📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

BCE larga na frente do Fed e o mercado sente

Publicado 06.06.2024, 09:06
Atualizado 10.01.2024, 08:22
AAPL
-
NVDA
-
IBOV
-
PETR4
-
VALE3
-

A disputa entre os dois lados do Atlântico Norte terá um vencedor hoje. O Banco Central Europeu (BCE) deve confirmar pela manhã (9h15) o primeiro corte nos juros da zona do euro em cinco anos. Com isso, larga na frente do Federal Reserve, que insiste em manter a taxa dos Estados Unidos no nível mais alto desde 2001.

Essa demora do Fed em se mover, ao passo que outros BCs europeus - como o da Suécia - e da própria América do Norte - como o do Canadá - iniciaram o ritmo de queda, provoca um descompasso na condução das taxas de juros no mundo, com impactos no mercado global. A principal consequência é um dólar cada vez mais forte de modo generalizado.

Portanto, não é o real que está fraco. É a moeda dos EUA que segue buscando níveis vistos em 2023 (ou antes), uma vez que o tão aguardado ciclo de queda dos juros neste ano sequer começou. A lentidão do Fed é tanta que o mercado já tem dúvidas se apenas um corte de 0,25 ponto em setembro será o suficiente para impulsionar os ativos de risco.

Provavelmente não. Afinal, já existe um gap considerável entre o juro praticado nos EUA e nas principais economias do mundo. Aí, os especialistas de plantão tentam encontrar razões para explicar as seis quedas consecutivas do Ibovespa até ontem, acumulando perda de 2,5% apenas neste período.

Por mais que se atribua o comportamento recente ao cenário doméstico, com o mercado “descontente com o andar da política econômica brasileira e incomodado com os ruídos fiscais”, o motivo é externo. E não, não se trata da baixa recente das commodities, principalmente do petróleo e do minério de ferro.

Aliás, Vale (BVMF:VALE3) e Petrobras (BVMF:PETR4) só estão sendo pressionadas por serem as ações mais líquidas da bolsa. São, portanto, a porta de saída do mercado acionário local - em especial, para os estrangeiros. Você pode até duvidar, mas é o atraso relativo do Fed na corrida pelo corte dos juros que cria uma disfuncionalidade entre os ativos, inclusive entre as big techs.

Nvidia vê Apple pelo retrovisor

A ponto de fazer a Nvidia (NASDAQ:NVDA) superar a marca de US$ 3 trilhões em valor de mercado e ultrapassar a Apple (NASDAQ:AAPL). Como já dito, a fabricante de chips avançados está navegando em meio às tensões entre EUA e China e foi forçada a vender seu produto top de linha, o H20, a um preço abaixo do Ascend 910B da Huawei no mercado chinês.

Os próprios executivos da empresa americana reconhecem que a receita de data center na China caiu significativamente devido às restrições de controle de exportações impostas por Washington. Qualquer semelhança com o que aconteceu com a venda de smartphones da marca da maçã entre os consumidores asiáticos não é mera coincidência.

Publicação Original

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.