos contrários macroeconômicos e à incerteza da demanda. Dito isto, a Apple continua sendo uma ótima candidata para investidores de longo prazo que desejam possuir ações defensivas de grande capitalização para enfrentar uma possível recessão. O próximo mergulho pode ser o momento certo para fazer esse movimento.

Disclaimer: O autor possui ações da Apple.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.