Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Coerência em comunicação do BC está ancorando expectativas em cortes de 0,5 p.p., diz Galípolo

Publicado 22.02.2024, 10:37
Atualizado 22.02.2024, 12:21
© Reuters. Pessoas caminham em frente ao prédio do Banco Central, em Brasília
14/02/2023 REUTERS/Adriano Machado

Por Fernando Cardoso

SÃO PAULO (Reuters) - O diretor de Política Monetária do Banco Central, Gabriel Galípolo, disse nesta quinta-feira que a "coerência" na comunicação da autarquia está ancorando as expectativas do mercado em torno de um ritmo contínuo de cortes de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, mesmo com a volatilidade do cenário externo.

Seus comentários vieram depois que o Banco Central cortou os juros em meio ponto pela quinta vez seguida em sua última reunião de política monetária, indicando manutenção desse passo para os encontros seguintes em meio à cautela com as expectativas de inflação e de olho no ambiente global.

"Acho que ao longo desse período com toda essa volatilidade no mercado internacional, a coerência na comunicação do Banco Central foi gradativamente ancorando tanto as expectativas dos economistas quanto as apostas do mercado em torno desse 0,5 p.p.", disse Galípolo em evento organizado pela Câmara Espanhola em São Paulo

Galípolo afirmou que, com o atual ritmo de afrouxamento monetário, o BC está conseguindo ganhar tempo para analisar as reações do mercado em meio a todas as variáveis levadas em conta pela autarquia.

Ele explicou que termos como "serenidade" e "parcimônia" na comunicação do BC representam a "humildade" que as autoridades tem tido para acumular o máximo de informações possíveis e interpretá-las com cautela.

Questionado sobre a questão fiscal do país, Galípolo disse que o tema é um desafio, mas que deposita "bastante confiança" no trabalho de revisão de gastos que a ministra do Planejamento, Simone Tebet, está fazendo, que, segundo ele, pode trazer surpresas positivas.

O diretor indicou que, caso a meta de déficit primário zero para este ano não seja alterada ou ocorra uma mudança inferior à esperada, o mercado tende a reagir de forma positiva, uma vez que as expectativas atuais de não cumprimento da meta já estão precificadas nos ativos

"Se não ocorrer uma mudança de meta ou se eventualmente for uma mudança inferior ao que se imagina, acho que o mercado tende a reagir como uma surpresa positiva", afirmou.

No entanto, Galípolo disse também que a queda dos investimentos é uma preocupação para o Brasil do ponto de vista estrutural.

Segundo ele, o país tem uma taxa de investimento "relativamente baixa" há muito tempo, mas ponderou que o Brasil está em posição privilegiada para reverter essa situação, principalmente por suas vantagens competitivas na transição energética.

TENSÕES GEOPOLÍTICAS E CENÁRIO EXTERNO

No evento, Galípolo apontou que elementos geopolíticos recentes, como os conflitos em andamento na Ucrânia e na Faixa de Gaza, ganharam mais relevância para a dinâmica global de preços, principalmente em relação ao petróleo e a alguns produtos agrícolas

Para o diretor do BC, deve se evitar que as tensões geopolíticas promovam um amplo processo de desglobalização, argumentando que o Brasil possui um papel fundamental "pelo tamanho que tem" em impulsionar uma "reglobalização", após as alterações na dinâmica de cadeias produtivas geradas pela pandemia da Covid-19.

© Reuters. Pessoas caminham em frente ao prédio do Banco Central, em Brasília
14/02/2023 REUTERS/Adriano Machado

"Cabe à gente como sociedade esse desafio de não deixar que esses eventos se transformem em uma desglobalização", disse.

Ele acrescentou que o cenário externo pode, no entanto, ser visto de forma positiva do ponto de vista brasileiro, devido à balança comercial favorável do país e à sua exportação líquida de petróleo.

Os comentários de Galípolo vieram em linha com fala recente do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sobre os riscos inflacionários de interrupções do transporte marítimo na região do Mar Vermelho.

Últimos comentários

Não foi o mercado q entendeu foi ele q aprendeu q o mercado manda
Mais um ato criminoso se avançar nos cortes!! Vai chegar a hora que isso vai explodir!! Tenho pena de quem estiver pela frente!!
só louco pra investir na nossa bolsa
Quem tem juízo fica longe de renda variável!! E quem tem amor próprio passa longe das bolsas de valores!!
se for aumento de imposto onde tem subsídios ou nenhuma taxação e pouca contribuição no crescimento do país ou então taxar offshore? Qual o problema?
quem vai investir, com governo q só fala em aumentar impostos?
Kkkkkkkkkkkkkk imagina…será?🤣🤣🤣
Foco nos pequenos empreendedores das Periferias que o milagre acontece.
Relativamente baixa?? Baixíssima. É questão de anos ficarmos mais de 50 anos atrasados em relação a países atrasados. Se compararmos com USA, Coreia, Japão, Alemanha, etc já estamos 50 anos atrás!!
Governo com muita burocracia, carga tributária elevada e pouco confiável juridicamente, somos o retrato da decadência.
Gov de impostos, taxas e corrupção, tá querendo milagre ?
Quem investe em narcoditaduras?
Com Renda Fixa de 2 dígitos 'non ecziste' investimento.
L
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.