Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

Balanços do 4T em Wall Street: o que esperar diante de início do ano turbulento?

Publicado 05.01.2024, 14:00
Atualizado 02.09.2020, 03:05
  • A temporada de balanços do quarto trimestre de Wall Street começa na semana que vem e deve ser o próximo grande desafio para o mercado acionário.

  • Os analistas projetam um crescimento de lucro anualizado de 2,4% e um aumento de 3,1% na receita das empresas.

  • Usei o filtro de ações do InvestingPro para selecionar papéis de qualidade com potencial de alta no lucro e na receita no cenário atual.

  • Quer se destacar no mercado em 2024? Deixe nossas estratégias ProPicks, baseadas em IA, fazerem o trabalho difícil para você e não perca mais oportunidades. Saiba mais »

A temporada de balanços do quarto trimestre em Wall Street começa em 12 de janeiro, com a divulgação dos resultados financeiros de empresas renomadas, como JPMorgan Chase (NYSE:JPM), Bank of America (NYSE:BAC), Wells Fargo (NYSE:WFC), BlackRock (NYSE:BLK), UnitedHealth (NYSE:UNH) e Delta Air Lines (NYSE:DAL).

PROMOÇÃO DE ANO NOVO: Tenha mais desconto no plano bianual com cupom “investirmelhor1”

Nas duas semanas seguintes, outras companhias de destaque como Tesla (NASDAQ:TSLA), Netflix (NASDAQ:NFLX), IBM (NYSE:IBM), Intel (NASDAQ:INTC), Citigroup (NYSE:C), Goldman Sachs (NYSE:GS), Morgan Stanley (NYSE:MS), American Express (NYSE:AXP), Procter & Gamble (NYSE:PG), Johnson & Johnson (NYSE:JNJ), AT&T (NYSE:T), American Airlines (NASDAQ:AAL) e United Airlines (NASDAQ:UAL) apresentam seus resultados.

A temporada de balanços ganha força na última semana de janeiro, quando as gigantes de tecnologia, incluindo Microsoft (NASDAQ:MSFT), Alphabet (NASDAQ:GOOGL), Meta Platforms (NASDAQ:META), Amazon (NASDAQ:AMZN) e Apple (NASDAQ:AAPL), estão previstas para divulgar suas atualizações do 4º trimestre.

Apesar dos receios de uma possível recessão, o lucro por ação do S&P 500 deve crescer +2,4% no quarto trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo projeções da FactSet.

Se essa for a taxa de crescimento real para o trimestre, será o segundo trimestre seguido de aumento de lucros anual para o índice. No entanto, também será uma taxa de crescimento menor do que a do terceiro trimestre.

Em uma base trimestral, o S&P 500 registrou quedas de lucros de -1,7% e -4,1% para o 1º trimestre de 2023 e 2º trimestre de 2023, respectivamente. Mas o índice de referência registrou um crescimento de lucros de +4,9% para o 3º trimestre de 2023.Estimativas de LPA da FactSet

Como mostra o gráfico acima, o setor de Serviços de Comunicação, que inclui empresas como Alphabet, dona do Google, Meta Platforms, dona do Facebook, Netflix (NASDAQ:NFLX), Walt Disney (NYSE:DIS), bem como Verizon (NYSE:VZ) e AT&T, deve reportar a maior taxa de crescimento de lucros anual de todos os onze setores, em +41,8%.

O setor de Serviços Públicos deve vir em segundo, com um crescimento de lucros de +34,1% anual. O setor inclui empresas importantes como NextEra Energy (NYSE:NEE), Southern Company (NYSE:SO), Duke Energy (NYSE:DUK), Dominion Energy (NYSE:D) e PG&E Corp (NYSE:PCG).

Em outro lugar, o setor de Bens de Consumo Discricionários, que é talvez o mais sensível às condições econômicas e gastos do consumidor, deve reportar a terceira maior taxa de crescimento de lucros anual, em +21,6%. Alguns dos maiores nomes do setor são Amazon, Walmart (NYSE:WMT), Home Depot (NYSE:HD), McDonald’s (NYSE:MCD), Nike (NYSE:NKE), Starbucks (NASDAQ:SBUX) e Coca-Cola (NYSE:KO).

Por outro lado, o setor de Energia deve registrar a maior queda nos lucros entre todos os setores, com uma redução de -27,1% em relação ao ano passado. A baixa do petróleo no período é a principal responsável pelo fraco desempenho do setor. Apesar da recuperação recente, o preço médio do barril no quarto trimestre de 2023 (US$ 77,78) ficou 18% abaixo do registrado no mesmo trimestre de 2022 (US$ 94,33).

O setor de Materiais, que engloba empresas de metalurgia, química, construção civil e embalagens, também deve apresentar um resultado negativo, com uma queda de -20,0% no lucro por ação (LPA) na comparação anual, segundo dados da FactSet.Estimativas de receita da FactSet

Já as receitas devem ter um desempenho melhor, com um crescimento de +3,1% em relação ao quarto trimestre do ano passado. Se confirmado, esse será o 12º trimestre seguido de aumento nas vendas do índice, de acordo com a FactSet.

Como mostrado acima, oito setores devem ter crescimento nas receitas na comparação anual, liderados por Financeiro e Tecnologia da Informação, com +7% e +6,4%, respectivamente.

Em contrapartida, três setores devem ter queda nas receitas na mesma base de comparação, com destaque negativo para Materiais e Energia, com -5,5% e -5,3%, respectivamente.

Perspectivas

Além dos números de receita e lucro, os investidores estarão atentos às projeções futuras para o primeiro trimestre de 2024 e os próximos períodos, diante da incerteza do cenário macroeconômico.

Outros temas relevantes que devem ser abordados são a situação do consumo nos EUA, os planos de contratação das empresas, bem como os desafios contínuos da cadeia de suprimentos.

No setor de tecnologia, a inteligência artificial deve continuar sendo um assunto em alta. Os investidores vão querer saber se as empresas conseguem transformar o entusiasmo com os avanços em IA em uma melhoria do resultado final.

O que fazer agora?

Os mercados enfrentam um início de ano turbulento, com dúvidas sobre o momento em que o Fed vai reduzir os estímulos monetários.

O S&P 500 acumula três dias seguidos de queda, algo que não acontecia desde 2024.SP500 x juro de 10 anos nos EUA

Este é o pior começo de ano para o índice desde 2015, quando também caiu nas três primeiras sessões. O desempenho atual contrasta com o fechamento positivo de 2023.

Desde 28 de dezembro, o S&P 500 já perdeu quase 3%.

A alta dos juros dos títulos públicos americanos de longo prazo - o Título de 10 anos dos EUA voltou a superar 4% - fez os investidores buscarem ativos menos arriscados neste início de ano.

Ações em destaque

Diante desse cenário, usei a ferramenta de análise de ações do InvestingPro para selecionar empresas que devem apresentar um crescimento anualizado de pelo menos 25% tanto em lucro quanto em receita no quarto trimestre. Ao todo, 22 empresas se encaixam nesse critério.Filtro de ações do InvestingPro

Fonte: InvestingPro

A ferramenta de análise de ações do InvestingPro é um recurso poderoso que ajuda os investidores a encontrar ações de qualidade com forte potencial de valorização. Com essa ferramenta, os investidores podem filtrar um grande universo de ações com base em critérios e parâmetros específicos.

Entre as empresas de tecnologia que se destacam na lista estão Nvidia (NASDAQ:NVDA), Broadcom (NASDAQ:AVGO), Arista Networks (NYSE:ANET), Snowflake (NYSE:SNOW), CrowdStrike (NASDAQ:CRWD), Datadog (NASDAQ:DDOG), Zscaler (NASDAQ:ZS), MongoDB (NASDAQ:MDB) e Cloudflare (NYSE:NET).

Já entre as ações ligadas ao consumo, vale ficar de olho em JPMorgan Chase, DoorDash (NASDAQ:DASH), Las Vegas Sands (NYSE:LVS) e Royal Caribbean Cruises (NYSE:RCL), que também devem mostrar resultados positivos de lucro e receita no quarto trimestre.Filtro de ações do InvestingPro

Não deixe de conferir o InvestingPro para acompanhar a tendência do mercado e suas implicações para suas operações. Como em qualquer investimento, é essencial pesquisar muito antes de tomar decisões.

O InvestingPro ajuda os investidores a decidir com base em dados, oferecendo uma análise completa de ações com preço abaixo do valor justo e potencial de alta expressiva no mercado.

Aproveite agora e garanta até 50% de desconto nos nossos planos de assinatura Pro e Pro+ e não perca mais oportunidades de lucrar por não saber em quais ações investir!

***

Aviso: este artigo tem fins meramente informativos e não representa qualquer oferta ou recomendação de investimento.

Últimos comentários

e isso aí
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.