Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

Últimas Notícias

Enauta tem uma produção média de 10,4 mil boe por dia em setembro

Dólar sobe 1,94% com tensão geopolítica e falas de dirigentes do Fed

Moedas 03.08.2022 05:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Dólar sobe 1,94% com tensão geopolítica e falas de dirigentes do Fed
 
EUR/USD
-0,69%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
USD/JPY
+0,27%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
USD/ZAR
+0,89%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
USD/BRL
+0,59%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
DXY
+0,84%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Em trajetória ascendente desde a abertura dos negócios, o dólar acelerou os ganhos no mercado doméstico de câmbio ao longo da tarde e encerrou a sessão desta terça-feira, 2, em alta de 1,94%, cotado a R$ 5,2792, após ter registrado máxima a R$ 5,2801. O dia foi marcado por uma corrida global à moeda americana. À tensão geopolítica entre China e Estados Unidos desencadeada pela visita da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan, somou-se um rearranjo de apostas para o ritmo de alta dos juros americanos, na esteira de declarações duras de dirigentes do Federal Reserve (Fed).

Termômetro do desempenho do dólar frente a uma cesta de seis divisas fortes, o índice DXY operou em alta firme e voltou a superar os 106,300 pontos, com ganhos frente ao euro e ao iene. O dólar também subiu em bloco na comparação com divisas emergentes e de países exportadores de commodities, com alta superior a 2% ante pares do real como o rand sul-africano e os pesos mexicano e chileno.

As taxas das Treasuries dispararam, com o retorno do papel de 2 anos - mais ligado às perspectivas para o aperto monetário nos EUA - subindo mais de 6% e voltando a passar de 3%. Ala relevante do mercado volta a encampar a aposta de que o Fed pode elevar a taxa básica em 75 pontos-base em setembro - hipótese que havia minguado na semana passada, após o presidente do BC americano, Jerome Powell, dizer que seria apropriado diminuir o ritmo do ajuste monetário, dado que a taxa básica já estaria perto do nível neutro.

Dirigentes do Fed com direito a voto nas reuniões de política monetária falaram duro hoje. Pela tarde, a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, disse, em evento, que a inflação nos EUA "não esfriou de forma alguma" e que o BC americano ainda "tem mais trabalho a fazer". Pela manhã, a presidente do Fed de São Francisco, Mary Daly, já havia alertado para os riscos inflacionários ao dizer que o trabalho do BC americano não está nem perto de ser concluído. "Nós elevaremos os juros e os manteremos lá por um tempo".

"O dólar está se valorizando frente a todas as divisas emergentes. Esse movimento está sendo guiado por fatores técnicos e, principalmente, pelo temor de que o Fed mantenha uma postura mais 'hawkish' nas próximas reuniões", afirma o especialista em mercados internacionais do C6 Bank Gabriel Cunha, ressaltando que a parte curta da curva de juros americana sobe mais de 20 pontos-base, impulsionando o dólar. "Membros do Fed indicaram hoje que a inflação ainda está muito alta e não descartam uma nova alta de 0,75 ponto na próxima reunião".

Embora a perspectiva de elevação dos Fed Funds em 50 pontos-base em setembro siga majoritária, a aposta em alta de 75 pontos subiu de 29% ontem para 40,5% hoje à tarde, segundo monitoramento do CME Group. Relatório Jolts mostrou que a abertura de postos de trabalho nos EUA caiu a 10,698 milhões em junho, após 11,303 milhões em maio (dado revisado). As expectativas são para a divulgação, na sexta-feira (5) do relatório de emprego nos EUA (payroll) em julho.

Para o economista-chefe da Frente Corretora, Fabrizio Velloni, a escalada do dólar no exterior hoje está mais ligada a questões geopolíticas que às apostas em torno da intensidade e magnitude do aperto monetário nos EUA. Velloni lembra que havia a possibilidade de os governos americano e chinês costurarem acordo para suspensão de tarifas, o que ajudaria a retomar os fluxos comerciais e de abastecimento e, por tabela, a controlar a inflação.

A China considera a ilha de Taiwan, onde os nacionalistas chineses ser refugiaram em 1949 após perder a guerra civil contra os comunistas, ainda parte do seu território e reivindica uma reintegração. O recrudescimento das tensões geopolíticas volta a suscitar temores intervenção chinesa em Taiwan, levando a uma crise com o Ocidente. A China anunciou realização de exercícios militares e navais no estreito de Taiwan.

"Essa visita da Pelosi a Taiwan gera muita insegurança e faz o mercado correr para o dólar. Mas acredito que esse movimento deve perder força quando essa visita terminar", diz Velloni, para quem o nível de R$ 5,20 como adequado para a taxa de câmbio. "Na próxima reunião do Fed, o panorama de inflação deve estar melhor. O payroll de sexta-feira já deve refletir um mercado menos aquecido", afirma.

Por aqui, o mercado não espera grandes surpresas da decisão amanhã do Copom. A expectativa majoritária é de alta da taxa Selic em 0,50 ponto porcentual, para 13,75% ao ano. A dúvida é se o Banco Central vai manter a porta aberta para uma alta adicional da taxa básica em setembro ou decretar o fim do ciclo de aperto monetário.

Dólar sobe 1,94% com tensão geopolítica e falas de dirigentes do Fed
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (7)
Mamoru Uehara
Mamoru Uehara 03.08.2022 8:01
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
lixo subiu pq selic sobe pouco ai a tarde cai
Mantt Newmann
Mantt Newmann 03.08.2022 7:09
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Real é moeda podre. No presente essa moeda não vale nada graças aos vagabundos Bozo e Lula que votaram contra e destruíram o Plano Real.
Celso Santos
Celso Santos 03.08.2022 6:43
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Dólar é moeda podre. Em um futuro breve essa moeda não valerá nada. A mídia sempre forçando essa ideia de que dólar é bom: "comprem, comprem, comprem, porque é a moeda padrão do mundo!" Falácia! O objetivo dos EUA é atacar, por meio do câmbio, os países que ele considere ameaça aos seus objetivos geopolíticos: China e Rússia.E isso se dará tb pelo fortalecimento do dólar. Daí essa massificação de reportagens sempre declarando que o dólar deve se valorizar frente as demais moedas emergentes, porque o mundo está em uma iminente crise global ( como se nós já não estivéssemos). Me poupe. As matérias são sempre rasas, informações incompletas e induz o leitor com pouco conhecimento de mercado e geopolítico a erro.
roberto gadioli
roberto gadioli 03.08.2022 6:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
rumo aos r$ 6,00. b.o.l.s.o.n.a.r.o é um #governoDeM.E.R.D.A
Alexander Artemenko
Alexander Artemenko 03.08.2022 6:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
acho que você que é.
Luciano Machado
Luciano Machado 03.08.2022 6:37
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
FED tá perdido não se entendem mais estão brincando com a inflação que vai se realimentar virando hiperinflacao.Nao tem outro remédio para levar a inflação a níveis das metas.As taxas de juros teem que estar nos níveis da inflação atual que vai gerar uma recessão quanto maior a taxa maior a recessão mais rápido a queda da inflação podendo então diminuir as taxas de juros na velocidade da queda da inflação.Isto quer dizer que a taxa de juros deveria estar no mínimo a 5%.
Athanase Patsea
Athanase Patsea 03.08.2022 6:15
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Estamos vendo o começo do fim da hegemonia Americana e do dolar....
Lucas Felipe
Lucas Felipe 03.08.2022 6:15
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
mesma conversa dos anos anteriores...
Alexander Artemenko
Alexander Artemenko 03.08.2022 6:15
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
já começou faz tempo. Hoje a estabilidade do dólar interessa a própria china. Grande detentora de títulos americanos. mas também pode tirar a escada, se sacar. como chinês gosta de dinheiro, os americanos não contam com isso. seria queimar dinheiro. mas guerra é guerra. é bom os americanos não brincarem com isso. a única coisa que segura a economia deles hoje é o padrão dólar.
Athanase Patsea
Athanase Patsea 03.08.2022 6:09
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Sempre mais do mesmo, vocês não conseguem mudar uma virgula desse discurso....
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail