Últimas Notícias
0

Espanhola Aena arremata Nordeste, lote mais cobiçado do leilão de aeroportos

Economia15.03.2019 16:48
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
2/2 © Reuters. Ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, durante leilão de aeroportos na B3 2/2

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A espanhola Aena marcou em grande estilo sua entrada no mercado aeroportuário brasileiro, ao vencer nesta sexta-feira uma acirrada disputa pela concessão de um cobiçado lote de aeroportos no Nordeste do país, certame também percebido como mostra do apetite internacional por um ambicioso plano de privatizações do governo de Jair Bolsonaro.

Com uma oferta de 1,9 bilhão de reais, ágio de 1010 por cento sobre o valor mínimo fixado para outorga, a Aena foi declarada vencedora após 19 lances no leilão viva-voz. O grupo espanhol obteve com isso o direito de administrar os aeroportos de Recife (PE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Aracaju (SE), Campina Grande (PB) e Juazeiro do Norte (CE) por 30 anos.

Batida pela Aena na disputa pelos terminais do Nordeste, a Zurich venceu o lote Sudeste, com oferta de 437 milhões de reais. E o lote Centro-Oeste foi arrematado pelo consórcio Aeroeste, formado pelos grupos Socicam e Sinart, que ofereceram 40 milhões de reais.

No conjunto, o governo federal levantou 2,377 bilhões de reais com o pagamento imediato da outorga mínima, um ágio de 986 por cento em relação ao valor mínimo fixado para o leilão.

Representantes do governo e instituições financeiras viram o resultado como mostra de confiança de investidores na retomada da economia e um indício que a concorrência por outros ativos na sequência também será forte.

"O Brasil voltou para o jogo do investimento internacional", disse a jornalistas o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, logo após o leilão.

Executivos frisaram, além do ágio, a participação de outros investidores, nove ao todo, alguns pela primeira vez, o que desfez o temor de que o modelo de "filé com osso", de lotes com ativos com alto e pouco interesse econômico, espantasse os lances.

Além da própria Aena, entraram no leilão desta sexta-feria o Patria Investimentos e o grupo alemão PSP/AviAlliance por meio do consórcio Região Nordeste; a francesa ADP, que administra o aeroporto de Paris, além dos já conhecidos Vinci, Fraport e Socicam/Sinart, que arrematou o lote Centro-Oeste.

"O governo federal também foi vencedor, pois o leilão atraiu taxas de concessão relativamente altas de grupos tradicionais que já atuam no Brasil e de recém-chegados", afirmou o BTG Pactual (SA:BPAC11) em nota a clientes.

Além da outorga mínima, o governo estima investimentos totais de 1,5 bilhão de reais nos terminais nos próximos cinco anos e de 3,5 bilhões durante a concessão de 30 anos. Em conjunto, os aeroportos leiloados respondem por 9,5 por cento do mercado doméstico.

O certame pode de fato dar bons presságios ao governo para vendas e concessões de ativos nos próximos anos. Só em aeroportos, serão duas novas rodadas para transferir 36 terminais para o setor privado entre 2020 e 2022.

A primeira delas será aberta na próxima segunda-feira, para culminar no leilão no segundo semestre do ano que vem, disse o secretário Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos.

Nesta fase serão licitados três lotes: no Sul do país com os terminais de Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina; Joinville, Navegantes, Bagé, Uruguaiana e Pelotas. O Centro-Oeste/Nordeste tem os terminais de Goiânia (GO), Palmas (TO), São Luís (MA), Teresina (PI), Imperatriz (MA), Petrolina (PE). E o do Norte do país com os terminais de Manaus, Tabatinga, Tefé, Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Rio Branco (AC) e Cruzeiro do Sul (AC).

Para 2021-22, outros três lotes devem ser licitados, com os mais cobiçados, de Congonhas, na capital paulista, o Santos Dumont, no Rio de Janeiro, ficando por último.

Mas o próximo grande teste para o governo federal na área de logística será o leilão da ferrovia Norte-Sul, que foi confirmado para o próximo dia 28, na própria B3.

"Teremos pelo menos dois concorrentes nesse leilão", disse Vasconcelos à Reuters.

Entre as derrotadas do dia estiveram a CCR (SA:CCRO3), que concorreu pelos lotes Nordeste e Sudeste, sem sucesso, o mesmo acontecendo com a Fraport. E a Vinci, que disputou apenas o lote Sudeste, ficou na última colocação.

Em nota, o Credit Suisse avaliou que, embora a derrota possa ser interpretada como negativa num primeiro momento para a CCR, as propostas mais conservadoras da empresa são um bom sinal, "especialmente considerando as oportunidades de investimento no setor de estradas e mobilidade urbana, onde deve haver uma concorrência significativamente menor".

Às 16:41, a ação da CCR tinha queda de 1,6 por cento, enquanto o Ibovespa subia 0,4 por cento.

(Com reportagem adicional de Paula Arend Laier)

Espanhola Aena arremata Nordeste, lote mais cobiçado do leilão de aeroportos
 

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias ou ataques pessoais dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários
Danilo Fraga
Danilo Fraga 17.03.2019 13:30
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Nenhuma menção ao fato de que a Aena é uma estatal espanhola, país que passou por uma grave crise recentemente. Liberalismo à brasileira, que concilia um conservadorismo medieval.
Responder
0 0
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Registrar-se com Google
ou
Registrar-se com o e-mail