Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Juro dos EUA vai cair, mas não voltar ao nível pós-crise de 2008, avalia Picchetti, do BC

Publicado 11.06.2024, 08:38
Juro dos EUA vai cair, mas não voltar ao nível pós-crise de 2008, avalia Picchetti, do BC

A inflação americana eventualmente vai convergir para a meta e o Federal Reserve poderá cortar juros. Mas eles dificilmente vão voltar para o nível pré-crise de 2008, já que a taxa neutra de juros dos Estados Unidos cresceu e não deve retornar aos níveis anteriores. A avaliação é do diretor de Assuntos Internacionais e Gestão de Riscos Corporativos do Banco Central, Paulo Picchetti.

"Provavelmente aquela taxa de juros neutra de longo prazo que a gente viu nas várias estimativas não vai voltar, no cenário prospectivo que a gente vê à frente", disse Picchetti, em um webinar da Fundação Getulio Vargas (FGV). "Você vai ter uma queda de taxa de juros, mas não para os níveis anteriores, pré-pandemia, que a gente viu naquele período de estagnação secular."

O diretor do BC explicou que o juro neutro americano parece ter avançado desde o fim da pandemia. Ele lembrou que houve um aumento relevante da dívida global que, combinado com o aumento dos juros e do custo da rolagem, tem efeitos sobre a taxa neutra.

"A projeção de pagamento de juros e, com isso, o crescimento da dívida, pelo próprio efeito da rolagem, faz parte do que é a dinâmica da taxa de juros de equilíbrio daqui para a frente", afirmou.

Ele lembrou que investimentos feitos em inteligência artificial devem levar a um impacto positivo sobre a produtividade, com efeito também sobre a taxa neutra de juros. Outro ponto, ele mencionou pouco antes, é que deve haver investimentos na transição energética, que também podem levar a algum aumento do juro neutro.

Nem um, nem outro

Picchetti,afirmou que, em sua avaliação, o corte de juros nos Estados Unidos deve ocorrer quando houver arrefecimento dos núcleos de inflação e desaceleração do nível de atividade.

"Por enquanto não vimos nem um, nem outro", pontuou.

Picchetti afirmou que os dados de intenção de compras dos empresários até começam a mostrar sinais de desaceleração da manufatura, mas que os serviços seguem fortes. Há ainda uma preocupação com o fiscal. "Ainda tem uma série de estímulos que estão fazendo efeito."

A perspectiva, afirmou, não tende a melhorar com as eleições. "Um candidato tem como bandeira o corte de impostos e outro, a continuidade do aumento de gastos."

Brasil

O diretor de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos do Banco Central ponderou que embora o juro real seja alto no Brasil, não é particularmente elevado em relação a pares.

O diretor frisou que o Brasil registra uma taxa neutra de juros alta e que por trás disso há uma preocupação grande com o cenário fiscal. "A percepção do mercado sobre o fiscal piorou no passado recente", disse em webinar promovido pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.