Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

De rio poderoso a fio de água barrenta, Paraná aciona alarme climático

Commodities27.10.2021 10:20
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Cachoeira em rio que deságua no Rio Paraná em Presidente Franco, no Paraguai 12/10/2021 REUTERS/Cesar Olmedo

Por Lucila Sigal e Daniela Desantis

CHARIGUE, Argentina (Reuters) - Gustavo Alcides Díaz, pescador e caçador argentino de 40 anos e morador de uma ilha margeada por um rio, está em casa na água. Antigamente, o Rio Paraná banhava as margens próximas de sua casa de palafitas de madeira, que ele alcançava de barco. Os peixes lhe davam alimento e renda, e ele destilava a água do rio para beber.

Agora, ele contempla um fio de água barrenta.

O Paraná, o segundo maior rio da América do Sul, só atrás do Amazonas, atingiu neste ano seu menor nível desde a baixa recorde de 1944, afetado por secas cíclicas e chuvas minguantes em sua foz brasileira. A mudança climática só piora estas tendências.

O declínio da hidrovia, que conecta uma parcela enorme do continente, afeta comunidades ribeirinhas como a de Díaz, atrapalha o transporte de grãos na Argentina e no Paraguai e contribui para um aumento dos incêndios florestais, prejudicando sistemas de pântanos.

"Isto é histórico. Nunca o vi tão baixo em toda minha vida", disse Díaz em sua casa de Charigue, cerca de 300 quilômetros correnteza acima em relação à capital Buenos Aires, lamentando o impacto nos estoques de peixe e de água doce. "Quando tudo seca, a água apodrece."

A crise do Paraná é um dos muitos dramas surgindo em todo mundo em decorrência da mudança climática global, ligada à queima de combustíveis fósseis e às emissões de gases de efeito estufa.

Líderes mundiais devem se reunir na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021 (COP26) em Glasgow, na Escócia, a partir de 31 de outubro em meio a alertas de uma comissão da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre transtornos relacionados ao clima pelas próximas décadas, senão séculos.

O Paraná nasce no sul do Brasil, serpenteia através de cerca de 4.880 quilômetros pelo Paraguai e pela Argentina até chegar ao Oceano Atlântico. Ele é uma hidrovia vital para a pesca e as remessas comerciais, fornece água potável a milhões de pessoas, impulsiona hidrelétricas e apoia uma biodiversidade rica.

Bilhões de dólares de commodities agrícolas, como soja, milho e trigo, são transportadas para portos ao longo do Paraná para serem enviadas a todo o mundo. Ele dá vazão a cerca de 80% das exportações agrícolas da Argentina, mas agora algumas transportadoras estão estudando movimentar bens por terra devido aos níveis de água reduzidos.

Em alguns momentos deste ano, o fluxo do Paraná diminuiu para pouco mais da metade de seu volume normal. Imagens de satélite mostram claramente o quanto o rio recuou.

O clima seco que provoca o declínio do rio se deve em parte a um ciclo natural de longo prazo de padrões climáticos que está sendo agravado pelo aquecimento global, pela queima em pântanos e pela construção de represas de hidrelétricas --todos coincidindo com o fenômeno oceano-atmosférico natural conhecido como La Niña, que diminui os níveis das chuvas, disse o agrônomo e especialista do clima Eduardo Sierra.

O ciclo seco mais abrangente poderia durar décadas, forçando um reajuste para comunidades, agricultores e transportadoras, acrescentou Sierra.

"Isto é um evento que acontece duas vezes a cada século", disse ele, que também é conselheiro da bolsa de grãos de Buenos Aires, referindo-se ao declínio do rio.

"Também temos uma causa humana, que é o aquecimento global, que está acentuando todas as variações do clima", acrescentou Sierra, observando que a atividade humana, inclusive a construção de represas, também "impacta a capacidade do rio de se autorregular".

O Paraná, que significa "como o mar" na língua Tupi-Guarani, é formado pela convergência do Rio Grande e do Paranaíba no Brasil. Ele fica repleto de água em Estados que incluem Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul antes de sua longa jornada ao estuário do Rio da Prata em Buenos Aires.

Estas áreas sofreram declínios constantes nos níveis das chuvas nos últimos 10 anos, de acordo com uma análise da Reuters de dados climáticos da Refinitiv relativos às últimas três décadas.

(Por Lucila Sigal em Charigue, Argentina, e Daniela Desantis em Ciudad del Este, Paraguai; reportagem adicional de Maximilian Heath)

De rio poderoso a fio de água barrenta, Paraná aciona alarme climático
 

Artigos Relacionados

STF decide que Marco do Saneamento é constitucional
STF decide que Marco do Saneamento é constitucional Por Reuters - 02.12.2021 4

BRASÍLIA (Reuters) - O Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu o julgamento de quatro ações que questionavam a legalidade do Marco do Saneamento e decidiu pela constitucionalidade...

Rosa vota para derrubar parte do marco do saneamento
Rosa vota para derrubar parte do marco do saneamento Por Estadão Conteúdo - 02.12.2021 4

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta quinta-feira, 2, para declarar inconstitucional uma série de artigos previstos pelo novo marco legal do...

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Francisco Aguiar
Francisco Aguiar 04.11.2021 11:45
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Essa seca é causada pelo “La Niña” fenômeno ao qual a água do oceano Pacífico está mais frio, portanto existe um resfriamento global e não aquecinento, o que tb mostrou o frio récorde no hemisfério norte!
Fabio Piloto
Fabio Piloto 27.10.2021 11:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Essa seca é causada pelo “La Niña” fenômeno ao qual a água do oceano Pacífico está mais frio, portanto existe um resfriamento global e não aquecinento, o que tb mostrou o frio récorde no hemisfério norte!
Mant Neuman
BombeiroAristide 27.10.2021 11:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Impressionante o nível de ignorância dos terraplanistas !!!  Liguei o ar condicionado no inverno, o mundo esta aquecendo. Tomei banho quente no verão, o mundo esta esfriando!!! Precisa tomar muito vermifugo com cloroquina mesmo...
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail