Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Banco Central libera compras pelo WhatsApp; veja como vai funcionar

Publicado 03.03.2023, 11:00
Atualizado 03.03.2023, 11:10
Banco Central libera compras pelo WhatsApp; veja como vai funcionar

CriptoFácil - O Banco Central autorizou pagamentos de pessoas para lojistas (P2M) por meio do WhatsApp. A liberação ocorre cerca de dois anos após o BC liberar as envio de dinheiro entre pessoas físicas pelo app. A função vai entrar em funcionamento em abril e pode impulsionar as transações comerciais pelo app de mensagem da Meta, bem como as transferências entre pessoas físicas.

O anúncio foi feito pelo BC na quinta-feira (02). Em nota, a autoridade monetária do Brasil informou que cessou as medidas coercitivas aplicadas a Mastercard e a Visa, que haviam suspendido a realização de transações de pagamento por meio do WhatsApp.

“Dessa forma, não há mais impedimentos regulatórios para a realização de transações de compra com cartão de crédito, de débito e pré-pago por meio do WhatsApp (P2M). Essa nova funcionalidade se junta à realização de transferências de recursos entre usuários desse aplicativo, autorizada em março de 2021 (P2P)”, disse o BC.

Contudo, o Banco Central observou que, mesmo após a liberação, a adesão de novas instituições que queiram atuar como credenciadores ou emissores na solução deverá permanecer aberta. Além disso, o BC determinou que o início dos pagamentos por meio do WhatsApp deve ser informado a todos os participantes dos arranjos de pagamento com antecedência de, pelo menos, 30 dias.

Compras pelo WhatsApp

Por enquanto, as empresas estão concluindo os testes das credenciadoras parceiras da solução, como a Cielo (BVMF:CIEL3), a Getnet (BVMF:GETT11), o Mercado Pago, a Rede e outras. Após a conclusão dos testes, os usuários poderão pagar por produtos e serviços em uma conversa no app. Para isso, só precisarão usar cartões de débito e crédito das bandeiras Mastercard e Visa.

Grandes entidades bancárias vão oferecer a solução como, por exemplo, o banco Itaú (BVMF:ITUB4), o Santander (BVMF:SANB11), o Nubank (BVMF:NUBR33), o Inter e o BTG Pactual (BVMF:BPAC11).

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a chegada de novas opções de pagamento está em linha com a ideia de que a competição é a melhor forma de estimular a inovação, aumentar os benefícios aos clientes e reduzir os custos para a sociedade.

WhatsApp e Visa celebram a liberação pelo BC

O chefe do WhatsApp na América Latina, Guilherme Horn, celebrou a notícia em suas contas nas redes sociais.

“Hoje é um dia feliz aqui para nós. Recebemos com satisfação a notícia da autorização para o lançamento de nosso serviço de pagamentos de pessoas para pequenas e médias empresas pelo Banco Central.”

Ainda segundo Horn, a Meta criou uma plataforma aberta “com a participação de vários adquirentes brasileiros”. O objetivo foi “assegurar o acesso do maior número possível de empresas e pessoas ao serviço”. Além disso, o executivo destacou que o pagamento P2M pelo app terá um grande impacto para todas. Isso porque trará mais facilidade e mais simplicidade para os usuários. Ao mesmo tempo, ajudará as pequenas e as médias empresas a aumentarem as suas vendas por meio do app.

A Visa Inc BDR (BVMF:VISA34) disse, em nota, que recebeu “com entusiasmo” a notícia do BC porque acredita no potencial da solução para impulsionar a inclusão no país.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.