Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
🔎 Confira as ProTips completas de NVDA e descubra riscos e retornos DESCONTO de 40%

Focus: Mercado prevê queda de 4,11% no PIB e IPCA a 1,76% em 2020; Selic a 2,5%

Publicado 11.05.2020 08:38 Atualizado 11.05.2020 08:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters.

Por Gabriel Codas

Investing.com - O Banco Central divulgou nesta segunda-feira (11) mais uma edição do Boletim Focus, que traz novas reduções nas estimativas do IPCA e da Selic par 2020, além de um novo corte na projeção de contração da economia brasileira neste ano, em meio aos efeitos das medidas de combate à pandemia de Covid-19.

A restrição de circulação de pessoas levou os analistas de mercado a cortar pela décima terceira semana seguida a projeção de queda do PIB brasileiro no ano. Os economistas ouvidos pelo BC agora projetam uma queda de 4,11% do PIB em 2020, contra 3,76% da semana passada. Há quatro semanas, a estimativa estava em -1,96%, dando sinais claros dos sinais de enfraquecimento do país. Para 2021, a estimativa segue em 3,20%, bem como de 2,50% para 2022 e 2023.

Os analistas também revisaram para baixo a inflação oficial, de 1,97% da projeção da semana passada para 1,76%. Há quatro semanas, a aposta era de um IPCA a 2,52% no fim do ano. A aposta para o fechamento do ano-calendário segue abaixo do centro da meta de 4,00% e abaixo do da margem de tolerância de 1,5 ponto percentual.

Houve redução nas estimativas de inflação para 2021, com os analistas estimando o IPCA em 3,25% e não mais 3,30%. A estimativa também fica abaixo do centro da meta de inflação estipulado para o ano que vem, de 3,75%.

O Brasil registrou deflação em abril, com o índice de preços no menor patamar em mais de duas décadas, uma vez que o recuo de quase 10% dos combustíveis compensou a alta da alimentação no domicílio em meio ao isolamento diante do coronavírus.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu 0,31% em abril, ante variação positiva de 0,07% em março, de acordo com os dados divulgados na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa foi a primeira taxa negativa do IPCA desde setembro de 2019, e a variação mensal mais fraca desde a queda de 0,51% vista em agosto de 1998.

Em 12 meses, a inflação acumulada foi a 2,40%, de 3,30% antes. Assim, vai abaixo do piso da meta de inflação para este ano, de 4% com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

A deterioração das projeções do PIB e IPCA no ano suportam renovadas apostas de corte da Selic nas próximas reuniões do Copom. Seguindo a última decisão da autoridade monetária, que surpreendeu o mercado ao cortar a Selic em 0,75 ponto percentual, de 3,75% para 3,00% ao ano, os economistas consultados pelo Focus esperam o final do ciclo de ultra afrouxamento monetário em 2,50% em 2020, com mais dois de 25 pontos-base nas reunião de junho e agosto. Os economistas ouvidos pelo BC não apostam que o Copom possa fazer mais um corte adicional de 75 pontos-base devido à perspectiva de deterioração do equilíbrio em meio a aumentos de gastos durante a pandemia. Há quatro semanas, a expectativa era que a Selic fechasse 2020 em 3,25%. O texto da última decisão do BC limita o atual ciclo de flexibilização com a taxa Selic em 2,25% ao ano.

Os analistas também estimam que o ciclo da alta de juros se inicie ano que vem, com uma Selic a 3,5% no fim de 2021, em não mais em 4,25%, como na semana passada. Já para 2022 caiu de 6,58% para 5,50, e a de 2023 se manteve em 6,00%.

O Banco Central cortou na quarta-feira passada a taxa básica de juros à mínima histórica de 3% ao ano -- redução de 0,75 ponto percentual, mais forte do que a prevista pelo consenso de mercado -- e sinalizou uma última diminuição à frente para complementar o estímulo monetário necessário em meio aos impactos da pandemia de coronavírus na economia.

Uma pesquisa feita pela Reuters com 26 economistas mostrou que todos esperavam redução de 0,50 ponto na última reunião do Copom.

Em relação ao dólar, as apostas de 2020 foram mantidas em R$ 5,00, após encerrar 2019 a R$ 4,0195. A moeda americana iniciou o forte período de volatilidade após o Carnaval, quebrando sucessivos recordes máximos de fechamento, chegando a ultrapassar os R$ 5,80 na semana passada. Há quatro semanas, os analistas projetavam um dólar a R$ 4,60 no fim do ano. No ano que vem, as estimativas foram elevadas para R$ 4,83, depois de uma elevação na semana anterior para R$ 4,75.

Focus: Mercado prevê queda de 4,11% no PIB e IPCA a 1,76% em 2020; Selic a 2,5%
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (7)
Alexandre Santos
Alexandre Santos 11.05.2020 11:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Isso é previsão de torcedor e não de analista.
Juan De França Magalhães Costa
Juan De França Magalhães Costa 11.05.2020 11:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
acho que não entende que quem responde são economistas de consultorias renomadas, né?
Rodrigo Matos
Rodrigo Matos 11.05.2020 10:11
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
se cortar mais a Selic os bancos não lucram..bancos mandam no país
Thiago Toledo
Thiago Toledo 11.05.2020 10:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
ainda com essa de deflação com dólar nas alturas.....qndo isso acabar e voltar ao normal os preços vão disparar e o consumo tbm....piada...
Thiago Aznar
Thiago Aznar 11.05.2020 9:46
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
PIB 2021 em 3,xx% tão de brincadeira.
Igor Ruiz
Igor Ruiz 11.05.2020 9:16
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quem não acredita que a bolsa ia testar o fundo. a prova está aí. isso é só o começo . espera sair os dados 2 trimestre
Eduardo Boas
Eduardo Boas 11.05.2020 9:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
dolar a 5? kkkk
oseias batista
oseias batista 11.05.2020 9:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Antes eles falavam que o dólar ia ficar a 3.90 não colou,vai que agora cola!
Rodrigo Matos
Rodrigo Matos 11.05.2020 8:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
2,5 É pouco
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail