Últimas Notícias
0

Enfim um acordo: OPEP e aliados anunciam corte na produção a partir de janeiro

Commodities10.12.2018 10:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Enfim um acordo: OPEP e aliados anunciam corte na produção a partir de janeiro

Investing.com - A indisposição do presidente dos EUA Donald Trump com o acordo nuclear com Irã, celebrado pelo seu antecessor Barack Obama com 5 países europeus em 2014, foi a tônica à dinâmica do mercado de petróleo em 2018. Desde a campanha eleitoral de 2016 Trump deu sinais de insatisfação e de ameaças de os EUA abandonar o acordo caso fosse eleito, o que se concretizou em maio deste ano. Além disso, o presidente americano prometeu retaliar empresas e países que fizessem negócios com os iranianos, com o objetivo de zerar as exportações da República Islâmica e sufocar economicamente o país rival.

Com a iminente saída do petróleo iraniano dos mercados internacionais em novembro deste ano - prazo dado por Trump para que empresas e países cessassem os negócios com o país -, os traders passaram a negociar os contratos futuros visando uma tendência de aumento do petróleo, o que culminou na elevação do preço no período, até chegar a US$ 76,90 no WTI e US$ 87,00 no Brent em outubro. Neste mês, no entanto, os EUA aliviaram as sanções, estendendo por mais algum tempo as importações petrolíferas de 8 países do Irã sem punição.

Paralelamente, a Arábia Saudita e a Rússia aumentaram a produção para compensar a retirada do petróleo iraniano do mercado. Mas o alívio das sanções, junto com os recordes de produção e exportação do petróleo de shale dos EUA, inundaram o mercado internacional de petróleo, criando-se um quadro de sobreoferta, levando a uma queda vertiginosa nos preços em novembro, a maior para o mês desde a eclosão da crise financeira de 2008.

A forte queda do preço do petróleo mobilizou a OPEP e a Rússia, com especulações no mercado sobre corte de produção e por qual quantidade. O acordo de redução de oferta apenas se viabiliza com a participação da Arábia Saudita e da Rússia. Essa aliança foi celebrada, simbolicamente, durante a reunião do G-20 no último sábado (01), quando o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman - que estava publicamente isolado no evento devido à acusação de ser o mandante do assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado saudita em Istambul, Turquia - foi cumprimentado entusiasticamente pelo presidente russo Vladmir Putin. O cumprimento foi interpretado como um avanço numa posição comum dos dois países na reunião da OPEP, que foi realizada na última sexta-feira, em Viena.

Ao longo da semana, o preço oscilou entre os US$ 50-54 no WTI e US$ 58-63 no Brent. Os dias que fecharam em alta foram embalados por notícias de corte de produção, especialmente quando o Estado de Alberta, no Canadá, anunciou uma redução de 325 mil barris por dia em sua produção para contrabalançar a queda do preço. Além disso, na segunda-feira o petróleo subiu 5%, impulsionado com a trégua da disputa comercial entre EUA e China, também celebrado na reunião do G-20. Os dias encerrados em baixa eram movidos de acordo com a especulação de que a Rússia não participasse de um acordo na redução da produção mundial.

Até quinta-feira, dia de início da reunião da OPEP, ainda não havia definição da redução da produção e a quantidade. Na sexta-feira, o empecilho passou a ser o Irã, que recusava a diminuir sua produção sob as sanções americanas e teve sua reivindicação atendida. O acordo, após entendimento de sauditas e russos, visa a retirada de 1,2 milhão de barris por dia do mercado a partir de 1º de janeiro de 2019, sendo 800 mil da OPEP e 400 mil de não-membros do cartel.

Ainda durante a semana, o Catar anunciou, na segunda-feira, sua retirada da OPEP. O objetivo do Reino catarino é se concentrar na produção do gás natural, do qual é o maior exportador, e fazendo duras críticas ao papel da Arábia Saudita na organização, acusando-a de não dar voz a outros países nas decisões do cartel. Mas o país tem participação reduzida na produção da OPEP, com 600 mil barris diários.

Fique ligado no Investing.com Brasil e não perca nenhum desdobramento das cotações do petróleo WTI e Brent e as negociações em relação ao corte de oferta no mercado internacional pela OPEP e seus aliados.

Enfim um acordo: OPEP e aliados anunciam corte na produção a partir de janeiro
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias ou ataques pessoais dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários
Fabio ZG
Fabio ZG 09.12.2018 22:48
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A reportagem só prova o que falam no mises a anos e os esquerdinhas choram apavorados de medo de perder a boquinha. Quem cria monopolio é o estado,e nao as empresas. Sem estado,um monopolio nao dura.
Responder
1 3
KLEBER SILVA
KLEBER SILVA 09.12.2018 19:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
E a Petrus?
Responder
0 0
Jose Azevedo
Jose Azevedo 09.12.2018 19:04
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
E a Petrobras , como que fica nesse emblogio????
Responder
0 0
Gustavo Trancho
Gustavo Trancho 08.12.2018 13:11
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Faltou colocar o nome do jornalista Jamal Khashoggi. Um sério problema de revisão do texto
Responder
4 0
Gustavo Trancho
Gustavo Trancho 08.12.2018 13:11
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Faltou colocar o nome do jornalista Jamal Khashoggi. Um sério problema de revisão do texto
Responder
2 1
Regis Moraes Brum
Regis Moraes Brum 08.12.2018 13:04
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
hahahahaaahahaha, boa! mesma pergunta que me fiz
Responder
1 0
Arthur Ars
Arthur Ars 08.12.2018 8:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Resumo: na proxima semana o papel vira pó, explode ou continua igual caranguejo?
Responder
3 0
Regis Moraes Brum
Regis Moraes Brum 08.12.2018 8:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
hahahahaaahahaha, boa! mesma pergunta que me fiz
Responder
0 0
Will Ieger
Will Ieger 08.12.2018 3:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
7 bilhões de trouxas na mão desse cartel... e os supostos liberalistas investidores pouco se importam, pois o que importa é entender o jogo pra lucrar. Afinal, liberal verdadeiro é algo raro de encontrar...
Responder
2 3
Saulo Stephano
Saulo Stephano 08.12.2018 3:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Will, vc é ultra liberal mesmo? Aquele que libera geral mesmo?
Responder
2 1
Saulo Stephano
Saulo Stephano 08.12.2018 3:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Will, vc é ultra liberal mesmo? Aquele que libera geral mesmo?
Responder
1 0
Saulo Stephano
Saulo Stephano 08.12.2018 3:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Will, vc é ultra liberal mesmo? Aquele que libera geral mesmo?
Responder
1 0
Will Ieger
Will Ieger 08.12.2018 3:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
7 bilhões de trouxas na mão desse cartel... e os supostos liberalistas investidores pouco se importam, pois o que importa é entender o jogo pra lucrar. Afinal, liberal verdadeiro é algo raro de encontrar...
Responder
0 1
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Registrar-se com Google
ou
Registrar-se com o e-mail