Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

BC britânico eleva perspectiva para inflação e mostra divisão sobre estímulo

Dados Econômicos23.09.2021 09:20
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Região central de Londres 12/7/2019 REUTERS/Henry Nicholls

Por David Milliken e Andy Bruce

LONDRES (Reuters) - O banco central britânico afirmou que a inflação vai subir acima de 4% neste ano, e duas autoridades pediram o fim antecipado do programa de afrouxamento quantitativo do banco central devido ao aumento das pressões sobre os preços.

As autoridades votaram por 7 a 2 para manter a meta de compra de ativos determinada em novembro de 2020 em 895 bilhões de libras (1,2 trilhão de dólares).

O Banco da Inglaterra elevou sua meta para compras de títulos em 150 bilhões de libras em novembro de 2020 e disse que essas compras aconteceriam ao longo de 2021.

Dave Ramsden, vice-presidente do Banco da Inglaterra, juntou-se a Michael Saunders para votar por um fim antecipado do programa de compra de títulos do banco central.

O Comitê de Política Monetária votou de forma unânime para deixar inalterada sua principal taxa de juros em 0,1% nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters não esperavam mudanças na política monetária do Banco da Inglaterra após a reunião do Comitê de Política Monetária.

O Banco da Inglaterra afirmou que a inflação vai subir "temporariamente" acima de 4% no quarto trimestre.

"Desde a reunião de agosto, o ritmo de recuperação da atividade global mostrou sinais de desaceleração. Diante de um cenário de demanda robusta por bens e continuidade das restrições de oferta, as pressões inflacionárias globais permanecem fortes e há alguns sinais de que as pressões de custos podem se provar mais persistentes", disse o banco central.

No mês passado, o Banco da Inglaterra disse esperar que a economia retome o tamanho pré-pandemia nos últimos três meses de 2021 e que a inflação chegue à máxima de dez anos de 4% ao mesmo tempo.

A inflação ao consumidor britânico atingiu máxima em nove anos de 3,2% em agosto, mas a recuperação diante da pandemia de Covid-19 desacelerou e alguns economistas veem risco de desemprego mais alto quando o suporte às licenças acabar, no final deste mês.

BC britânico eleva perspectiva para inflação e mostra divisão sobre estímulo
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (1)
RICARDO HEINECK
RICARDO HEINECK 23.09.2021 9:48
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
deve ser culpa do bolsonaro segundo a imprensa
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail