Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Mercado de ações hoje: Dow surfa na alta das Techs após 1T do JPMorgan abaixo do esperado

Publicado 13.04.2022, 17:34
© Reuters
US500
-
DJI
-
C
-
GS
-
JPM
-
BBBYQ
-
AAPL
-
AMZN
-
NVDA
-
GPS
-
WFC
-
MS
-
APA
-
MAR
-
DVN
-
HES
-
DAL
-
BLK
-
IXIC
-
CCL
-
AAPL34
-
AMZO34
-
GSGI34
-
JPMC34
-
WFCO34
-
CTGP34
-
MSBR34
-
BLAK34
-
DEAI34
-
GPSI34
-
M1TT34
-
A1PA34
-
C1CL34
-
D1VN34
-
H1ES34
-

Por Yasin Ebrahim

Investing.com -- O Dow fechou a quarta-feira em alta depois que as ações de tecnologia e de consumo discricionário tiveram altas que compensaram o tropeço do setor financeiro, após o JPMorgan dar início à temporada de ganhos com abaixo do esperado. 

O Dow Jones Industrial Average avançou 1%, ou 344 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 1% e o Nasdaq subiu 2%.

O setor de tecnologia esteve em alta, apoiada pelo aumento nas ações megacap, com Amazon (SA:AMZO34)(NASDAQ:AMZN) e Apple (SA:AAPL34)(NASDAQ:AAPL) ambas subindo mais de 2% e liderando a caminhada enquanto os rendimentos do Tesouro recuaram pelo segundo dia consecutivo.

As ações de chips também fizeram o trabalho para o setor de tecnologia, lideradas pela Nvidia (NASDAQ:NVDA) após a New Street Research ter melhorado sua recomendação para a fabricante de chips de neutro para compra, elevando seu preço-alvo de US$ 255 para 280, citando a força da sua atividade de data centers.

O sentimento no setor também foi alavancado pelos dados de Bloomberg, que mostraram que os investidores estão acumular ações de empresas de chips. Os aportes dos investidores em ETFs de semicondutores saltaram para US$ 6,8 bilhões, superando os US$ 5,2 bilhões de entradas vistos em todo o ano de 2021.

As ações de consumo discricionário também estavam entre os setores que lideraram a subida do mercado em geral, sustentadas por um rali em ações relacionadas a viagens, como a Marriott International (SA:M1TT34) (NASDAQ:MAR) e a Carnival (SA:C1CL34)(NYSE:CCL), depois de resultados melhores que o esperado da Delta Air Lines  (SA:DEAI34)(NYSE:DAL) apontarem para uma forte procura por viagens. 

A Delta projetou um retorno aos lucros no segundo trimestre após divulgar prejuízo no primeiro trimestre menor que o esperado.

O setor financeiro, contudo, foi na contramão da tendência de alta, terminando o dia marginalmente em baixa com a pressão da queda de 3% do JPMorgan (SA:JPMC34) (NYSE:JPM).

O JPMorgan divulgou que os resultados do primeiro trimestre ficaram aquém das estimativas de Wall Street devido a provisões para créditos de liquidação duvidosa superiores às esperadas, com o banco citando "probabilidades mais elevadas de risco negativo".

Citigroup (SA:CTGP34)(NYSE:C), Goldman Sachs (SA:GSGI34) (NYSE:NYSE:GS), Wells Fargo (SA:WFCO34)(NYSE:NYSE:WFC) e Morgan Stanley (SA:MSBR34)(NYSE:NYSE:MS), que fazem todos seus anúncios na quinta-feira, fecharam com resultados mistos. 

A firma de gestão de ativos BlackRock (SA:BLAK34)(NYSE:BLK) divulgou resultados trimestrais que superam as expectativas tanto nas linhas superior como inferior, amparados por um salto nos ativos sob gestão.

A Bed Bath & Beyond (NASDAQ:BBBY) cortou as perdas intraday para negociar com queda próxima a 1%, após postar um surpreendente prejuízo trimestral com o aumento dos custos de transporte. 

As ações de energia foram impulsionadas pela escalada contínua dos preços do petróleo após a Agência Internacional de Energia prever um ligeiro déficit na oferta este ano, em meio a demanda mais fraca e do impacto das sanções sobre o petróleo da Rússia.

A previsão de um déficit vem na sequência dos dados semanais mostrando que os estoques de petróleo bruto dos EUA subiram além do esperado, a 9,4 milhões de barris na semana passada.

APA (SA:A1PA34)(NASDAQ:APA), Devon Energy (SA:D1VN34) (NYSE:DVN) e Hess (SA:H1ES34)(NYSE:HES) estavam entre as maiores altas no setor.

Em outras notícias, a Gap (SA:GPSI34)(NYSE:GPS) saltou 8,4% após um anúncio de que a varejista tem atraído a atenção de investidores ativistas.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.