Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Sindicatos terminam hoje votação para avaliar apoio à PEC de autonomia financeira do BC

Publicado 02.04.2024, 10:35
Atualizado 02.04.2024, 13:42
© Jessica Bahia Melo  Sindicatos terminam hoje votação para avaliar apoio à PEC de autonomia financeira do BC

Os sindicatos que representam os servidores do Banco Central terminam nesta terça-feira, às 18h (de Brasília), uma votação conjunta online com a categoria para avaliar o apoio do corpo funcional à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de autonomia orçamentária e fiscal do órgão. A votação começou na última terça-feira, 26, e o resultado deve sair na quarta-feira pela manhã. O BC tinha 3.276 servidores ativos em dezembro de 2023, mas segundo a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), com aposentados e pensionistas, o número de votantes pode chegar a 10 mil.

Na segunda-feira, a Associação Nacional de Analistas do Banco Central (ANBCB), que representa cerca de 600 analistas da instituição, a maioria ativos, divulgou uma pesquisa com a participação de mais de 80% dos seus membros que aponta que a maioria (74%) concorda com contribuições para aperfeiçoar a PEC. Outros 6% afirmaram serem favoráveis ao texto na forma como ele está hoje e 18% indicaram ser contrários à PEC, independentemente de alterações.

Foi a primeira vez que a ANBCB afirmou acreditar, com base na pesquisa, que a proposta que tramita no Senado pode ser a solução para a valorização do BC e da carreira de seus servidores, considerado por eles um problema estrutural e um risco para a missão da instituição. Os servidores do BC, por sua vez, são representados por outras duas entidades, o Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal) e o Sindicato Nacional dos Técnicos do BC (SintBacen), que orientaram voto contrário à PEC, independentemente de mudanças.

"O indicativo do Sinal foi 'contra a PEC 65'. Mas o Sinal seguirá o resultado da votação eletrônica seja qual for", disse o presidente do sindicato, Fábio Faiad.

Em linhas gerais, a PEC prevê que o BC deixaria de fazer parte do Orçamento Geral da União (OGU) ao se transformar de autarquia para empresa pública, passando a se financiar com as receitas de "senhoriagem". Os funcionários, por sua vez, deixariam de ser servidores e virariam celetistas, mas o relator do projeto, senador Plínio Valério (PSDB-AM), já se comprometeu a garantir a estabilidade dos servidores do órgão em seu texto.

Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), o BC também tenta amarrar uma proposta de lei complementar para regulamentar a PEC justamente para diminuir resistências adicionais dos servidores.

Mas, segundo Edison Cardoni, analista aposentado do BC e diretor jurídico da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), que tem colaboração política com os sindicatos da autoridade monetária, a diretoria não pode garantir que a PEC ou a lei complementar que fará a regulamentação terá os ajustes considerados necessários para os servidores. "Sabemos como os projetos entram no Congresso, mas não sabemos como saem."

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.