😎 Promoção de meio de ano - Até 50% de desconto em ações selecionadas por IA no InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

MGLU3: Acordo com Aliexpress pode beneficiar Magazine Luiza na competição com Temu

Publicado 24.06.2024, 15:45
© Magazine Luiza
MGLU3
-
BABA
-

Investing.com - O acordo anunciado nesta segunda-feira (24) entre o Magazine Luiza (BVMF:MGLU3) e o Aliexpress, de venda dos produtos de cada empresa na plataforma do parceiro, vai fornecer à Magalu um canal de vendas adicional que pode beneficiá-la na competição com a Temu, plataforma chinesa de e-commerce conhecida por seus preços agressivos e concorrente da Aliexpress. Essa é a avaliação dos analistas Ruben Couto, Eric Huang e Vitor Fuziharo do Santander (BVMF:SANB11).

LEIA MAIS - Temu: Qual é o impacto do novo marketplace chinês para Magalu e Mercado Livre?

A parceria tem o potencial de solidificar ainda mais a liderança da Magalu no mercado de bens duráveis, que passarão a ser vendidos na plataforma chinesa. "A empresa pode alavancar a vasta base de usuários do AliExpress para vender produtos de seu negócio principal de bens duráveis", dizem os analistas.

Ao mesmo tempo, a parceria vai ampliar a oferta de produtos de ticket médio menor na plataforma brasileira, o que deve levar a um aumento de frequência em sua plataforma. "Um rápido olhar nos 20 produtos mais vendidos do AliExpress Choice mostra um preço médio de aproximadamente R$ 90,00, em comparação com um ticket médio de aproximadamente R$ 1.000,00 e R$ 350,00 para os canais de vendas 1P e 3P da Magalu, respectivamente", avalia o Santander. "Magalu vai capturar vendas que anteriormente não conseguia devido à falta de produtos de baixo valor", prosseguem os analistas.

O anúncio do acordo foi o gatilho para a disparada de preço das ações da Magalu hoje. Os papéis avançavam 9,6% a R$ 11,87 Às 15h32, com pico em R$ 12,39.

Acordo Magalu e Aliexpress

O acordo prevê a venda dos produtos de Magalu e Aliexpress em ambas as plataformas. Segundo o Memorando de Entendimento anunciado hoje pela Magazine Luiza, o Aliexpress passará a vender seus produtos Choice (de melhor custo-benefício e entrega rápida, segundo a companhia chinesa) no marketplace do Magazine Luiza (3P). 

"Os pedidos realizados no Magalu serão importados por meio do programa Remessa Conforme, impulsionando a operação cross border da companhia", afirmou a empresa brasileira.

Já a companhia brasileira oferecerá produtos do seu estoque próprio, especialmente de bens duráveis, na plataforma brasileira do Aliexpress. 

Em coletiva de imprensa para anunciar a parceria, o CEO do Magazine Luiza, Frederico Trajano, afirmou que a companhia cobrará um "take-rate" do Aliexpress nas vendas deles no Magalu, e vice-versa, e que essas taxas foram negociadas ao longo dos últimos sete meses.

As operações devem iniciar no terceiro trimestre de 2024. Cada empresa será responsável pela logística da venda de seus produtos.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.