Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Últimas Notícias

Ouro fecha em queda de 2%, após sinalização do Fed

Dólar fecha em leve alta com ajuste técnico e espera por votação de PEC

Moedas29.11.2021 19:11
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Dólar fecha em leve alta com ajuste técnico e espera por votação de PEC

O dólar à vista inicia a semana em alta no mercado doméstico em meio à postura cautelosa dos investidores na véspera da provável votação da PEC dos Precatórios na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e diante de agenda carregada aqui e no exterior. Também pesaram na formação da taxa de câmbio hoje aspectos técnicos, já que amanhã ocorrerá a definição da última Ptax de novembro, com a tradicional disputa entre comprados e vendidos.

O pregão pode ser dividido, grosso modo, em duas etapas. Pela manhã, houve muita volatilidade e trocas de sinais. O dólar iniciou os negócios em queda e desceu até a mínima de R$ 5,5802, esboçando acompanhar a recuperação parcial dos ativos de risco, que haviam tombado na sexta-feira com a notícia da nova variante do coronavírus, identificada na África do Sul. A leitura preliminar é a de que, embora mais transmissível, a Ômicron não resultará em um aumento dos casos graves da doença.

O alívio, contudo, durou pouco e logo a moeda americana ganhou força, trocou de sinal e correu até a máxima de R$ 5,6397. Parte do mau humor foi atribuída ao cancelamento das festas da virada de ano em Salvador (BA), por conta da Ômicron - um prenúncio de que a atividade pode sofrer novamente com medidas restritivas. Também rondavam as mesas de operação rumores de que o governo não descartava lançar mão do estado de calamidade para pôr em pé o Auxílio Brasil caso a PEC dos Precatórios empaque no Congresso.

Depois de muito chacoalhar pela manhã, o dólar à vista se fixou em terreno positivo ao longo da tarde, sempre acima do patamar de R$ 5,60. No fim da sessão, era cotado a R$ 5,6097, em alta de 0,25%. Apesar de dois pregões consecutivos de valorização, a moeda americana ainda recua 0,64% em novembro e pode interromper uma sequência de dois meses de forte alta (3,67% em outubro e 5,30% em setembro).

Se na sexta-feira o real, embora tenha se depreciado, apresentou um desempenho melhor que seus pares emergentes, hoje a moeda brasileira foi destaque negativo, já que o dólar caiu tanto em relação ao peso mexicano quanto ao rand sul-africano. O índice DXY - que mede a variação do dólar frente a seis moedas fortes - se recuperou das perdas de sexta e trabalhou em alta firma, na casa dos 93,369 pontos.

O líder de renda fixa e produtos de câmbio da Venice Investimentos, André Rolha, observa que o real chegou a acompanhar a melhora dos mercados pela manhã, mas que os investidores retomaram posições defensivas, levando o dólar para cima de R$ 5,60 à espera votação da PEC dos Precatórios. "O fato de a moeda brasileira não acompanhar seus principais pares, como o peso e o rand sul-africano, significa que o mercado pode estar se antecipando a qualquer coisa negativa amanhã na votação da PEC", diz Rolha, acrescentando que a agenda é carregada aqui e lá fora, com divulgação do PIB no Brasil no terceiro trimestre na quinta-feira (02) e do relatório de emprego nos Estados Unidos (payroll) na sexta-feira (03).

Dados os problemas domésticos e a perspectiva de um dólar forte no exterior, em razão dos indicadores positivos da economia americana, Rolha não vê motivos para taxa de câmbio retornar para uma banda entre R$ 5,40 e R$ 5,50 no curto prazo. O mais provável, diz o especialista, é que o dólar siga numa faixa entre R$ 5,55 e R$ 5,60, podendo alcançar os R$ 5,70. "O ambiente local continua muito perturbado e pode haver demanda por dólar lá fora como proteção. Devemos ter uma semana de bastante volatilidade".

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse, hoje à tarde, que a PEC dos Precatórios, caso aprovada amanhã na CCJ, deve ir ao plenário da Casa na quinta-feira (2). Pacheco acredita que será mantido no texto a mudança do cálculo do teto de gastos e o limite para o pagamento de precatórios, abrindo "muito espaço fiscal" para o Auxílio Brasil.

Mais cedo, o secretário do Tesouro Nacional, Paulo Valle, disse que o governo acredita na aprovação da PEC e, por isso, não trabalha com plano B. Segundo Valle, a definição do Orçamento de 2022 vai diminuir as dúvidas do mercado sobre a política fiscal no ano que vem. O secretário afirmou ainda que, com a PEC, o governo terá "margem de manobra" para lidar como uma eventual nova onda da covid-19.

Dados divulgados hoje à tarde mostraram que as contas do Governo Central - que reúnem Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central - registraram superávit primário de R$ 28,195 bilhões em outubro, acima da mediana de Projeções Broadcast (R$ 26,150 bilhões) e o melhor resultado para o mês desde 2016.

O gerente de derivativos H.Commcor, Cleber Alessie, vê a PEC dos Precatórios como um ponto de alerta, mas acredita que os investidores estão mais sensíveis, neste momento, aos eventuais desdobramentos da disseminação da Ômicron. Ele nota que, por ora, o nível de R$ 5,60 tem atraído vendedores ao mercado de câmbio doméstico, o que, ao lado dos juros mais altos, ajuda a dar alguma sustentação ao real.

"Mas se a nova cepa do coronavírus se mostrar mais perigosa do que a leitura que o mercado tem hoje, o dólar pode subir ainda mais", diz Alessie, que chama a atenção para os discursos do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, ao longo desta semana. "Vamos ver se o Fed vai mudar o discurso sobre o ritmo de redução de estímulos com o surgimento da nova variante", afirma.

Dólar fecha em leve alta com ajuste técnico e espera por votação de PEC
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail