Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Com corte de juros no radar, mercado prevê 1,8% para PIB em 2024

Publicado 02.03.2024, 05:39
Atualizado 03.03.2024, 11:58
Com corte de juros no radar, mercado prevê 1,8% para PIB em 2024

O mercado ajustou nesta sexta, 1º, suas projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2024, com a mediana saindo de 1,7% para 1,8%, mostra pesquisa feita pelo Projeções Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado). Já a estimativa para o crescimento da economia brasileira no primeiro trimestre permaneceu inalterada, em 0,4%, após estabilidade (0%) no quarto trimestre do ano passado. Os analistas projetam avanço de 0,5% do PIB no segundo trimestre; de 0,4% no terceiro; e de 0,5% nos últimos três meses do ano.

A redução de ritmo em relação a 2023 (alta de 2,9%) tem a ver com a expectativa de que a agricultura não deve ter o mesmo desempenho neste ano, por conta de efeitos climáticos. Os dados da Companhia Nacional da Abastecimento (Conab) apontam para 316,7 milhões de toneladas na safra 2023/2024, 1,5% abaixo do observado na safra 2022/2023. Sem a força do setor, os analistas afirmam que novas reduções da Selic e a ampliação do crédito, além de um mercado de trabalho ainda forte, devem sustentar a atividade do País.

Após a divulgação dos dados de 2023, várias instituições financeiras reiteraram suas projeções para o PIB de 2024, como Bank of America (2,2%), G5 Partners (2,1%), UBS BB (2,0%), Bradesco (2,0%), Itaú Unibanco (1,8%), PicPay (1,8%), Citi (1,5%), Banco BV (1,5%) e WHG (1,5%).

Houve em parte do mercado, porém, um movimento de aumento das projeções. O BTG Pactual subiu de 1,7% para 2,0% a estimativa para o PIB do ano, e a Porto Asset Management, de 1,5% para 1,8%. A XP Investimentos colocou sob revisão o cenário anterior de crescimento de 1,5% e afirmou, em nota, que o resultado deve ficar mais próximo de 2,0%.

O economista-chefe da Porto Asset, Felipe Sichel, considerou a consolidação da melhora no cenário de crédito ao rever sua projeção para o PIB. A conjuntura, afirma, reflete o efeito inicial do ciclo de cortes da taxa Selic. Ao comentar os dados divulgados ontem pelo IBGE, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, reiterou a previsão de crescimento de 2,2% para 2024, ao apostar em tendência positiva para a indústria e a construção civil ao longo do ano.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Últimos comentários

LOGICA PTSTA.. se se mexer... vc taxa.. se começar a parar... vc regulamenta... se estiver morrendo... vc subsidia...
Tudo atrelado ao juros... Cadê o velho crescimento industrial por Bootstraping ? E, da mesma forma, os juros ainda estariam altas para o nosso país...
na estratégia do PT esperar redução dos juros é tudo o que podem fazer
E as projeções vão caindo lentamente…repito: será no maximo de 1%
tudo mentira o Agronegócio pede socorro no Brasil
Quero que o Agro se fo.
tá brincando né 🤣 o agro é estremanente forte e moderno
calma.. temos o PTMST pra ajudar...
o mercado pode prever o que quiser, mas o PIB que vai ser divulgado é aquele numero inventado pelo Pochmann
No seu mundo mágico as coisas funcionam assim. Parabéns
Se, no ano passado, o mercado previa crescimento de 0,5%, mas o PIB cresceu 2,9%, este ano passará de 3% com o mercado projetando 1,8% de crescimento.
Agronegocio foi quem puxou o PIB
 ...quem puxou o PIB prá cima foi o Pochmann
Com corte de gastos e impostos poderia crescer o dobro.
Mais imposto , vao matar a galinha dos ovos de ouro
então aprende a ler. corte de gastos e impostos
Aí chega próximo ao final de ano revisam para cima, mais uma vez.... Rsrsrsrs Parabéns Haddad/Luladrão... Brasil desisolado estava voltando a nos dar orgulho de sermos brasileiros... 9ª economia mundial e subindo...#VoaBrasil
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.