Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Últimas Notícias

Wall St abre em alta com balanços e acordos em meio a preocupação com variante Delta

Com governo em crise, Bolsonaro traz centrão para Casa Civil com Ciro Nogueira e tenta garantir apoio

Carteiras Recomendadas21.07.2021 17:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. 18/07/2021 REUTERS/Amanda Perobelli

Por Lisandra Paraguassu e Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - No momento mais difícil de seu governo até agora, o presidente Jair Bolsonaro decidiu fazer mais mudanças em seu ministério e vai trazer de vez o centrão para dentro do Palácio do Planalto, com o convite, já aceito, para o senador Ciro Nogueira (PP-PI) assumir a Casa Civil.

O próprio presidente anunciou, em entrevista a uma rádio do interior paulista, nessa quarta-feira, que fará uma "pequena reforma ministerial", sem dar detalhes.

O centro da mudança, de acordo com fontes ouvidas pela Reuters, que pediram para não serem identificadas, mira apaziguar o Senado --até hoje não contemplado no primeiro escalão-- e o próprio PP e seu presidente, que já havia deixado de ser um fervoroso defensor do governo e mandava sinais de insatisfação ao Planalto.

De acordo com a senadora Kátia Abreu (PP-TO), que confirmou a decisão de Ciro de aceitar o cargo, a mudança fará bem à relação política do governo.

"É um político experiente, com certeza vai fazer bom trabalho. Ele e a Flávia Arruda (ministra da Secretaria de Governo) formarão uma ótima dupla no Palácio, são ambos da política, saberão tratar o Congresso e fazer as articulações necessárias", disse a senadora.

Acuado por uma CPI que está indo além de denunciar a omissão e chega muito perto de escândalos de corrupção na compra de vacinas, e com sua popularidade caindo em velocidade acelerada, Bolsonaro decidiu remexer no seu ministério para trazer a política para dentro do Planalto e acalmar o centrão.

As mudanças incluem, além da ida de Ciro para a Casa Civil, o deslocamento de Luiz Eduardo Ramos para a Secretaria-Geral da Presidência. O general, amigo pessoal do presidente, já ocupou a Secretaria de Governo, que cuida da articulação política e perdeu a vaga para a deputada Flávia Arruda (PL-DF) --em uma indicação para agradar o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-DF).

Na Casa Civil, Ramos, como antes na Secretaria de Governo, era alvo de reclamações dos parlamentares. Apesar da relação com o presidente, o ministro não atendia às expectativas políticas de senadores e deputados, especialmente pela sua atuação na tentativa de defender o governo na CPI da Covid.

O convite foi feito a Ciro, por telefone, na terça-feira, contou uma fonte do governo. Durante uma reunião em que estavam presentes Ramos, Onyx e o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Ciro pediu para pensar, mas, de acordo com duas fontes ouvidas pela Reuters, o senador comunicou nesta quarta ao presidente que aceitava o cargo.

Nogueira tem a simpatia do filho primogênito do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), que o considera um excelente articulador político e tem um peso importante no Senado, disse uma fonte do Parlamento, lembrando os desafios que o Executivo tem tido nessa Casa Legislativa.

O Palácio do Planalto atravessa uma espécie de vácuo de liderança no Senado, que perdeu tração após a saída de Davi Alcolumbre (DEM-AP) da Presidência da Casa, destacou essa fonte, citando que o atual presidente, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), não se compromete tanto no cargo e que o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), ajuda, mas tem problemas judiciais a resolver.

Apesar do aceite de Ciro Nogueira, a nomeação dele só deverá ser oficializada na próxima semana, segundo a mesma fonte. Até lá, terá de passar no teste das redes sociais, citou o interlocutor, fazendo referência à resposta que bolsonaristas vão dar para falas do senador que estão sendo divulgadas nas redes sociais críticas ao presidente.

Nogueira já chegou a chamar Bolsonaro de "fascista" e "preconceituoso" e disse que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva --com quem o atual presidente deve disputar a eleição presidencial no próximo ano-- foi o melhor presidente que o país já teve.

Procurado, Ciro Nogueira não respondeu ao contato feito pela Reuters.

TRABALHO

A mudança na Casa Civil e a necessidade de encontrar um lugar para o atual ministro da Secretaria-Geral, Onyx Lorenzoni (DEM), levaram Bolsonaro a decidir por atender uma outra reivindicação, a de retirar parte da estrutura do Ministério da Economia das mãos de Paulo Guedes.

A recriação do Ministério do Trabalho e Previdência abre um lugar para Onyx, um dos mais fiéis auxiliares de Bolsonaro, mas tira de Guedes uma parte do seu superministério, formado ainda na transição de governo.

A intenção de Bolsonaro é focar em um dos principais problemas hoje de seu governo, o crescimento do desemprego mesmo quando a economia mostra sinais de alguma recuperação.

De acordo com fonte do governo ouvida pela Reuters, apesar de perder o domínio sobre a área, Guedes conseguiu a garantia de que o atual secretário de Trabalho e Previdência, Bruno Funchal, seguirá na parte administrativa da nova pasta, como secretário-executivo, assim como a maior parte da equipe atual.

Onyx, que se reuniu com Guedes esta manhã, comprometeu-se ainda a seguir o planejamento de trabalho da área, que tem como próximas metas o lançamento de um programa de qualificação para jovens e da chamada carteira de trabalho verde e amarela, que dá menos direitos trabalhistas aos jovens contratados e, na opinião de Guedes, aumentaria a formalização.

"Vamos acelerar o ritmo de criação de empregos inclusive com uma reorganização nossa interna. Vamos fazer uma mudança organizacional", disse Guedes em uma entrevista nesta quarta. "São novidades que o presidente deve trazer rapidamente e essas novidades são justamente na direção de emprego e renda."

POLÍTICA

O foco das mudanças, no entanto, está centrado na Casa Civil. A ida de Ciro para a pasta faz com que o presidente entregue o centro do governo para a política --desde a saída de Onyx da Pasta, em fevereiro de 2020, a Casa Civil estava nas mãos de generais. Primeiro Walter Braga Netto e agora Ramos.

A pasta, que costumava ser o centro político e administrativo em outros governos, com a função de coordenar e integrar ações, perdeu relevância e espaço e virou alvo de reclamações constantes.

Ciro, que se aproximou de Bolsonaro a ponto de convidá-lo para concorrer à Presidência em 2022 pelo PP, havia se afastado do governo e levantado o alerta para o risco do partido --que tem a terceira maior bancada da Câmara e a segunda do Senado-- abandonar Bolsonaro antes das eleições do ano que vem.

O convite ao paramentar tenta melhorar a relação política com o Senado ao mesmo tempo segurar o PP na base.

Segundo a fonte do Parlamento, antes da escolha de Ciro para a Casa Civil, já havia uma desconfiança de parte com o verdadeiro apoio do senador, como se ele não fosse tão aliado assim.

Além do desafio da CPI --que pode implicar o presidente --, Ciro Nogueira terá de trabalhar pela recondução do procurador-geral da República, Augusto Aras, para um mandato de dois anos no cargo e a indicação do advogado-geral da União, André Mendonça, para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello. Os dois terão de passar por sabatina no Senado e votações secretas.

Em outro front, Ciro é alvo de investigações criminais perante o Supremo Tribunal Federal (STF) decorrentes da Lava Jato, sendo um dos seus principais críticos da operação no Congresso.

Em nota, a defesa do senador disse que o parlamentar foi colocado no foco da investigação num momento em que era clara a "tendência de criminalização da política". Citou três inquéritos a que ele responde e disse que não há que se preocupar com os casos.

"Assim, neste momento em que o senador, ao que parece, opta por assumir um cargo no governo federal, a defesa tem a tranquilidade de afirmar que não há nada que possa impedir a mais completa e livre definição política do que desejar o senador Ciro Nogueira", disse o criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay.

Com governo em crise, Bolsonaro traz centrão para Casa Civil com Ciro Nogueira e tenta garantir apoio
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (3)
Joao Batista Pinto de Souza
Joao Batista Pinto de Souza 22.07.2021 14:25
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
se grita pegaladrão não fica um no centrão. governo quadrilheiro feito pelobozo e paraobozo
Ricardo P Silveira
Ricardo P Silveira 21.07.2021 20:58
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Dilmou de vez! Só boquinha para os falastrões do "liberalismo" ; )
Mant Newmann
MaNve 21.07.2021 17:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Onyx? Ele nào é o tal que foi condenado por corrupção? PP, esse não era o tal partido todo enrolado no Petrolão? Rei da Rachadinha deve estar se sentidno em casa, nada como seus 30 anos de amizades e roubalheir ano Congresso.Esse desgoverno medíocre é uma piada. Assim como Lula, meia dúzia de fanáticos cegos e iludidos, ou pagos com dinheiro público, ficam defendendo a roubalheira. Em 22, seja patriota, pense no Brasil. Não acredite na MENTIRA que repetem dizendo que o Brasil se divide entre os corruptos Lula e Bozo. Não vote em Lula e Bozo.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail