Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Mercado financeiro apoia projeto que cria novo marco de garantias

Ações27.11.2021 14:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Mercado financeiro apoia projeto que cria novo marco de garantias

Agentes do setor financeiro avaliaram de forma positiva o texto do projeto de lei do novo marco das garantias, apresentado na quinta-feira pelo governo federal e que ainda depende de aprovação do Congresso. Demanda antiga do setor, a mudança em algumas regras para o uso de bens como garantia foi bem vista. Especialistas acreditam que, se aprovado, o projeto trará mais eficiência, mas que os efeitos mais claros devem aparecer apenas diante de um cenário macroeconômico mais estável.

Um dos principais pontos do projeto determina que um bem imóvel que já foi dado como garantia a um empréstimo possa ser também utilizado como garantia a outro crédito, desde que ambos sejam concedidos pelo mesmo credor. O texto também traz alterações à legislação atual para tornar mais segura, do ponto de vista jurídico, a execução das garantias. E cria ainda o agente de garantias, que irá constituir e gerir garantias em nome dos credores.

O setor financeiro brasileiro historicamente considera que recuperar garantias é caro e difícil, o que encareceria o crédito em novas concessões e traria ineficiências ao sistema. Em especial nos grandes bancos, linhas de crédito com garantias são importantes porque, embora tendam a ter rendimento menor, equilibram os riscos maiores de linhas mais rentáveis.

O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Isaac Sidney, afirmou em nota que a entidade recebe as mudanças propostas com otimismo. "A experiência mostra que o crédito se expande quando temos algumas condições, como um ambiente de negócios que contribua para mitigar o risco de inadimplência e de perdas com as operações de crédito", disse ele.

Sidney ressaltou que a recuperação de garantias no País é baixa, demorada e cara. "A consequência imediata é que os custos do crédito sobem e os juros ficam mais altos para os tomadores, tanto as famílias como as empresas", afirmou. Segundo ele, a proposta do governo tem o potencial de ampliar as garantias, o que deve incluir mais famílias e empresas no ciclo do crédito.

OFERTA. Fausto Ribeiro, presidente do Banco do Brasil (SA:BBAS3), reforçou a percepção de que, se aprovado, o texto ajudará a aumentar o crédito no País. "O projeto de lei tem grande potencial para ampliar a oferta de crédito pelo sistema financeiro do País e melhorar as condições oferecidas aos clientes, na medida em que moderniza e traz mais segurança ao sistema de garantias", disse, também via nota.

Já o CEO do Itaú Unibanco (SA:ITUB4), Milton Maluhy, disse que o projeto é bem-vindo e que deve reduzir o custo do crédito e os spreads (diferença entre o custo de captação dos bancos e os juros cobrados dos clientes). "O projeto de lei que institui o Novo Marco de Garantias busca fortalecer o arcabouço legal na concessão de crédito a pessoas e empresas no Brasil, uma demanda histórica do sistema financeiro", declarou.

FINTECHS

A Zetta, associação que representa fintechs como Nubank, Mercado Pago, Creditas e bancos digitais, como Inter e Modalmais, disse que o novo marco "poderá ser muito importante para ampliar e democratizar o acesso ao crédito". Lauro Gonzalez, coordenador do Centro de Estudos em Microfinanças e Inclusão Financeira da FGV, afirma que as mudanças podem reduzir os custos de execução das garantias, o que ajudará o mercado de crédito como um todo. Entretanto, ressalta que os efeitos devem ser maiores para pessoas que já estão incluídas no mercado de crédito, e se tornarão mais visíveis quando as mudanças virarem modelo de negócio - e sob condições econômicas favoráveis.

Gonzalez, que lembra que um dos pontos mais sensíveis para liberar, ou não, um empréstimo é a capacidade de pagamento de quem pede os recursos. "Nos últimos anos temos um certo nível de achatamento da renda e de alavancagem das famílias, o que significa que diante das perspectivas de uma renda e de um mercado que continue deprimido do lado da oferta, a capacidade de pagamentos cai." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mercado financeiro apoia projeto que cria novo marco de garantias
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (3)
Ricardo César
Ricardo César 28.11.2021 2:02
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Bancos "bonzinhos" vão baixar 1% na taxa e terão uma super garantia. O resto não vai baixar.
Mamoru Uehara
Mamoru Uehara 27.11.2021 16:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
agora sim vc vende sua casa 33% nao paga...pega mais 33% nao paga pega mais 34% nao paga e perdeu a casa. ta certo. melhor do que vender 33% do local.
Haras Diesel
Haras Diesel 27.11.2021 16:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Essa é a lógica
Fernando Borelli
Fernando Borelli 27.11.2021 15:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Mais uma excelente medida do governo do Presidente Bolsonaro. Parabéns!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail