Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

Dólar estende perdas recentes e se aproxima de R$5,10 com foco em inflação de Brasil e EUA

Moedas 08.08.2022 11:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Notas de dólar 07/02/2011 REUTERS/Lee Jae-Won
 
USD/BRL
+0,01%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
WDOc1
+0,48%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caía acentuadamente frente ao real nesta segunda-feira, estendendo movimento de forte depreciação visto no final da semana passada em meio a fluxos para o Brasil e refletindo alívio no sentimento internacional neste pregão, enquanto investidores aguardavam a divulgação de dados de inflação domésticos e norte-americanos ao longo dos próximos dias.

Às 11h08 (de Brasília), o dólar à vista recuava 0,83%, a 5,1219 reais na venda.

As perdas desta manhã vêm depois de a moeda norte-americana spot ter fechado a última sessão, na sexta-feira, em queda de 1,03%, a 5,1689 reais na venda, movimento desencadeado, segundo alguns agentes financeiros, por entradas de recursos nos mercados brasileiros diante da perspectiva de parada na alta dos juros pelo Banco Central do Brasil.

Nesta sessão, somava-se às circunstâncias locais um estímulo externo, já que o índice do dólar frente a uma cesta de rivais fortes recuava 0,35%, devolvendo parte dos fortes ganhos registrados no final da semana passada, na esteira de um relatório de emprego norte-americano surpreendentemente forte.

A notícia de forte criação de vagas de trabalho fora do setor agrícola dos EUA inicialmente reforçou expectativas de um aperto monetário persistentemente agressivo pelo banco central do país, o Federal Reserve, o que seria favorável ao dólar, disse à Reuters Felipe Izac, sócio da Nexgen Capital.

No entanto, ele citou "acomodação" no sentimento internacional desde então, com alguns participantes do mercado argumentando que o cenário econômico pode não se desenrolar de forma tão negativa quando o temido atualmente, visão reforçada por balanços positivos de várias empresas norte-americanas, o que abriu espaço para a compra de ativos considerados arriscados nesta segunda.

Esse ambiente pode mudar, no entanto, caso dados de inflação norte-americanos com divulgação agendada para quarta-feira surpreendam para cima, alertou Izac, já que isso alimentaria apostas numa postura ainda mais agressiva por parte do Fed.

Também ficará no radar de investidores domésticos a divulgação, na terça-feira, da leitura de julho do IPCA, que virá pouco depois da publicação da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Na semana passada, a autarquia elevou a taxa Selic em 0,50 ponto percentual, a 13,75%, e, embora tenha dito que avaliará a necessidade de ajuste residual nos juros, boa parte dos mercados parece acreditar que este ciclo de aperto monetário já chegou ao fim.

"O IPCA terá maior relevância para as apostas da próxima taxa Selic, uma vez que (o dado) vindo abaixo do esperado poderá dar maior confiança sobre o fim da alta na taxa básica de juros", escreveram estrategistas da Travelex.

Num geral, custos dos empréstimos elevados no Brasil costumam beneficiar o mercado de renda fixa local, impulsionando seus rendimentos e, consequentemente, atraindo recursos de investidores estrangeiros, o que costuma ajudar na valorização do real.

A Selic já subiu 11,75 pontos percentuais ante uma mínima histórica de 2% atingida durante a pandemia de Covid-19.

Izac, da Nexgen, disse que o dólar pode descer ainda mais, à casa de 5,10 reais, ao longo do segundo semestre deste ano, depois de em meados de julho ter disparado acima de 5,50 em meio a cenário internacional adverso.

Dólar estende perdas recentes e se aproxima de R$5,10 com foco em inflação de Brasil e EUA
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (10)
Guilherme zz
Guilherme zz 08.08.2022 15:57
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Bolsonaro 22
Guilherme zz
Guilherme zz 08.08.2022 15:57
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Resultado da deflação amanhã.
Humberto de Padua da Silva
Humberto de Padua da Silva 08.08.2022 14:53
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Não ha como acabar a corrupção com tantos otários que defendem políticos...pobres de espíritos.
Mantt Newmann
Mantt Newmann 08.08.2022 12:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Jegues falou que só chegaria a 5 se fizessem muita besteira.
César Ferreira
César Ferreira 08.08.2022 11:42
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Mas não era pra dólar estar a 7,00??
Valdir Vm
Valdir Vm 08.08.2022 11:38
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
fechado com Bolsonaro até 2050!!!!!!
Hh Ferreira
12_anos_de_exper 08.08.2022 11:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Provavelmente continuará caindo...
Ailton Souza
Ailton Souza 08.08.2022 11:28
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Para deixar bem claro, não é bolso é BOZ0 #22.
Guilherme zz
Guilherme zz 08.08.2022 10:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
4,90 em breve...
Rosildo da Silva
Rosildo da Silva 08.08.2022 10:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A inflação norte-americana cairá naturalmente, no Brasil, é diferente, para beneficiar o Bolso nas eleições baixaram impostos de combustíveis e outros administrados, mas o segmento alimentos e serviços permanecem resilientes pressionados, ou seja, deflação de araque!
Valdir Vm
Valdir Vm 08.08.2022 10:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
chora na cama q é mais quentinho!!!kkkkkk
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail