📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

IRB Brasil lidera perdas do Ibovespa; Credit Suisse reduz recomendação e alvo

Publicado 01.07.2020, 11:03
Atualizado 01.07.2020, 11:08
© Reuters.
IBOV
-
BBDC4
-
BPAC11
-
IRBR3
-

Por Gabriel Codas

Investing.com - Na parte da manhã desta quarta-feira, as ações do IRB Brasil (SA:IRBR3) Re operam com forte queda, depois que a analistas do Credit Suisse cortaram a recomendação para as ações para 'underperform', de 'neutra' anteriormente, bem como reduziram o preço-alvo para os papéis a R$ 7,50, de acordo com relatório a clientes.

Por volta das 11h05, as ações do IRB lideravam as perdas do Ibovespa, ao ceder 6,55% a R$ 10,29. O principal índice acionário brasileiro registrava alta de 1,55% a 96.527 pontos.

O novo preço-alvo estabelecido pela equipe liderada por Marcelo Telles está 31% abaixo do preço de fechamento da véspera de R$ 11. O preço-alvo anterior do CS era de R$ 43.

Os analistas do banco disseram que a resseguradora tem um retorno sobre patrimônio líquido significativamente menor do que o esperado, de 13%, acentuadamente menor que estimativas anteriores de 37%.

"Após considerar os resultados do primeiro trimestre e a reapresentação dos dados dos anos anteriores - que evidenciaram a rentabilidade recorrente substancialmente mais baixa do IRB - e levando em consideração o próximo aumento potencial de patrimônio para ajudar a fechar a lacuna de liquidez, agora esperamos que o ROE sustentável do IRB seja de 13% (de 37% anteriormente)", afirmou a equipe do CS.

Na leitura do BTG Pactual (SA:BPAC11), ainda há muito a digerir, uma vez que os números foram divulgados muito tarde e não em um formato fácil de usar (sem press release). Embora os ajustes anteriores não tenham sido tão ruins quanto se temia - o lucro líquido GAAP restabelecido em 2019 ainda indica um ROE de 32% (não necessariamente o ROE recorrente), o que é muito forte, a visibilidade no "novo normal" ainda é ruim.

Além disso, as ações subiram recentemente e são negociadas em um rico 3,2x 1T20 P/BV. Dito isto, a equipe segue cautelosa, pelo menos até poder falar com a administração e ajustar as estimativas (e números anteriores).

Capitalização

O Estado de S. Paulo informa na edição desta quarta-feira, que os sócios do ressegurador, Itaú Unibanco e Bradesco (SA:BBDC4) devem acompanhar o reforço de capital de até R$ 2,3 bilhões na companhia.

Essa operação, que foi aprovada na semana passada em reunião do recém-empossado conselho de administração, é parte do esforço do IRB, para adequar seus ativos sob o aspecto regulatório e ainda dar uma sinalização um pouco mais concreta de confiança ao mercado em meio à grave crise de credibilidade que atravessa.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.