Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
👀 Invista igual ao Warren Buffett e lucre +174.3% acima do badalado S&P 500 Aproveite desconto de 40%

Uma Estratégia Para Vencer o Mercado?

br.investing.com/analysis/uma-estrategia-para-vencer-o-mercado-200435621
Uma Estratégia Para Vencer o Mercado?
Por Carlos Heitor Campani, Ph.D., CNPI   |  12.06.2020 09:01
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
 
US500
+0,80%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
BVSP
+0,12%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
BBAS3
+0,10%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
BBDC4
+0,36%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
B3SA3
-3,20%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
ITUB4
+0,44%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Hoje dividirei com vocês algo que julgo bem interessante: uma estratégia de investimento em ações da bolsa que vem se mostrando robusta ao longo dos anos (analisei até 2007). A estratégia é bastante simples e conhecida por 1/n (leia-se: estratégia um sobre ene). Isto pois você pegará o montante destinado a investimentos em ações e dividirá este montante por cem, investindo, portanto, quantias iguais em cada um dos cem papéis constituintes do IBrX 100 (índice com as cem ações e units mais líquidos da B3 (SA:B3SA3)).

Tal estratégia é atrativa por sua simplicidade pois automatiza as duas decisões importantes na hora de formar a carteira: que ativos comporão a carteira e em quais proporções? Respostas: simplesmente todos os cem papéis do IBrX 100 entrarão na sua carteira e com a mesmíssima proporção financeira. E então você simplesmente esqueceria da sua carteira por um mês, quando então você voltaria para rebalanceá-la, ou seja, para comprar papéis que eventualmente tenham entrado no índice (e vender aqueles que saíram), bem como reajustar os montantes financeiros investidos em cada um deles para que tornassem a ser iguais. Por esse motivo, a chamarei de estratégia 1/n mensal.

Vamos ver como esta carteira estaria performando em 2020, se comparada aos dois principais índices amplos da bolsa? Pois bem, enquanto o Ibovespa e o IBrX 100 estão perdendo, respectivamente, 18,1% e 17,9% neste ano, nossa carteira estaria perdendo menos: 15,0%. E em junho, que tem se mostrado um mês de franca recuperação do mercado de ações? Ibovespa e IBrX 100 subiram 8,3% enquanto nosso índice já acumula 11,0% de ganhos. Quer ir mais para trás? A tabela abaixo indica quanto um investidor teria hoje ao se investir R$ 10.000,00 em cada um dos índices e em nossa estratégia caso tivesse iniciado tal investimento no início de cada ano:

.
.

Note que você teria sempre mais dinheiro com a estratégia proposta, não importa o momento inicial de seu investimento. E poderíamos ter ido além para 2014, 2013, 2012 etc.: o resultado seria o mesmo. Para reforçar a análise, calculei os retornos mensais históricos da carteira 1/n mensal, comparando-os com os retornos mensais do Ibovespa: nossa estratégia bate o Ibovespa em 66,7% das vezes, ou seja, batemos o Ibovespa em 2 a cada 3 meses! E note que essa performance vem acompanhada de volatilidade apenas ligeiramente superior – Ibovespa: 25,3% ao ano; IBrX 100: 24,9%; e 1/n: 27,7%. Para analisar se esta maior volatilidade compensa, calculei os índices Campani1 dessas estratégias com a série desde 2016 – Ibovespa: 1,79; IBrX 100: 1,82; e 1/n: 2,48. Chega a impressionar como a performance da estratégia 1/n mensal superou as dos índices, mesmo após o ajuste a risco. Mas será que essa performance foi robusta? Parece que sim. pois a carteira 1/n mensal vem batendo o Ibovespa (e o IBrX100) ao longo dos anos:

.
.

Interessante, não? Mas como uma carteira tão ingênua consegue bater o mercado da forma apresentada acima? Explico: tanto o Ibovespa quanto o IBrX 100 são índices ponderados por valor, ou seja, os seus constituintes são comprados nas proporções de seus valores de mercado do “free float” (isto é, em circulação). Isso faz com que tais índices estejam deveras concentrados em algumas poucas ações que, para piorar a história, concentram riscos específicos (setor financeiro e commodities principalmente). Para ilustrar isso, lembro que apenas Itaú (SA:ITUB4), Bradesco (SA:BBDC4) e Banco do Brasil (SA:BBAS3) respondem atualmente por 20% do Ibovespa. Se somarmos apenas duas empresas (Vale (SA:VALE3) e Petrobras (SA:PETR4)) a essa conta, temos aí mais de 40% do Ibovespa (sim, esse número está correto). Ao simplesmente se ponderar igualmente cem papéis, esse efeito é completamente desfeito, aumentando a diversificação (assunto desta coluna semana passada). Além disso, a estratégia 1/n dá mais importância a empresas menores e tais empresas têm maior potencial de retorno no longo prazo (esse fenômeno é bem conhecido pela literatura acadêmica internacional). Entretanto, a boa performance da nossa carteira não pode ser apenas explicada por esse efeito, pois note abaixo que, nos últimos 5 anos, a carteira 1/n mensal venceu o índice de pequenas empresas (SMLL) da B3 em 4 oportunidades (e o índice SMLL perdeu para o Ibovespa em 3 dos 5 anos):

.
.

Na verdade, o que está por detrás da performance da carteira 1/n, além da melhor diversificação e da maior exposição a small caps, é a frieza da estratégia e o ditado popular mais conhecido para se fazer bons negócios: “compre na baixa e venda na alta”. A estratégia proposta compra, a cada mês, as ações que perderam valor (isto é, que estão na baixa) e vende as ações que mais aumentaram seus preços (ou seja, que estão em alta). Quanto mais um papel cair, mais a estratégia mandará você comprar deste papel. Ao comprar mais e mais ações perdedoras, tais preços médios diminuem e a chance de você retomar o que perdeu aumenta (estatisticamente). Por outro lado, quando um papel aumenta seu preço relativamente mais do que os demais, parte das ações desse papel é vendida no próximo rebalanceamento: garante-se realização de lucro, mas mantendo exposição ao papel (em proporção igual a todos os demais). O fato desta estratégia ser facilmente robotizável e não sujeita a emoções pessoais do investidor também é ponto benéfico, diga-se de passagem.

Qual a desvantagem desta estratégia? Para o pequeno investidor, ela pode se mostrar muito trabalhosa e (principalmente) cara, pois uma vez por mês ele terá que rever a posição de cem papéis, o que pode inviabilizar a estratégia por um alto custo transacional. Mas é nesse momento que o mercado precisa entrar em cena e oferecer tais produtos empacotados. Como alguns sabem, defendo e trabalho para que o mercado financeiro brasileiro se desenvolva e isso passa obrigatoriamente por produtos mais eficientes para o investidor. Por que os ETFs mais líquidos são todos ETFs de Ibovespa? O fato de o Ibovespa ser o índice mais conhecido não o torna, por consequência, um bom veículo de investimento (e, de fato, não é). Por que não há ETFs de ações baseados em estratégias igualmente ponderadas? Se a estratégia for implementada por um gestor profissional em um ETF (por exemplo), os custos transacionais se diluem e seriam perfeitamente admissíveis (e ainda lembro que o gestor precisaria, grosso modo, trabalhar apenas um dia por mês: no rebalanceamento).

Ressalto que nos EUA já existe o índice S&P 500 EWI, que trata da estratégia 1/n para os 500 papéis constituintes do famoso índice S&P 500. E diversos ETFs igualmente ponderados são disponibilizados aos investidores. Há espaço para tais produtos aqui no Brasil? Definitivamente, sim.

1 O índice Campani é uma métrica de performance conceitualmente correta e sem as deficiências que os índices Sharpe e Sortino apresentam. Ele mantém a ideia por detrás desses índices, nos quais busca-se o benefício do maior retorno com o menor risco possível, mas com métricas melhoradas. Sua definição conceitual pode ser encontrada na sequência de textos abaixo:

- Arcabouço Teórico: Uma Discussão sobre Risco e Performance

- Downside Risk e Upside Risk: o Risco Ruim Mal Calculado e o Risco Bom Ignorado

- O Índice Campani e o Sobe-e-Desce da Bolsa em 2020

* Carlos Heitor Campani é PhD em Finanças, professor do Coppead/UFRJ e especialista em investimentos, previdência privada e pública e finanças pessoais e públicas. Ele pode ser encontrado em seu site pessoal e nas redes sociais @carlosheitorcampani

Uma Estratégia Para Vencer o Mercado?
 

Artigos Relacionados

Uma Estratégia Para Vencer o Mercado?

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (9)
André Gontijo
André Gontijo 19.06.2020 17:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns pelo artigo! Faz sentido restringir a estratégia para os 50 ativos com melhor resultado no índice Campani? A dificuldade para o investidor pessoa física para viabilizar a estratégia 1/n além do alto valor com corretagem, seria a necessidade de entrar em mercado fracionário? Um abraço!
Christiano Pereira
Christiano Pereira 17.06.2020 7:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Belo artigo! A estratégia é bem simples e por isso tão interessante. Parabens!
Estevao Rodrigues
Estevao Rodrigues 16.06.2020 14:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ao invés de investir nas 100, se reduzir a carteira para as 50 melhores empresas (análise fundamentalista) se reduz o risco de longo prazo. Ao se investir em açoes, ao invés de ETF, há ainda os ganhos com proventos, eles foram considerados nessa análise? Forte abraço.
Carlos Heitor Campani
Campani 16.06.2020 14:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Olá Estevao. Sim, sua ideia é boa e estou trabalhando numa estratégia que vai nessa linha. ETFs possuem ações e, em consequência, recebem dividendos sim (a não ser que o gestor esteja replicando o índice sem comprar determinada ação, mas essa não é a melhor prática). E, por fim meu amigo, sim, CONSIDEREI ganhos com proventos sim para tornar a análise fidedigna, como aliás sempre deve ser. Forte abraço.
Celso Haus
Celso Haus 14.06.2020 9:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
poderia ter ido direto ao assunto.ETFs.
Carlos Heitor Campani
Campani 14.06.2020 9:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Olá Celso, na semana passada eu falei de ETFs de forma bem abrangente no mercado brasileiro, acho que você pode ter interesse em ler (tem link no próprio texto acima). E no texto desta semana acima, falo de ETF no final mas o foco deste texto é a estratégia em si. Obrigado por seu comentário e fortíssimo abraço.
Celso Haus
Celso Haus 14.06.2020 9:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
obrigado . valeu.
Helder Cruz
Helder Cruz 12.06.2020 18:06
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A estratégia apresentada foi muito bem estudada e elaborada. Parabéns! sobretudo por compartilhar.Existe alguma forma de operacionalizar com uma tabela ou outra ferramenta?
Carlos Heitor Campani
Campani 12.06.2020 18:06
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Olá meu amigo. Eu confesso que não sei se entendi bem sua pergunta. Você pergunta se eu tenho o código do robô para programar a estratégia? Se for isso, eu estou escrevendo ele neste exato momento! Forte abraço.
Oteniel Pinto
Oteniel Pinto 12.06.2020 13:27
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Essa estratégia parece promissora. Grato por compartilhar conosco !!! Vou estudar melhor ela .
Mauro Amado
Mauro Amado 12.06.2020 12:15
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Precisamos urgente de mais ETFs no Brasil! Temos poucas opções e todas ligadas ao Ibov, IBr50 ou Ibr100. Pra crescer o mercado de ETFs, precisamos de mais estratégias como essa e outras como, por exemplo, de ESG.
Janio de Lençóis
Janio de Lençóis 12.06.2020 12:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Bom Dia! Carlos você já aplica esse método?
Carlos Heitor Campani
Campani 12.06.2020 12:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Sim. Inclusive estou trabalhando para lançar um FIA com um método que desenvolvi, mas mais elaborado que esse.
Dinomar Viliano
Dinomar Viliano 12.06.2020 11:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Interessante,vale fazer uma análise.
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail