🚀 Ações escolhidas por IA em alta. PRFT com alta de +55% em 16 dias. Não perca as ações de junho!Acessar lista completa

EUA não participarão de qualquer ação retaliatória de Israel contra Irã

Publicado 14.04.2024, 11:58
© Reuters. Objetos são vistos no céu acima de Jerusalém depois que o Irã lançou drones e mísseis contra Israel, em Jerusalém
14/04/2024
REUTERS/Ronen Zvulun

Por James Mackenzie e Parisa Hafezi e Jeff Mason

JERUSALÉM/DUBAI/WASHINGTON (Reuters) - O presidente norte-americano, Joe Biden, alertou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu que os Estados Unidos não participarão de uma contra-ofensiva contra o Irã caso Israel decida retaliar um ataque em massa de drones e mísseis em território israelense durante a noite, disseram autoridades dos EUA.

A ameaça de uma guerra aberta que irrompe entre os arqui-inimigos do Oriente Médio e que arrasta os Estados Unidos colocou a região em estado de alerta, desencadeando apelos por moderação por parte das potências globais e das nações árabes para evitar uma nova escalada.

Os EUA continuarão a ajudar Israel a se defender, mas não querem a guerra, disse John Kirby, o principal porta-voz de segurança nacional da Casa Branca, ao programa "This Week" da ABC neste domingo.

O rei Abdullah da Jordânia disse a Biden num telefonema neste domingo que qualquer nova escalada por parte de Israel ampliaria o conflito na região, informou a mídia estatal jordaniana.

O Irã lançou o ataque devido a um suposto ataque israelense ao seu consulado na Síria, em 1º de abril, que matou os principais comandantes da Guarda Revolucionária e ocorreu após meses de confrontos entre Israel e os aliados regionais do Irã, desencadeados pela guerra em Gaza.

No entanto, o ataque de mais de 300 mísseis e drones, principalmente lançados a partir do interior do Irã, causou apenas danos modestos em Israel, uma vez que a maioria foi abatida com a ajuda dos EUA, Reino Unido e Jordânia.

Uma base da Força Aérea no sul de Israel foi atingida, mas continuou a operar normalmente e uma criança de 7 anos ficou gravemente ferida por estilhaços. Não houve outros relatos de danos graves.

Dois altos ministros israelenses sinalizaram neste domingo que a retaliação de Israel não é iminente e que não agiria sozinho.

"Vamos construir uma coligação regional e cobrar o preço ao Irã da forma e no momento certo para nós", disse o ministro centrista Benny Gantz antes de uma reunião do gabinete de guerra.

O ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, também disse que Israel tem a oportunidade de formar uma aliança estratégica contra "esta grave ameaça do Irã, que ameaça montar explosivos nucleares nestes mísseis, o que pode ser uma ameaça extremamente grave", disse ele. O Irã nega ter procurado armas nucleares.

Entretanto, Israel permaneceu em alerta máximo, com medidas de emergência que deverão permanecer em vigor até à noite de segunda-feira, incluindo a proibição de atividades escolares e limites para grandes reuniões.

“Nas últimas horas, aprovamos planos operacionais para ações ofensivas e defensivas”, disse o contra-almirante Daniel Hagari em comunicado televisionado.

O chefe do Estado-Maior do exército iraniano, major-general Mohammad Bagheri, alertou na televisão que "nossa resposta será muito maior do que a ação militar desta noite se Israel retaliar contra o Irã" e disse a Washington que suas bases também poderiam ser atacadas se ajudassem Israel a retaliar.

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Hossein Amirabdollahian, disse que Teerã informou aos Estados Unidos que seu ataque a Israel seria "limitado" e para autodefesa e que os vizinhos regionais também foram informados dos ataques planejados com 72 horas de antecedência.

Uma fonte diplomática turca disse que o Irã informou antecipadamente a Turquia sobre o que iria acontecer.

O Irã disse que o ataque tinha como objetivo punir “crimes israelenses”, mas agora “considerou o assunto encerrado”.

Rússia, China, França e Alemanha, bem como os estados árabes Egito, Catar e Emirados Árabes Unidos pediram moderação e o Conselho de Segurança da ONU estava marcado para se reunir neste domingo.

Os líderes do G7 condenaram o ataque do Irã e disseram que trabalhariam para estabilizar a situação, alertando em um comunicado que Teerã arriscava “uma escalada regional incontrolável”.

© Reuters. Objetos são vistos no céu acima de Jerusalém depois que o Irã lançou drones e mísseis contra Israel, em Jerusalém
14/04/2024
REUTERS/Ronen Zvulun

(Reportagem de James MacKenzie e Maayan Lubell em Jerusalém, Parisa Hafezi em Dubai, Jeff Mason em Washington, Suleiman al-Khalidi em Amã e Nidal al-Mughrabi e Adam Makary no Cairo)    

((Tradução Redação Rio de Janeiro))     

REUTERS MN

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.