Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
👀 Invista igual ao Warren Buffett e lucre +174.3% acima do badalado S&P 500 Aproveite desconto de 40%

ENTREVISTSA: 'Estamos vivendo um miniboom no mercado imobiliário'

Publicado 16.04.2021 10:03 Atualizado 16.04.2021 13:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. 'Estamos vivendo um miniboom no mercado imobiliário'
 
USD/BRL
-0,34%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Um alinhamento favorável de fatores, como juro baixo, disponibilidade de crédito e revalorização do papel da moradia que veio com a pandemia, provocou um miniboom no mercado imobiliário, segundo Marcello Romero, CEO da Bossa Nova Sotheby's International Realty, imobiliária especializada em imóveis de luxo. Na sua avaliação, o movimento foi mais acentuado no segmento de alto padrão. O executivo acredita que esse miniboom seja sustentável, mas alerta que um fator de risco é a forte pressão inflacionária que há no setor e os efeitos sobre lançamentos. A seguir, os principais trechos da entrevista.

ANÁLISE: FIIs: Os Escritórios Acabarão?

Qual é a sua avaliação do mercado, de uma maneira geral?

O que estamos experimentando é um miniboom. Ele está ocorrendo porque reunimos condições muito interessantes para a retomada da compra de imóveis. Nos últimos anos, entre 2015 e 2019, passamos por um período complicado. A taxa básica de juros, a Selic, na casa de dois dígitos fazia com que as pessoas deixassem o dinheiro aplicado na renda fixa, com praticamente zero de risco. E taxa Selic baliza os juros do crédito imobiliário, que também estavam elevados. Além disso, havia bastante incerteza, impeachment, greve dos caminhoneiros. Todos esses fatores seguraram o mercado durante esse período.

E o que mudou?

A taxa básica de juros caiu para 2% ao ano, o piso histórico, e o crédito imobiliário acompanhou. Com isso, deixar o dinheiro aplicado na renda fixa passou a não ser bom negócio. Inclusive, com os juros do crédito imobiliário baixos, as pessoas começaram a repensar se vale a pena alugar uma moradia ou adquirir um imóvel. Muitas vezes a prestação do financiamento é menor do que o valor do aluguel.

Nesse cenário de juro baixo, qual foi o efeito da pandemia?

A pandemia fez com que as pessoas repensassem o seu modo de viver e a moradia, mesmo com toda a incerteza que ela provocou. Com isso, a demanda pela compra de imóvel começou a se mostrar maior do que a oferta. Além disso, há crédito imobiliário e os juros são baixos. Houve um alinhamento de fatores que permitiu a retomada do mercado mesmo num cenário de pandemia.

LEIA TAMBÉM: Prédios ganham novo perfil de inquilinos

Esse movimento foi acentuado para os imóveis de maior valor?

Sim. A oferta não cresceu nos últimos anos para esse segmento. Por causa da crise, as incorporadoras focaram os lançamentos no segmento intermediário. Também há uma dificuldade gigantesca no segmento de alto padrão para formar áreas. Levam dois, três, quatro, até oito anos para colocar um empreendimento desse porte de pé. Há escassez de terrenos. No caso de condomínios de campo de alto padrão a 100 quilômetros de São Paulo, não há novos empreendimentos lançados. Neste caso, levam cinco, dez anos para se ter um novo empreendimento, por conta de encontrar a área adequada, comprar a terra, aprovar o projeto, obter a licença ambiental. Por causa da pouca oferta desse tipo de imóvel, os preços aumentaram assustadoramente. A alta foi de 300% no último ano.

Esse miniboom se sustenta?

Sim. Mesmo que houver uma escalada gradual dos juros básicos, a previsão é que a Selic chegue ao final do ano entre 5% e 6%. O crédito imobiliário deve acompanhar essa subida de forma gradativa. Não vamos ter de volta de juros na casa de dois dígitos. O dólar médio deve permanecer cotado entre R$ 5,20 e R$ 5,30. Nesse cenário, o mercado imobiliário continuará sendo uma oportunidade e deve se manter aquecido, especialmente o segmento de alto padrão.

Qual o fator de risco?

Um ponto de atenção é a inflação do setor. O índice que mede a inflação da construção civil, o INCC, está bastante pressionado. Por causa dessa pressão, os incorporadores estão revendo as estratégias de lançamentos, na expectativa de que, com o avanço da vacinação, a indústria de insumos volte à normalidade e a pressão inflacionária diminua.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

ENTREVISTSA: 'Estamos vivendo um miniboom no mercado imobiliário'
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (7)
Denny Valente Valente
Denny Valente Valente 16.04.2021 20:28
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
então ele disse q a prestação fica menor que o aluguel. quer dizer q basta se encaixar no orçamento e bum, vc deva comprar? mesmo tendo q pagar as vezes dois imóveis a mais pra se ter um...além da baixa liquidez...
Marco Virgini
Marco Virgini 16.04.2021 20:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O entrevistado é do ramo imobiliário , se ele nao acreditar no negocio dele , vai acreditar em que ? Obviamente ta vendendo o peixe dele mesmo a despeito da expectativa de aumento da selic nos proximos anos e a disparada obscena no custo dos materiais de construção....
Moshe Marcel
Moshe Marcel 16.04.2021 20:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
quem é o entrevistado?
Wanderson Emilio
Wanderson Emilio 16.04.2021 19:16
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
onde é esse boom? tenho ações MRV, JHSF, Helbor, fundos imobiliários de 6 segmentos diferentes e não tô vendo nada acontecer na minha carteira.
Marco Mr
MarcoMr 16.04.2021 19:16
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Não? Veja HCTR11 e TGAR11
joao carlos de freitas nunes
FreitasNunesArqu 16.04.2021 19:08
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O custo de material da construção civil, assim como em outras diversas áreas, teve um aumento brutal dos valores de seus insumos. Dificil saber como será feito para equalizar os valores altos com valor possível de venda. Nos automóveis, a solução vai passar a ser o aluguel do carro, quem sabe com o empobrecimento geral, vamos ter que seguir caminho semelhante na habitação, o morador não voltará mais a ser proprietário de nada.
Bruno Martins
Bruno Martins 16.04.2021 19:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
petista desgraça
Augusto Beltrao
Augusto Beltrao 16.04.2021 19:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Caramba, que reportagem mentirosa. Tentando passar algo que não existe. Os contratos imobiliarios de financiamento cairam quase 35% no ultimo ano e nesse trimestre não houve nenhum aumento relevante. Os balanços das construtoras estão enxugados e com VGV baixo. Impressionante como tentam passar uma mentira com intuito de aquecer o mercado. Manda ele mostrar o balanço da empresa dele para vermos o quanto aquecido esta.
Mostrar respostas anteriores (2)
Wellghton Luis Costa
Wellghton Luis Costa 16.04.2021 19:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ele está certo, o mercado imobiliário está aquecendo sim. Aqui na Grande Natal RN tem construção geral. Tem condomínio de casas que tem maus construções do que casa construída. E em relação as construtoras tipo MRV vai sentir esse crescimento mais para frente.
Wellghton Luis Costa
Wellghton Luis Costa 16.04.2021 19:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Wellghton Luis Costa
Wellghton Luis Costa 16.04.2021 19:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Wellghton Luis Costa
Wellghton Luis Costa 16.04.2021 19:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Wellghton Luis Costa
Wellghton Luis Costa 16.04.2021 19:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Denver Teixeira
Denver Teixeira 16.04.2021 18:09
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
será um sinal de aquecimento no mercado imobiliário???
Hélio Sena Neto
Hélio Sena Neto 16.04.2021 18:09
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
É um sinal pela bolha causada pela inflacao, o brasil emitiou mais moeda do que os 4 anos passados juntos, logo logo cai a ficha
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail