Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Dólar volta a subir contra real apesar de alívio momentâneo de dados dos EUA; mercado digere Copom

Moedas29.10.2020 10:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. (Blank Headline Received)

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar voltava a engatar alta contra o real na manhã desta quinta-feira, mesmo depois que dados norte-americanos melhores do que o esperado ajudaram a ofuscar momentaneamente temores em relação à disseminação global da Covid-19 e às eleições nos Estados Unidos.

Enquanto isso, no Brasil, os investidores digeriam a manutenção da taxa Selic em sua mínima histórica de 2% ao ano, bem como as sinalizações do comunicado de política monetária do Copom, divulgado na véspera.

Às 10:44, o dólar avançava 0,34%, a 5,7829 reais na venda. A divisa chegou a tocar a marca de 5,7916 reais na máxima da sessão.

LEIA MAIS: Mercado Acentua Percepção do Cenário Tido Como Promissor, e a Realidade é Outra no Pós-Copom!

O contrato mais líquido de dólar futuro subia 0,56%, a 5,780 reais.

Houve algum alívio no movimento da moeda norte-americana depois da notícia de que o Produto Interno Bruto dos Estados Unidos disparou 33,1% no terceiro trimestre, resultado acima da previsão de ganho de 31,0% em pesquisa da Reuters. Esse foi o ritmo mais forte desde que o governo iniciou os registros, em 1947, e seguiu-se a uma contração recorde de 31,4% no segundo trimestre.

Além disso, dados separados desta quinta-feira mostraram que 751 mil norte-americanos entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego na semana passada. Apesar de continuar em um patamar elevado e sinalizar dificuldades para o mercado de trabalho dos EUA, a leitura veio a abaixo da previsão da Reuters de 775 mil solicitações.

Logo após a divulgação dos dados, o dólar foi à mínima da sessão, de 5,7580.

No entanto, o cenário de forte disseminação da Covid-19 em grandes economias -- com alguns dos principais países europeus a caminho de impor novas restrições economicamente prejudiciais -- continuava no radar dos investidores, que já operavam com os nervos à flor da pele a poucos dias das eleições presidenciais norte-americanas.

A proximidade da data da acirrada disputa entre o atual presidente, Donald Trump, e seu adversário democrata, Joe Biden, significa mais um obstáculo para as negociações de novos estímulos fiscais na maior economia do mundo, que provavelmente só serão implementados depois que os norte-americanos forem às urnas.

"Um dos fatores para a alta do dólar é a segunda onda de coronavírus na Europa, que afeta não apenas o mercado de dólar, mas o mercado geral, bem como a economia de vários países", disse à Reuters Mauriciano Cavalcante, diretor de câmbio da Ourominas. "Temos também a questão do estímulo do governo norte-americano, que conta com a falta de acordo no Congresso", o que eleva a busca por segurança e seca a oferta de dólares no mercado, completou.

Enquanto isso, no Brasil, os investidores digeriam a notícia de que o Banco Central manteve na quarta-feira a Selic na mínima histórica de 2% ao ano, conforme ampla expectativa do mercado, deixando a porta aberta para eventual corte nos juros básicos à frente.

VEJA TAMBÉM: Copom não altera Selic e mantêm em 2% a.a., com forward guidance para novos cortes

Parte dos agentes do mercado esperava um endurecimento na postura da autarquia após a escalada dos temores fiscais desde a última reunião do Comitê de Política Monetária, em 16 e 17 de setembro. O BC, contudo, não fez nenhuma menção mais concreta ao tema.

"O BC ontem (...) optou por manter não somente o forward guidance de política monetária, ou seja, mantendo a perspectiva de não elevação dos juros por um período relativamente indeterminado, como manteve a porta aberta a possíveis cortes na taxa, apesar da brusca mudança de cenário recente", escreveu Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset.

"O Banco Central (...) de certa maneira despreza no contexto geral a total incerteza de um cenário fiscal desafiador, que depende de uma conjunção política que se mostra igualmente desafiadora", completou.

ENTREVISTA: 'Juro a 2% é insustentável, mas não se sabe como o BC sai da arapuca'

Entre os principais riscos fiscais projetados pelos mercados, o que tem dominado as preocupações dos investidores é a possibilidade de que o governo fure o teto de gastos para financiar seu novo projeto de auxílio econômico, batizado de Renda Cidadã.

O dólar acumula alta de quase 44% contra o real em 2020.

Na véspera, o dólar spot teve alta de 1,42%, a 5,7633 reais, máxima de encerramento desde 15 de maio (5,8392).

O Banco Central fará nesta sessão leilão de swap tradicional para rolagem de até 12 mil contratos com vencimento em abril e agosto de 2021.

Dólar volta a subir contra real apesar de alívio momentâneo de dados dos EUA; mercado digere Copom
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (7)
Marcelo Peralta
Marcelo Peralta 29.10.2020 14:50
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns aos envolvidos que diziam que era só a Dilma sair para o dólar cair.
anderson silva
anderson silva 29.10.2020 14:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Será que vai repetir as quedas de março?
Mn nov
Mn nov 29.10.2020 14:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Chutometro: no mundo é pouco provável pelo motivo Covid19, mas no Brasil, com problemas fiscais e politicos, a chance é bem maior. Como o mundo todo saiu endividado da crise, é provavel que tenha algum abalo em breve.
Ismael Cruz
Ismael Cruz 29.10.2020 13:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Na realidade , não temos um ministro da economia comprometido com o Brasil, mas sim, uma pessoa querendo comparar a nossa economia com a americana. Um erro que nos custará muito caro.
Mn nov
Mn nov 29.10.2020 12:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quem sabe no Natal o Papai Noel explica para o BCo motivo do real ser a moeda mas desvalorizada no mundo e. 2020. Enquanto isso o estagiário do Jegues na estatal BC segue procurando o motivo.
rodrigo queiroz reis
rodrigo queiroz reis 29.10.2020 12:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
rsrsrsrsrsrs boa
Andre Forti Saint
Andre Forti Saint 29.10.2020 11:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
lol fujam pata as montanhas. ESTE dólar subiu tanto q ano q vem vai cair feiyo meteoro. qdo esta mídia ver q este vírus já era. cuidado nunca é demais
Stephen Hawkins
Stephen Hawkins 29.10.2020 11:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Pq fugir pra montanha? Com juros baixos, pode cair chuva de meteoro que o dolar nao vai baixar.Sabe de nada inocente
willian cavalcante
willian cavalcante 29.10.2020 11:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Trevas!!!BC ignora o Mercado!
Teddy Tchogninou
Teddy Tchogninou 29.10.2020 11:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
BC, Tá apenas fingindo de louco
willian cavalcante
willian cavalcante 29.10.2020 11:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Trevas!!!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail