🚀 Ações escolhidas por IA em alta. PRFT com alta de +55% em 16 dias. Não perca as ações de junho!Acessar lista completa

Chile diz que morte de oposicionista venezuelano em Santiago foi política

Publicado 12.04.2024, 19:42
Atualizado 12.04.2024, 19:45
© Reuters. Procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab
26/01/2024
REUTERS/Gaby Oraa

SANTIAGO (Reuters) - O sequestro e assassinato de um membro da oposição venezuelana no Chile, em fevereiro, ocorreu por ordem vinda da Venezuela e é provável que tenha tido motivação política, disse a procuradoria-geral do país, e o governo tentará a extradição de dois suspeitos que fugiram para a Venezuela.

Nas primeiras horas do dia 21 de fevereiro, Ronald Ojeda, um ex-tenente venezuelano de 32 anos, que a Venezuela acusa de traição contra o governo, foi retirado de seu apartamento em Santiago com suas roupas íntimas por homens vestidos como policiais chilenos, mostraram imagens de câmeras de segurança.

Seu corpo apareceu no dia 2 de março em uma mala, enterrada e cimentada nos subúrbios de Santiago.

Falando com repórteres nesta sexta-feira, a ministra chilena do Interior, Carolina Toha, afirmou que os suspeitos, que não foram identificados, “receberam a ordem para realizar esse sequestro. A hipótese mais plausível é que tenha tido motivação política”.

Toha também afirmou que a decisão do presidente chileno, Gabriel Boric, de convocar o embaixador chileno em Caracas na quinta-feira tem ligação com o caso. O Chile disse que está solicitando ajuda da Venezuela no caso, incluindo a extradição de dois outros suspeitos.

O procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab, afirmou em uma rede social nesta sexta-feira que recebeu um pedido de informações do Chile sobre cinco pessoas com possível envolvimento no caso Ojeda, e que seu gabinete está tentando localizar os suspeitos.

Hector Barros, principal promotor da equipe de crime organizado e homicídios de Santiago, afirmou que o crime foi ordenado da Venezuela e é político.

© Reuters. Procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab
26/01/2024
REUTERS/Gaby Oraa

“Estamos falando de uma vítima que participou de ações contra o governo venezuelano e, segundo, que ficou presa por nove meses na Venezuela. Ele escapou e recebeu asilo político no Chile”, disse. “Devido a seu perfil, não há outra linha de investigação.”

A polícia chilena prendeu um venezuelano de 17 anos pelo crime.

(Reportagem de Natalia Ramos, com reportagem adicional de Vivian Sequera em Caracas)

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.