Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Entrevista: Alexandre Schwarstman vê Brasil perto de afundar no caminho errado

Economia22.10.2021 10:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Entrevista: Alexandre Schwarstman vê Brasil perto de afundar no caminho errado

Reconhecido pela análise independente da macroeconomia brasileira, o economista Alexandre Schwartsman está desanimado com o Brasil. Para além dos problemas fiscais e da inflação e juros em alta, o ex-diretor do Banco Central e ex-economista-chefe do Santander tem dificuldade de enxergar uma luz no fim do túnel a partir do prenúncio da corrida ao Palácio do Planalto.

“Nós teríamos que forjar um consenso para ajustar essas questões. E, politicamente, é uma coisa complicada. As alternativas que estão se delineando para o ano que vem ou é de continuidade desta administração incompetente, ou a volta do PT”, diz o consultor da Schwartsman & Associados, em entrevista ao Mercado News.

Para ele, o esforço do Banco Central em trazer a inflação para baixo no ano que vem vai custar um crescimento mais fraco, mantendo elevada a taxa de desemprego. Um sinal de alerta sob a perspectiva eleitoral. “Justo ou injusto, as pessoas numa situação como essa tendem a atribuir ao governo a culpa da situação econômica do País.”

A seguir, leia os principais trechos da conversa:

Mercado News – O que tira seu sono na economia brasileira no momento atual?

Alexandre Schwarstman – Estou muito pessimista e desanimado com o País de maneira geral.

Nós temos desafios grandes e tivemos oportunidade para lidar com eles, particularmente o mercado internacional, em que pese altos e baixos, de maneira geral, extraordinariamente favorável para mercados emergentes, com juro baixo, crescimento, preços de commodities bombando, dinheiro a rodo…

Tivemos uma janela de oportunidade extraordinária para lidar com os nossos problemas. Eu tenho plena consciência de que qualquer coisa que você faça só vai se materializar daqui alguns anos, mas era exatamente nesta janela que teríamos que fazer as coisas, aproveitar essas condições.

Fizemos pouco da nossa agenda de reforma econômica. Fizemos reforma da Previdência, mas não fizemos nada na parte tributária, nada na parte administrativa, nem em termos de abertura econômica.

Eu olho para o conjunto da obra e vejo que a gente desperdiçou os últimos anos. E as perspectivas são ruins. Temos um País que cresce pouco. Vai crescer 5% neste ano porque caiu 4% no ano passado – está crescendo pela base de comparação muito deprimida. Mas é um País que se espera crescer 1,5%, 2% quando vai bem.

Temos um problema fiscal não resolvido. Está todo mundo fingindo que está tudo bem porque a inflação bastante alta neste ano deu uma comida na dívida. Mas estão achando que isso vai acontecer todo ano, e não vai.

Temos um problema de produtividade, enfim, para onde olharmos, o País ficou no corner.

Para agravar isso tudo, nós teríamos que forjar um consenso para ajustar essas questões. E, politicamente, é uma coisa complicada. As alternativas que estão se delineando para o ano que vem ou é de continuidade desta administração incompetente, ou a volta do PT. Mas não é o Lula de 2003-2006, é o Lula do fim do governo dele, da Dilma Rousseff, podemos esperar política econômica de gasto e intervenção.

Então não somente estamos mal, mas a perspectiva para frente não é mudar o rumo. É qualquer coisa para afundar no rumo errado.

Mercado News – Discute-se a PEC dos Precatórios (aprovada pela comissão especial da Câmara) como uma alternativa para acomodar o Auxílio Brasil perante o teto de gastos. Qual a sua posição?

Alexandre Schwarstman – Eu vejo essa discussão e sempre me lembro do François La Rochefoucauld: “A hipocrisia é uma homenagem que o vício presta à virtude.”

Esse negócio da PEC dos Precatórios é fingir que você está atendendo o teto dos gastos. O Brasil tem uma fixação por fazer algo fora do espírito de uma regra, que não seja uma violação flagrante, e aí vai fazendo. É a pedalada.

Vamos assumir que não pagaremos os precatórios. Precisa pagar R$ 90 bilhões ano que vem e pagaremos R$ 40 bilhões – deixaremos de pagar R$ 40 bilhões. Ora, você se endividou em R$ 40 bilhões, se não pagou o que devia. Experimenta falar no banco que vai pagar somente metade do cheque especial. Tudo bem, a outra metade vai continuar lá e você pagará juros.

Em algum momento, você precisará pagar os precatórios, que passam por correção de Selic. Ou seja, no que isso é diferente de uma LFT? É dívida do mesmo jeito. Pagará juros em cima disso. Portanto, não é solução. Só permite que se aumente o gasto.

Então você aumenta o gasto e finge que não está aumentando porque, do ponto de vista jurídico, o teto de gastos está funcionando. Desculpa, mas isso é autoengano na veia. Hipocrisia.

A história toda é que o governo quer o Auxílio Brasil. Tudo bem, eu não sou contra o Auxílio Brasil. Acho que temos um espaço para política social no País. Mas a questão, obviamente, é maximizar as chances de reeleição do presidente da República.

Mercado News – Há quem destaque os indicadores fiscais recentes que vieram com superávit.

Alexandre Schwarstman – Essa questão de curto prazo é outro ‘me engana, que eu gosto’. Sabemos que a raiz dessa melhora fiscal é a inflação alta. A inflação alta infla as receitas, enquanto as despesas ficam para trás, ao menos em um primeiro momento. Isso melhora o desempenho fiscal.

Mas é uma inversão de fatores. Se você quer ter uma situação fiscal sólida, mantenha a inflação baixa. Não se resolve a situação fiscal tendo inflação alta. É aquela história do ‘queijo suíço`: quanto mais queijo, mais buraco; quanto mais buraco, menos queijo.

O Banco Central está brigando para trazer a inflação para a meta no ano que vem. Provavelmente não vai conseguir. Mas não vai ser a inflação que deve fechar este ano, da ordem de 8,5%, 9%. Vai ser 4%, 4% e alguma coisa. Então esse ganho inflacionário não estará aí. Por outro lado, boa parte dos gastos do governo, como salário mínimo, será reajustada pela inflação deste ano.

Bom, então a despesa cresce no ano que vem e a receita não, porque a inflação vai ser menor. É um fenômeno absolutamente temporário.

Mercado News – A natureza desta inflação pelo lado da oferta reforça o viés temporário?

Alexandre Schwarstman – É uma inflação temporária porque o Banco Central vai agir. Em parte, alguns desses impactos vão se dissipar, mas também porque o Banco Central está agindo no sentido oposto. Se o BC não agisse, seria permanente. A inflação cai porque você trabalha para isso.

O Banco Central pode ter trocado de pé neste ano, mas tem dado todas as indicações de que não pretende repetir o erro no ano que vem. Então, podemos contar com certo esforço para trazer a inflação para baixo. Será mais baixa no ano que vem e vai custar. Vai custar um juro mais alto e um crescimento mais baixo.

Mercado News – Na sua visão, então, mesmo com a postura mais incisiva do Banco Central, não vai dar tempo para uma percepção de nível geral de preços mais baixa em 2022?

Alexandre Schwarstman – Não é só uma questão de inflação acima da meta. Não é um grande tema a inflação ficar acima da meta, se não ficar muito acima. Mas para conseguir isso, o Banco Central vai subir a Selic para 9%, 9,5%, e isso vai ter um impacto na atividade econômica. Eu já levei muita ‘porrada’ por conta disso, mas a inflação não cai por gravidade. Para trazer para baixo, tem um custo do ponto de vista de atividade econômica, emprego, etc. E esse custo vai se materializar no ano que vem. E isso, sim, reduz as chances de reeleição do governo. Você não vai crescer muito em 2022.

É difícil confiar muito nas regularidades empíricas que valiam antes da pandemia, e saber se elas valem depois. Mas, ao menos no período pré-pandemia, se não crescesse bem mais do que 1%, 1% e pouco ao ano, o desemprego não saía do lugar. O consenso de mercado é crescer em torno de 1,5%. Tem gente que acha que cresce menos. Então, com esse ritmo, a gente não vai trazer o desemprego muito para baixo. Sem isso, essa sensação ruim que temos vai continuar. Muita gente perdendo emprego, alguns retornando agora ao mercado de trabalho, nos últimos 2, 3 meses.

Esse aumento da população em busca de emprego somado ao crescimento baixo é uma sinalização de que nossa taxa de desemprego vai continuar alta. Politicamente falando é um peso para qualquer um que esteja no poder naquele momento. Justo ou injusto, as pessoas numa situação como essa tendem a atribuir ao governo a culpa da situação econômica do País.

Se a situação não está boa será atribuída ao governo. E boa parte é culpa do governo mesmo.

Mercado News – E como deve ficar o custo da dívida com os juros mais altos?

Alexandre Schwarstman – Veja, este ano, apesar do aumento da Selic, a Selic média no ano (em torno 5%) será inferior à inflação (em torno 8,5%). Isso quer dizer que pagamos juros negativos na dívida. O juro que pagamos não foi suficiente para repor a perda inflacionária. Então, a questão da evolução da dívida também se beneficiou da inflação extraordinariamente alta neste ano e de um crescimento do PIB mais forte, sob a ótica relação dívida/PIB.

Imaginamos que o Banco Central vai trazer a inflação para baixo com o juro para cima, então estamos falando de uma Selic na casa de cerca 9% para uma inflação na casa de 4%, então volta a ter juro real positivo. E o crescimento do PIB não será de 5%, será de cerca de 1%, 1,5%. Temos uma força muito poderosa no sentido de elevar a relação dívida/PIB em 2022, em 2023, em 2024… Nós não mudamos a dinâmica. O que tivemos foi somente um ano de inflação alta e crescimento alto.

O que faria mudar a tendência da dívida? Passar a ter superávits primários. Agora, concretamente falando, nós não estamos contemplando essa possibilidade no ano que vem e, provavelmente, também não em 2023 e, provavelmente, não mais, dependendo do resultado de eleição.

Mercado News – O senhor ainda vê espaço para avanço de reformas e da agenda econômica?

Alexandre Schwarstman – Não. Tomara que não avance a reforma administrativa porque ela piora o que temos hoje. A questão da reforma tributária, então… Tínhamos um projeto super bem estruturado no que diz a respeito à reforma da tributação indireta, que é o grande problema do País, do ponto de vista tributário. E a gente não está avançando nada. Ao invés de pegar o projeto do Bernard Appy e levar adiante, ficamos um longo tempo no debate em cima da CPMF, que não avançou. Quando veio o projeto concreto, era uma versão aguada do que era o projeto do Appy. E o que acabou se materializando foi a história da mudança do Imposto de Renda, que também saiu um monstrengo.

Eu mando algo para o Congresso e depois abandono, deixo à própria sorte. Não é assim que funciona. Em outro contexto, no início do governo Lula, quando houve a discussão de Lei de Falências, todo dia o Marcos Lisboa estava no Congresso discutindo com os parlamentares. Não é só mandar a reforma e acabou o problema. Não, você mandou a reforma, então começaram os seus problemas. Precisa tentar aprovar do jeito mais próximo daquilo que fora formulado. Formular de um jeito e permitir que o Congresso o desfigure, não serve. As reformas acabam ficando uns monstrengos.

Se o governo não articular para aprovar, você manda um cavalo e sai um camelo. Precisa fazer articulação e não tem ninguém que faça.

Mercado News – Levando em conta que um cenário de polarização eleitoral se anuncia e que já tivemos uma mostra do governo atual, quão verdadeiramente pior para os mercados poderia ser uma candidatura Lula, se comparada a um segundo mandato de Bolsonaro?

Alexandre Schwarstman – Veja, a continuidade do governo Bolsonaro seria mais dessa incompetência que temos visto. Ele não é alguém que acredita em privatização, continua sendo um sindicalista do meio militar por extensão do funcionalismo. Então a perspectiva de reformas é baixíssima.

O Bolsonaro é um fardo para a economia nacional, além dessa ‘competência extraordinária` que vemos do ponto de vista de articulação política.

Já o Lula é uma outra vertente de autoengano quando se fala em repetição do que ele fez de 2003 a 2006. Quando o Lula assumiu em 2003, ele encontrou a casa em ordem. Chegou lá e tinha as contas públicas arrumadas, herdou um superávit primário pronto. Ele não mexeu em nada e conseguiu colher os benefícios disso, e deu sorte com um boom de commodities extraordinário no meio do caminho.

A situação hoje não é essa. Temos as contas desarrumadas e precisa fazer reforma. Essas reformas vão direto em cima do eleitorado dele. E não é só isso, política econômica do PT de verdade é a política dos anos finais do Lula e da Dilma. O que ele fala? ‘Vou acabar com teto de gastos’. Esse é o pessoal que tentou a enésima ressurreição da indústria naval no Brasil, dos campeões nacionais do BNDES, do gasto corrente é vida. Eu desconfio que Lula seria desastroso.

(Colaborou João Pedro Marinho)

Por Mercado News

Entrevista: Alexandre Schwarstman vê Brasil perto de afundar no caminho errado
 

Artigos Relacionados

Mega-Sena deve pagar hoje prêmio de R$ 16 milhões
Mega-Sena deve pagar hoje prêmio de R$ 16 milhões Por Agência Brasil - 04.12.2021

Agência Brasil - O concurso 2.434 da Mega-Sena deve pagar neste sábado (4) o prêmio de R$ 16 milhões a quem acertar as seis dezenas. O sorteio será feito às 20h, no Espaço Loterias...

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (115)
Mant Neuman
BombeiroAristide 02.11.2021 14:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Texto irretocável !!!! Quem ler de forma isenta, é obrigado a concordar.
Jorge Rahmann
LuckyBlue 24.10.2021 13:50
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A escolha de Sofia, entre dois que já provaram que deram errado para o Brasil. Um provou ser extremamente incompetente, o outro extremamente ladrão com apoio da corja dos “parasitas concursados ou não”. Entra governo, sai governo e ninguém mexe nos privilegiados da corte de Maria Antonieta. É preciso que apareça um candidato com coragem cujo plano de governo traga foco em produtividade, crescimento e privatização da Petrobras, Eletrobras, Banco do Brasil e Caixa para que nos livremos de uma vez por todas deste modus operandi de troca de moeda governamental entre governo e partidos políticos.
Marcos Pereira
Marcos Pereira 24.10.2021 10:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O que esperar de um ex-diretor do governo Lula da Silva?
Mant Neuman
BombeiroAristide 23.10.2021 8:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
CHAMA O MEIRELES. Chega de incompetência e roubalheira.
Carlos Mailart
Carlos Mailart 23.10.2021 7:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Rarararararara...
Oficina DV
Oficina DV 23.10.2021 7:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
com certeza que esse analistas aii levava uma parte aii da Rouanet tá fazendo ou ou algum recurso que o ladrão de 4 dedos oferecia só prós milionários se a era PT voltar o Brasil tá na merrrrrrrrrrrdaaaaaa PT nunca mais o meu pais é o Brasil e não cuba nem Venezuela e o meu presidente tem 10 dedos #bolsonaro2022🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷
André Oliveira
André Oliveira 23.10.2021 7:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Fanatismo puro!
Richard Barbosa
Richard Barbosa 23.10.2021 7:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gado Imundo
Richard Barbosa
Richard Barbosa 23.10.2021 7:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
é por essas e outras que a nossa economia está indo pro buraco. , fanatismo político seu canalha
Omaha Silva
Omaha 23.10.2021 6:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O Brasil precisa eleger o bitcoin para moeda nacional
Rodrigo Matos
Rodrigo Matos 23.10.2021 2:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Primeiro lugar as eleições- Segundo lugar o Brasil
Lucas De Paiva
Lucas De Paiva 23.10.2021 1:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Otima materia!
pericles periclesplb
pericles periclesplb 22.10.2021 18:28
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Os economistas de nome neste país precisam se posicionar contra a DOLARIZAÇÃO da economia e O FIM DA ESTABILIDADE DO REAL. Retrocesso de 30 anos!!!!
luiz paes
luiz paes 22.10.2021 18:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
bombeiro amigo é pago pra falar aqui
Silvan Sil
Silvan Sil 22.10.2021 18:01
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Só digo uma coisa... vão para pqp essa mídia lix.o... Somos todos BOLSONARO 🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷
André Oliveira
André Oliveira 22.10.2021 18:01
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Tá nervoso g@ do?
Flavio Moura
Flavio Moura 22.10.2021 17:53
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
kkkkkkkkkkkkkkk _I_ NO C000L do inimigos do Brasil GIobo PT PSDB maçonaria Kkkkkkkkk Deus acima de tudo reaaaaaalizando com a toIice dos que seguem essa turma quem poIitiza não reaIiza quem Iacra nao Iucra kkkkkkkkkkk
Gil Pires
Gil Pires 22.10.2021 17:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Sim, vai afundar junto com todas as economias do mundo. Só que nós vamos ficar com o pescoço de fora e a Europa e USA só no fôlego...
Andollinni Carleone
Andollinni Carleone 22.10.2021 17:36
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Tava mais que na cara que essa pandemia e o “fica em casa” ia gerar inflação no mundo todo. A diferença é que na B3 a especulação é além do normal.
Daniel Freiberger
Daniel Freiberger 22.10.2021 17:31
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ótimo.. extamente . Onde há inflacão há aumento receita. Ou seja, os resultados não são reais....
Mant Neuman
BombeiroAristide 22.10.2021 17:31
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Não adianta falar. Isso é a unica ancora que o gado tem para se agarrar.... Os indices de inflação, desemprego, mortes, PIB 2021/22 estão entre os piores do mundo....
REINALDO Zulato
REINALDO Zulato 22.10.2021 17:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Afundar no caminho certo não dá né, tem que ser no errado, KKKKKKKKKKKKK
ELCIO ROBERTO
ELCIO ROBERTO 22.10.2021 17:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
"O CÍRCULO NEGRO" - Compre ao som dos canhões e venda ao som dos violinos. Mas que diferença deste governo para aquele de 2002 à 2010. Aquele resolvia crises economicas obrigando a população a se endividar (62% dos brasileiros ainda estão pagando por essa "política"). Este se endivida para ajudar aos mais vulneráveis em meio a uma crise sanitária e economica mundial sem precedentes. Para alguns a REALIDADE é uma fantasia eterna. Fique em casa e deite-se no seu caixão, o mundo aqui fora não é para voces.
Narciso Barreto
Narciso Barreto 22.10.2021 16:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O colunista esqueceu que demoniou o PT, apoiou o golpe e a eleição do Bozo ? Memória fraca ou pilantragem mesmo ?
Andre Sucupira
Andre Sucupira 22.10.2021 16:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
É um vagabundo
Andre Sucupira
Andre Sucupira 22.10.2021 16:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Falastrão
Mant Neuman
BombeiroAristide 22.10.2021 16:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Perfeita colocação!!!  As alternativas que estão se delineando para o ano que vem ou é de continuidade desta administração incompetente, ou a volta do PT.
Gusto Oliveira
Gusto Oliveira 22.10.2021 16:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ta bom amigo, ironia demais fica chato. Senta la.
Mant Neuman
BombeiroAristide 22.10.2021 16:54
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O mercado ficou nervosinho, só pq ninguém vai trabalhar para ganhar salário mínimo. Viramos Cuba. 400 do demente, mais vale gás, mais 200 dos Estados, mais cesta básica,,... Melhor ficar em casa e fazer um bico ou outro. Por tabela, aumenta o rombo da previdência com menos gente contribuindo. Aumenta a inflação dos salários, aumenta a inflação do consumo. Um fenômeno.
Gusto Oliveira
Gusto Oliveira 22.10.2021 16:54
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Curti o Sarcasmo. Parabens. Ficou muito engraçado. rs
Samuel Ribeiro
Samuel Ribeiro 22.10.2021 16:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns pelo texto! Fora bozo! LULA 22
Gusto Oliveira
Gusto Oliveira 22.10.2021 16:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Curti o sarcasmo.
Marcos Pereira
Marcos Pereira 22.10.2021 16:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O Sr. Quis dizer “fora honesto! Volta ladrão?”
Anderson Leandro
Anderson Leandro 22.10.2021 16:50
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
vende tudo aí q eu tô comprando ..acredito muito no potencial do meu país...
caio tacla
caio tacla 22.10.2021 16:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Rei Jair I, o indestrutível
Junior Batista
Junior Batista 22.10.2021 16:34
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Esse comentário é mais político que técnico, pena que opiniões assim tenham efeito no mercado financeiro.
Pina Well
Pina Well 22.10.2021 16:34
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ui, falou me mito eu fiko puthimha
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail