x
Últimas Notícias
0

PESQUISA-Área de soja 17/18 do Brasil cresce mais um pouco na reta final do plantio

Commodities14.11.2017 16:06
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Lavoura de soja em Primavera do Leste, Brasil

Por José Roberto Gomes

SÃO PAULO (Reuters) - O plantio de soja da safra 2017/18 no Brasil se aproxima da reta final com perspectiva de ocupar uma área um pouco maior do que o esperado, refletindo-se também na produção, que deve ser ligeiramente superior ante o previsto em outubro, de acordo com pesquisa realizada pela Reuters.

Conforme a média de onze consultorias e outras instituições obtidas pela Reuters, a produção na temporada tende a alcançar 109,43 milhões de toneladas, levemente maior que as 109,39 milhões de toneladas esperadas no levantamento do mês passado, à medida que alguns analistas revisaram para cima seus números, enquanto outros ficaram mais pessimistas.

O plantio da oleaginosa agora foi estimado em um recorde de 34,80 milhões de hectares, acima dos 34,70 milhões e 34,77 milhões de hectares computados nas pesquisas de agosto e outubro, respectivamente.

A área é ainda 2,6 por cento maior na comparação com a registrada em 2016/17 e deve-se a um avanço da cultura sobre lavouras de milho, cujos preços no mercado interno atingiram patamares baixos neste ano em razão da ampla produção.

Liberada desde setembro, a semeadura da soja só foi engrenar mesmo no final de outubro com o retorno das chuvas e, agora, já se encontra dentro da média para o período.

Entretanto, o atraso no início dos trabalhos por causa da seca responde pelas divergências no mercado acerca do potencial produtivo da safra 2017/18, cuja diferença entre a maior e a menor estimativa apurada pela Reuters é de quase 9 milhões de toneladas.

"Apesar do atraso inicial, as condições agora estão favoráveis em praticamente toda a região produtora, com expectativa positiva para a produtividade", disse o diretor da França Junior Consultoria, Flávio França Junior, que elevou sua estimativa de produção para 112,38 milhões de toneladas, de 111,47 milhões na pesquisa de outubro.

Na mesma linha, o diretor da Cerealpar Steve Cachia comentou que "até agora houve clima irregular em algumas áreas, mas não chega a afetar os números", ao passo que a AgRural aumentou sua projeção de produção para 110,20 milhões de toneladas, de 109,90 milhões de toneladas no mês passado.

Na contramão, o Rabobank cortou sua previsão para 107 milhões de toneladas, de 109 milhões de toneladas anteriormente.

"A principal justificativa é que parte das áreas semeadas no final de setembro e primeira quinzena de outubro devem ter sido impactadas pelo volume de chuvas irregular", afirmou o analista de grãos do Rabobank, Victor Ikeda.

"Apesar de o replantio ainda não ser significativo, parte das áreas de soja que já estavam semeadas foi impactada pelo déficit hídrico, perdeu vigor e deve ter o potencial produtivo afetado", acrescentou.

A INTL FCStone também reduziu seu número para 106,07 milhões de toneladas, de 106,73 milhões em outubro --a previsão da consultoria é a mais pessimista dentre as obtidas.

"O recuo decorreu de uma revisão da produtividade esperada, enquanto a área plantada foi mantida inalterada em 35 milhões de hectares. O atraso das chuvas no início do plantio, principalmente nas regiões central e norte, tem se refletido nos trabalhos de campo com a semeadura", destacou a consultoria, em relatório.

QUEDA ANUAL

É unânime, porém, que a produção de soja em 2017/18 será inferior à de 2016/17, que foi marcada por condições climáticas extremamente favoráveis. A média de 109,43 milhões de toneladas é 4,07 por cento menor na comparação anual.

"A maior preocupação para nós é o clima daqui para frente. Com alguns institutos de meteorologia, em semanas anteriores, chegando a falar na possibilidade do pior La Niña das últimas décadas, temos de ter mais atenção e acompanhamento do potencial de produtividade ao longo das próximas semanas e meses", alertou Cachia, da Cerealpar.

Caracterizado pelo esfriamento das águas superficiais do Oceano Pacífico, o La Niña é um fenômeno climático que reduz a quantidade de chuvas na região Sul do Brasil, algo nada bem-vindo para os produtores de soja nos próximos meses.

PESQUISA-Área de soja 17/18 do Brasil cresce mais um pouco na reta final do plantio
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material  relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias ou ataques pessoais dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de registro no futuro, a critério Investing.com.

 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Escreva o que você pensa aqui
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
Postar
Postar também no :
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
Postar 1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Registrar-se com Google
ou
Registrar-se com o e-mail