Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

BC Emite Alerta Óbvio e Tardio Sobre o que Deveria Ter Feito e Não Fez

Por Sidnei NehmeResumo do Mercado18.10.2021 09:31
br.investing.com/analysis/bc-emite-alerta-obvio-e-tardio-sobre-o-que-deveria-ter-feito-e-nao-fez-200445366
BC Emite Alerta Óbvio e Tardio Sobre o que Deveria Ter Feito e Não Fez
Por Sidnei Nehme   |  18.10.2021 09:31
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Quando o Diretor de Política Monetária do BC avaliou que é sempre melhor um mercado de câmbio em que a autoridade monetária não interfira, mas que a autoridade tem estado atenta desde setembro, e o organismo, coincidentemente, passa a demonstrar maior interferência, a leitura que fica é que não é uma mensagem proativa, mas tão somente a constatação do que deveria ter sido feito ao seu tempo e não o foi com eficácia e pontualidade.

A máxima em câmbio do ponto de vista direcional pelas autoridades deve ser sempre “faz-se e se explica depois”, quando esta ordem é invertida, naturalmente, é justificativa da omissão.

Causa ruídos e pequenas repercussões, mas não altera o “status quo” e nem a tendência.

Temos sido críticos da política monetária, especialmente do binômio câmbio e juros no Brasil, até porque não há país no mundo que deixa este assunto “correr solto”, como até sugere do Diretor do BC, é algo sempre monitorado dado a sintonia fina que precisa existir entre ambos e, no Brasil, inegavelmente houve descuidos.

Temos destacado, e o estudo dos fundamentos econômicos e não as torcidas partidárias haverão de reconhecer em algum momento, que a inflação forte e alavancada presente teve seus alicerces estabelecidos antes mesmo da pandemia do coronavírus por uma estratégia mal sucedida de dinamizar a atividade econômica que não logrou o êxito esperado e não foi revertida a tempo.

Quando as pressões efetivas internas inflacionárias chegaram, já tínhamos construído a base inflacionada pelos preços das commodities que rebotaram seus preços externos para nossa economia doméstica, onde ainda não havia escassez.

Agora o que temos é inflação com viés consolidado e praticamente irreversível no curto/médio prazo já que a economia já adequou seus rendimentos fixos a patamar em torno de IPCA + 4/5%aa, portanto acima de 10%, enquanto a SELIC ficou a reboque atrás da curva.

Naturalmente, quando o BC procura interferir no câmbio visa conter a expansão do preço do ativo de mais rápida contaminação dos preços, mas devemos concordar que é praticamente impossível resgatar os erros do passado recente que tornam a situação instalada irreversível.

A inflação está dada e o seu viés de alta aquecido, o que pode acontecer é conter ainda que parcialmente a sua dinâmica, mas não inverter tendência.

Nem mesmo se o BC/COPOM acentuar a elevação da taxa SELIC doravante, acreditamos, poderá esperar movimento reversivo do cenário atual.

O “transbordo” deste contexto para 2022 é bastante factível, há um sentimento de que “não vai dar tempo” para alterar com segurança o dano presente.

O BC tende a continuar ofertando contratos de swaps cambiais, seja para o “overhedge” seja para atender demanda por segurança, mas estas intervenções estimulam a volatilidade que se acentua, e o mercado gosta porque permite giro e volume.

Fluxo cambial mesmo, em setembro tivemos negativos US$ 3,125 Bi no financeiro e em no financeiro até dia 8 temos negativos US$ 656,0 Mi, valores não tão expressivos quanto propagados.

Os bancos até reduziram suas posições vendidas no mercado a vista de julho para agosto de US$ 13,5 Bi para US$ 10,1 Bi e em setembro voltaram a elevar para US$ 11,3 Bi, volumes bastante discretos.

Não acreditamos que ocorra mudança substantiva no comportamento do câmbio no Brasil, volatilidade e discreto viés de alta mantido.

À margem, fatos que podem afetar o ânimo dos mercados, greve dos caminhoneiros no Brasil e agravamento da situação da China com problemas de queda da atividade e agravamento da crise no setor imobiliário.

BC Emite Alerta Óbvio e Tardio Sobre o que Deveria Ter Feito e Não Fez
 

Artigos Relacionados

Julio Hegedus Netto
O Mundo em Transe Por Julio Hegedus Netto - 26.11.2021 7

Na Europa, vários países anunciam lockdown, diante do avanço do Covid, em especial, para os não vacinados. Na África do Sul, uma nova cepa volta...

BC Emite Alerta Óbvio e Tardio Sobre o que Deveria Ter Feito e Não Fez

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (3)
Paulo Schmidt
Paulo Schmidt 19.10.2021 16:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Fizeram tudo de caso pensado. Foi para privilegiar um único setor da economia, no qual o governo tem o maior apoio.
Nathan Silva
Nathan Silva 18.10.2021 17:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O BC baixou demais a selic a 2% e agora irá a 7,25% na semana que vem. Com o mercado já prevendo 9% e a curva de juros 12%. O BC demorou mas já elevou em 525 pontos e vai continuar. Não podemos esquecer do maior componente da inflação que é o fiscal. Não se gasta tanto como esse governo sem gerar inflação. Mesmo com juros altos. E agora irá postergar os precatórios para gastar mais 50 bi. Não há juros que resolva. Iremos afundar em mais inflação. O pior é que se o governo não gastar a sociedade irá reclamar e sairá em todas as mídias contrárias ao governo.
Luiz Fadigas
Luiz Fadigas 18.10.2021 9:47
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
😎👉👉👉
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail