Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Últimas Notícias

Economistas soam alarme sobre os planos financeiros do Reino Unido pós-Brexit

Avanço da Ômicron leva a aumento de taxas de ocupação de UTIs no país, aponta Fiocruz

COVID26.01.2022 13:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. 08/04/2021 REUTERS/Amanda Perobelli

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - A taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) para tratamento da Covid-19 no Brasil registrou uma piora em meio ao avanço da altamente transmissível variante Ômicron do coronavírus, segundo boletim de acompanhamento da pandemia no país divulgado nesta quarta-feira por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

De acordo com o levantamento, entre os dias 17 e 24 de janeiro, a taxa de ocupação de leitos de UTI para tratamento de Covid no Sistema Único de Saúde (SUS) aumentou em 12 Unidades da Federação e em seis Estados --Mato Grosso do Sul, Goiás, Espírito Santo, Piauí, Rio Grande do Norte e Pernambuco-- e no Distrito Federal o nível de ocupação está em patamar crítico, com a ocupação de pelo menos 80% das vagas.

Ainda segundo o levantamento da Fiocruz, 12 Estados estão na zona de alerta intermediário, quando a ocupação das UTIs está entre 60% e 79%, --Amazonas, Roraima, Amapá, Pará, Rondônia, Mato Grosso, Tocantins, Ceará, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

Ao mesmo tempo, oito Estados estão fora da zona de alerta, quando a ocupação está abaixo de 60% --Acre, Maranhão, Paraíba, Alagoas, Sergipe. Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A situação mais crítica foi detectada no Distrito Federal, com 98% dos leitos ocupados. Em seguida vêm Rio Grande do Norte, com ocupação de 83%, Piauí e Goiás com 82% cada, Pernambuco com 81% e Mato Grosso do Sul e Espírito Santo com 80%.

As menores taxas de ocupação foram registradas em Sergipe, com 25%, na Paraíba e Minas Gerais, com 28% cada, e no Acre, com 45%. Nos demais Estados fora da zona de alerta a ocupação era maior que 50%.

"Não se pode ignorar que o quadro está piorando, apesar de estar claro que o cenário com a vacinação é muito diferente daquele observado em momentos anteriores mais críticos da pandemia, nos quais se dispunha de muito mais leitos", afirmaram os pesquisadores da Fiocruz em nota técnica.

"O que se coloca é que, com a elevadíssima transmissibilidade, mesmo uma proporção muito menor de casos gerando internações em UTI incorre em números expressivos", acrescentou.

Os pesquisadores apontaram a importância da vacinação na contenção da pandemia, especialmente da aplicação de uma terceira dose de reforço de um imunizante. Destacaram também a necessidade de adoção de outras medidas para conter a disseminação como o uso de máscaras e exigência de comprovante de vacinação para entrada em locais públicos.

"Pessoas que já receberam a dose de reforço são pouco suscetíveis a essas internações, embora comorbidades graves ou idade avançada possam deixá-las vulneráveis. Entretanto, há ainda uma proporção da população que não recebeu o reforço e assim fica mais suscetível a formas mais graves da infecção com a Ômicron e, principalmente, há uma parte da população não vacinada, muito mais suscetível", apontaram.

"É fundamental empreender esforços para avançar na vacinação e controlar a disseminação da Covid-19, com o endurecimento da obrigatoriedade de uso de máscaras e de passaporte vacinal em locais públicos, e deflagrar campanhas para orientar a população sobre o autoisolamento ao aparecimento de sintomas, evitando, inclusive, a transmissão intradomiciliar", finaliza a nota técnica.

Avanço da Ômicron leva a aumento de taxas de ocupação de UTIs no país, aponta Fiocruz
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Cícero RP
Cícero RP 26.01.2022 16:30
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quanto mais picadas, mais casos, mais internações, mais mortes! Israel indo pra 4 dose, mas é país com mais casos per capita e 76% das hospitalizacoes graves lá são de vacinados!!😲... Aqui não é diferente ainda q mídia fake negacionista tente enganar o povo!🤦
Mant Neuman
BombeirAristides 26.01.2022 14:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quadrilha de marginais.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail