Últimas Notícias
Investing Pro 0
🚨 Nossos dados Pro revelam a melhor ação da temporada de balanços Acesse dados

Governo decide por biodiesel B10 até março e abre caminho para R5 da Petrobras

Commodities 21.11.2022 20:30
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Processo de produção de biodiesel 26/02/2010 REUTERS/Enrique Marcarian
 
CL
-3,49%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
ZL
-3,10%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
ZS
-0,07%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
PETR4
+1,10%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) decidiu nesta segunda-feira que a mistura de biodiesel no diesel será mantida em 10% até 31 de março de 2023, e que o Brasil poderá adotar um percentual maior do biocombustível, de 15%, a partir de abril, de acordo com nota do Ministério de Minas e Energia.

A definição da mistura maior B15 ficou para o próximo governo, acrescentou o ministério.

O CNPE decidiu que a partir de abril poderá vigorar o teor previsto na resolução CNPE de outubro de 2018, que dispõe sobre a evolução da adição obrigatória de biodiesel, caso não haja nova manifestação do conselho.

O órgão considerou ainda que a adição obrigatória de biodiesel ao óleo diesel comercializado ao consumidor final admite qualquer rota tecnológica de produção, o que pode incluir o combustível R5 da Petrobras (BVMF:PETR4), um produto obtido pelo coprocessamento de diesel com óleo vegetal, que foi testado numa proporção de 95% e 5%, respectivamente.

Segundo o ministério, a adição de combustíveis obtidos por outras rotas tecnológicas, contudo, precisa da regulamentação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

As decisões geraram protestos da indústria de biodiesel, produzido majoritariamente com óleo de soja e gorduras animais no Brasil.

O produto R5 da Petrobras poderia ser um concorrente do biodiesel, o que ameaça a indústria do biocombustível, que considera o combustível testado pela estatal como um outro tipo de produto que não poderia ser elegível à mistura.

"Não é biocombustível", disse o diretor superintendente da Ubrabio, Donizete Tokarski, à Reuters, ao comentar a possibilidade de o R5 vir ser adotado no país.

Procurada, a Petrobras não comentou o assunto imediatamente. A empresa tem afirmado que seu produto é eficaz, reduz emissões por ter um conteúdo renovável e tem composição química semelhante à do diesel derivado do petróleo.

Tokarski disse ainda confiar que o Brasil possa adotar o B15 a partir de abril, mas que o ideal seria que a mistura no início de março fosse de 14%, para não haver uma mudança tão brusca no percentual adotado.

A demanda de soja no Brasil para a produção de óleo para biodiesel poderia crescer cerca de 50% em 2023 ante 2022, caso o cronograma de evolução da mistura do biocombustível, com um B15, seja retomado, segundo a Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil (Aprobio).

O total de soja demandada para a produção de óleo para biodiesel subiria para cerca de 30 milhões de toneladas em 2023, na hipótese de um B15 na maior parte do ano.

No Brasil, cerca de 70% do biodiesel tem na soja a sua matéria-prima. Caso a demanda interna cresça para produção de óleo para o biocombustível, é provável que o setor reduza exportações do produto processado, que foram fortes em 2022, diante de uma mistura menor.

Para o presidente do Conselho de Administração da associação Aprobio, Francisco Turra, uma manutenção de B10 e a inclusão do diesel coprocessado no mandato da mistura poderão representar "um golpe de morte em todo o setor e para toda a cadeia produtiva de biodiesel".

Assim como a Ubrabio, Turra lamentou uma decisão tomada por um governo em final de mandato, que havia sinalizado que uma posição sobre a mistura do biodiesel seria discutida com a equipe de transição.

"A improvável inclusão de diesel coprocessado é outra questão que carece de suporte técnico, dado que a própria Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) não considera o produto como biocombustível", comentou.

Caso a decisão se confirme, o setor tratará com o governo eleito uma forma de reverter a decisão pelo impacto de "dimensões avassaladoras" sobre o setor de biodiesel e toda a cadeia produtiva.

(Por Roberto Samora; com reportagem adicional de Marta Nogueira)

Governo decide por biodiesel B10 até março e abre caminho para R5 da Petrobras
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail