📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Samarco, Vale e BHP elevam oferta para acordo por Mariana; estimam total de R$140 bi

Publicado 12.06.2024, 09:21
Atualizado 12.06.2024, 15:40
© Reuters. Vista geral de cima de uma barragem da Samarco, que tem a Vale e da BHP Billiton como acionistas, que rompeu em Mariana, MG, Brasiln10/11/2015nREUTERS/Ricardo Moraes
VALE3
-

Por Letícia Fucuchima e Marta Nogueira

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - As mineradoras Vale (BVMF:VALE3) e BHP, juntamente com sua joint venture Samarco , apresentaram às autoridades brasileiras uma nova oferta de acordo indenizatório pelo rompimento de barragem em Mariana (MG), estimando um desembolso total de 140 bilhões de reais, ainda abaixo do demandado pelo poder público.

O montante representa um avanço ante os 127 bilhões de reais estimados em proposta anterior das companhias apresentada em abril a autoridades federais e dos Estados de Minas e Espírito Santo.

A nova oferta que visa a compensação e reparação pelo colapso da estrutura considera 82 bilhões de reais como o total em dinheiro a ser pago pelas mineradoras aos entes públicos em 20 anos, conforme detalhou a Vale em comunicado nesta quarta-feira, acima dos 72 bilhões de reais ofertados em abril.

Esse volume a ser pago, entretanto, ficou aquém dos 109 bilhões de reais demandados pelo poder público em uma contraproposta apresentada no início deste mês. O bloco público também buscava receber os recursos em 12 anos, considerando que o desastre ocorreu há mais de oito anos.

A nova oferta das companhias, conforme detalhou a Vale, inclui ainda a previsão de empenhar 21 bilhões de reais para executar obrigações que permanecerão sob responsabilidade das empresas, como a retirada de rejeitos do rio Doce.

As companhias apontam ainda ter investido um total de 37 bilhões de reais em reparação e compensação desde o rompimento, somando então um total de 140 bilhões de reais a serem desembolsados pelas companhias devido ao desastre, conforme os cálculos apresentados pela Vale.

"Os valores da nova proposta são para 100%, o que inclui uma contribuição de 50% da BHP Brasil e da Vale como devedores secundários, caso a Samarco não possa financiar como devedor primário", afirmou a Vale.

O montante de 140 bilhões de reais havia sido divulgado mais cedo pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo. A nova proposta foi apresentada na véspera pelas companhias ao Tribunal Regional Federal da 6ª Região (TRF6).

"Um acordo abrangente no Brasil que cubra todas as responsabilidades deve ajudar a proteger a Vale de ações judiciais internacionais, em teoria, dado que as reparações só podem ser reivindicadas uma vez", afirmou o Citi, em nota a clientes nesta quarta-feira.

"Estas negociações são excepcionalmente complexas, mas é positivo que o 'bid-ask' pareça estar a terminar, na nossa opinião."

O colapso da barragem de rejeitos de minério de ferro, que pertencia à Samarco, em novembro de 2015, deixou 19 mortos, centenas de desabrigados, além de atingir o rio Doce em toda a sua extensão, até o mar do Espírito Santo.

As mineradoras haviam fechado um acordo inicial sobre o desastre ainda em 2016, o que criou uma base para implementar reparações, mas que não contou com a assinatura dos Ministérios Públicos federal e estaduais, não fixou um volume de recursos global a ser empenhado e deixou para frente diversas etapas a serem cumpridas, sendo alvo de críticas por diversas partes.

© Reuters. Vista geral de cima de uma barragem da Samarco, que tem a Vale e da BHP Billiton como acionistas, que rompeu em Mariana, MG, Brasil
10/11/2015
REUTERS/Ricardo Moraes

A Vale reafirmou seu compromisso com ações de reparação e compensação relacionadas ao rompimento. Disse ainda que a nova proposta "é um esforço para chegar a uma resolução mutuamente benéfica para todas as partes, especialmente para as pessoas, comunidades e meio ambiente impactados, ao mesmo tempo que cria definição e segurança jurídica para as companhias".

Anteriormente, neste ano, a Vale havia afirmado ter como objetivo fechar um acordo definitivo ainda neste semestre.

(Por Letícia Fucuchima e Marta Nogueira)

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.