🔮 Melhor do que Buffett? Nosso Preço-Justo achou essa joia com +42% 5 meses antes deleLibere o preço-justo

Portugal rejeita ação da extrema-direita de acusar presidente de traição por apoio a reparações pela escravidão

Publicado 15.05.2024, 10:51
© Reuters. Presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa
 9/11/2023   REUTERS/Pedro Nunes

Por Catarina Demony

LISBOA (Reuters) - O Parlamento de Portugal rejeitou nesta quarta-feira uma proposta da extrema-direita para acusar o presidente do país de traição por causa de seu apoio a reparações pela escravidão transatlântica e pelo colonialismo.

No mês passado, o presidente Marcelo Rebelo de Sousa disse que era necessário abordar os erros do passado, provocando um debate nacional e fortes críticas dos partidos de direita, particularmente do Chega, de extrema-direita.

Rebelo de Sousa sugeriu o cancelamento da dívida de ex-colônias e a concessão de financiamento.

Após os comentários, o governo, que tem poderes executivos, disse que não iniciaria nenhum processo de reparação e o Chega - terceiro maior partido de Portugal - sugeriu um processo criminal contra o presidente por traição.

"Os partidos são livres para propor o que quiserem", disse Rebelo de Sousa, acrescentando que isso "faz parte da democracia".

Durante mais de quatro séculos, pelo menos 12,5 milhões de africanos foram sequestrados, transportados à força e vendidos como escravos.

Portugal traficou quase 6 milhões de africanos, mais do que qualquer outra nação europeia, mas pouco fez para enfrentar seu passado.

Em vez disso, a era colonial, durante a qual países como Angola, Moçambique e Brasil foram submetidos ao domínio português, é frequentemente vista como uma fonte de orgulho.

"As declarações do presidente representam uma profunda traição à nossa história", disse o líder do Chega, André Ventura, ao Parlamento em um debate convocado para discutir a questão.

Todos os partidos, inclusive o governista Social Democrata (PSD), disseram que não apoiariam a proposta do Chega. Sem esse apoio, a ação não pode avançar.

A parlamentar do Bloco de Esquerda Joana Mortágua afirmou que os negros ainda sofrem os legados da escravidão transatlântica e do colonialismo, incluindo o racismo. "Não estamos falando apenas do passado", disse ela.

© Reuters. Presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa
 9/11/2023   REUTERS/Pedro Nunes

A parlamentar do PSD Regina Bastos argumentou que o passado deve ser deixado para trás e que a prioridade deve ser dada ao que pode ser feito agora. Bastos e outros parlamentares acusaram Ventura de oportunismo político.

O ministro das Relações Exteriores, Paulo Rangel, reiterou a posição do governo, mas disse que haveria "desculpas" quando apropriado.

A ideia de fazer reparações pela escravidão transatlântica e pelo colonialismo tem uma longa história e permanece profundamente contestada, mas vem ganhando força em todo o mundo.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.