📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Regras de economia de combustível nos EUA são menos rigorosas que proposta original

Publicado 07.06.2024, 15:57
Atualizado 07.06.2024, 16:00
© Reuters.
GM
-
F
-
STLA
-
STLAM
-

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, finalizou nesta sexta-feira regras mais rígidas de economia de combustível para caminhões e veículos utilitários esportivos até 2031, mas o novo ordenamento não é tão rigoroso quanto as propostas inicialmente, informou uma agência federal.

A Administração Nacional de Segurança no Trânsito nas Estradas (NHTSA, na sigla em inglês) disse que as novas regras propostas resultarão em penalidades muito menores do que as originalmente propostas, uma vitória significativa para as montadoras de Detroit.

Os fabricantes de automóveis elogiaram as mudanças e os grupos ambientais as criticaram.

Em julho de 2023, a NHTSA propôs o aumento dos requisitos de economia média de combustível em 2% ao ano para carros e 4% ao ano para comerciais leves de 2027 a 2032.

Mas de acordo com a regra final, a NHTSA não exigirá nenhum aumento para comerciais leves em 2027 e 2028 e exigirá apenas incrementos de 2% de 2029 a 2031.

No ano passado, a NHTSA disse que sua proposta de aumentar os padrões de economia de combustível até 2032 custaria ao setor 14 bilhões de dólares em multas projetadas. Isso inclui 10,5 bilhões de dólares para as três grandes montadoras de Detroit: 6,5 bilhões para General Motors (NYSE:GM), 3 bilhões para Stellantis (NYSE:STLA) e 1 bilhão para Ford (NYSE:F).

De acordo com a regra final, espera-se que o setor automotivo enfrente coletivamente um total de até US$ 1,83 bilhão em multas até 2031 - e pode ser tão pouco quanto nada - com base em vários modelos, disse o governo da NHTSA à Reuters.

Os fabricantes de automóveis compram créditos ou pagam multas se não conseguirem atender aos requisitos do conjunto de regras chamado pela sigla em inglês "Cafe". Em junho de 2023, a Reuters informou que Stellantis e GM pagaram um total de 363 milhões de dólares em multas do Cafe por não terem cumprido as exigências de economia de combustível dos EUA em modelos de anos anteriores.

A NHTSA disse que a regra aumentará a economia de combustível para cerca de 50,4 milhas por galão até 2031, de 29,1 mpg atualmente. No ano passado, a agência projetou que a regra aumentaria os requisitos para 58 mpg até 2032.

Essa é a terceira ação regulatória que o governo Biden tomou nos últimos meses que não restringiu as propostas regulatórias para veículos tanto quanto prometido. Ações anteriores incluíram novos cálculos de conformidade para veículos elétricos que eram menos rigorosos do que o proposto originalmente e regras de canos de escapamento que, em última análise, exigiriam que os fabricantes de automóveis fabricassem menos veículos elétricos do que haviam previsto originalmente.

John Bozzella, que dirige o grupo comercial Alliance for Automotive Innovation, que representa as principais montadoras, elogiou as revisões que reduzirão drasticamente as penalidades projetadas que seus membros temiam.

"Essas multas não teriam produzido nenhum benefício ambiental ou economia adicional de combustível e teriam desviado tolamente o capital das montadoras dos investimentos maciços exigidos pela transição para os veículos elétricos", disse Bozzella.

Dan Becker, diretor da Campanha de Transporte Seguro para o Clima do Centro de Diversidade Biológica, disse que a NHTSA "cedeu à pressão das montadoras" e afirmou que a "fraca regra final da agência desperdiça muita gasolina, expele muita poluição e cede o mercado de veículos limpos para as montadoras estrangeiras".

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.