Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Governo prepara proposta para renegociar dívidas de outros países com o Brasil

Publicado 01.03.2024, 15:02
Atualizado 03.03.2024, 11:13
© Reuters Governo prepara proposta para renegociar dívidas de outros países com o Brasil

O governo brasileiro, que na Trilha de Finanças do G20 pautou a renegociação das dívidas de países mais pobres, está na fase final de um trabalho de consolidação dos números para também renegociar as dívidas que outras economias têm com o Brasil. A informação foi dada nq sexta-feira, 1º, pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em entrevista coletiva à imprensa no gabinete da pasta na capital paulista.

A proposta brasileira foi elogiada por ministros de finanças de outros países, com os quais o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) conversou ao longo dos três dias de G20.

"Na verdade, essa questão ficou parada no governo brasileiro durante muitos anos. Não havia interesse em resolver o problema com os países devedores. E o Brasil é um dos países credores que menos crédito tem em relação a economias de mais baixa renda. Se você pegar o que a China tem a receber na África, são valores muito mais consideráveis. Mas nós estamos, nesse momento, terminando o trabalho de consolidação da dívida", disse informou o ministro.

De acordo com ele, este trabalho está sendo feito agora porque ao longo dos últimos cinco ou seis anos nada foi feito neste sentido. "Então, estamos consolidando esses números para poder sentar e negociar as dívidas. Mas seria bom que nós tivéssemos um arcabouço global. Há um problema global de dívida. Não é uma coisa restrita a alguns países", ponderou.

Segundo Haddad, se questiona muito sobre o que vai fazer com a dívida do país A ou B. "Mas não é A ou B", diz ele acrescentando que tem muitos países endividados hoje e que estão com risco de default.

"Muitos já estão nessa condição. E não tem perspectiva de sair dessa situação. Só para vocês terem uma ideia, o serviço da dívida da África saltou para mais de US$ 70 bilhões por ano. Imagina o continente, que tem 54 países como a África, pagar em serviço da dívida de US$ 74 bilhões por ano. Então, o problema é global. Não é um problema que o Brasil tem que enfrentar", sugeriu o ministro da Fazenda.

E é por isso, segundo ele, que o Brasil está aproveitando a presidência do G20 para levar a consideração. "Ali estão os credores. Tanto os países credores quanto os organismos internacionais credores que têm o G20 como membros", disse Haddad.

Últimos comentários

enquanto o bozo perdoa dívida do fies... o #PNG perdoa dívidas de Cuba e Venezuela... pra isso fizeram o L... looooosersss
jumentada, pagando imposto pro desenrola dos Países Amigos..
Muito bom mesmo 👏🏻👏🏻👏🏻 essas são as ocupações de um governo sério. O governo anterior só falava de urna eletrônica, STF e golpe de Estado!
Esse energumeno disse que o Brasil tem menores credito comparando com a China que tem valores consideraveis. A China está simplesmente comprando a Africa.
Mais dinheiro público sendo rasgado!! Agora para ajudar os amiguinhos dos reis fora do Brasil!!
sua interpretação de texto e muito ruim
Usaram mal o dinheiro e agora querem dar o calote com o apoio do Brasil?
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.