Últimas Notícias
0

Aplicações de pessoas físicas cresceram 9% em 2018 e arriscaram mais

Ações12.02.2019 09:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Aplicações de pessoas físicas cresceram 9% em 2018 e arriscaram mais

Arena do Pavini - As aplicações de pessoas físicas em fundos de investimento, títulos e valores mobiliários, ações e poupança, excluindo previdência, cresceram 9% no ano passado, atingindo R$ 2,797,5 trilhões, informou hoje a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). O crescimento foi maior que a variação do juro do juro básico Selic, de 6,5%, mas pode ter sido influenciado pela rentabilidade da bolsa e de outros ativos acima dos juros.

O crescimento foi puxado pelo chamado Varejo Alta Renda, segmento diferenciado dos grandes bancos, que aumentou 12,1%, para R$ 872,6 bilhões, em meio ao esforço dos bancos em oferecer mais títulos, fundos e carteiras diferenciadas para os investidores por conta da queda dos juros básicos e da concorrência das corretoras independentes. Esse público intermediário, entre o varejo e o private, é o alvo das corretoras, que oferecem principalmente fundos multimercados de gestores independentes e títulos isentos de bancos menores e de empresas.

Já o segmento de varejo tradicional apresentou crescimento de 4,7%, abaixo do CDI, indicando migração de investidores ou baixa rentabilidade das carteiras. O saldo final de aplicações em fundos de varejo ficou em R$ 958,7 bilhões.

No segmento de alta renda, ou private bank, o crescimento de recursos foi de 10,7%, para R$ 966,2 bilhões.

Número de contas cresceu 4,7%

O número de contas de pessoas físicas cresceu 4,7% em 2018 em relação a dezembro do ano anterior, somando 77,044 milhões de contas. A imensa maioria, 64,956 milhões contas, é de poupança, com um crescimento de 3,82%. As contas para aplicação em títulos e valores mobiliários cresceram 9,8%, para 6,248 milhões, e as de fundos de investimentos, 9,23%, para 5,841 milhões de contas.

Poupança, renda variável e multimercados ganham espaço

As aplicações em renda variável ganharam destaque no ano passado nas carteiras de varejo graças à queda dos juros para 6,5% e a melhora da bolsa. Os fundos de ações cresceram 51,3%, enquanto as ações aumentaram em 40,7% nas carteiras. Já os multimercados continuaram crescendo, 33% em 2018, mas em ritmo bem menor que os 117,1% de 2017. Fundos cambiais também aumentaram sua presença no varejo, com 44,1% de aumento, e a poupança também aumentou, 10%, um pouco mais que os 8% do ano anterior.

Parcela ainda pequena no risco

Apesar do crescimento, a parcela em ações das carteiras de varejo segue discreta. Nas carteiras de varejo de alta renda, as ações passaram de 4% da carteira total de 2017 para 5,5% em 2018. Os multimercados, que possuem parcela em ações e são mais arriscados que a renda fixa, aumentaram sua fatia de 7,8% para 9,6%. Ou seja, somados, esses ativos chegam a modestos 15% das carteiras de varejo de alta renda.

Já no varejo tradicional, essa diversificação é ainda menor, com 1,0% em ações (1,1% no ano anterior) e 0,9% em multimercados (mesmo percentual de 2017), e grande concentração, 64,6% em poupança. A parcela de LCI e LCA nessas carteiras também caiu de 8% para 5,6%, em virtude da queda de oferta de papéis pelos bancos. E CDBs e fundos renda fixa cresceram, de 8,7% para 9,1% e de 15,3% para 16,1%, respectivamente.

Varejo continua concentrado em poupança

O varejo tradicional segue altamente concentrado em poupança, afirma Claudio Sanches, vice-presidente do Comitê de Varejo da Associação. Até essa pode ser uma explicação para o crescimento da carteira abaixo da Selic, pela menor rentabilidade da caderneta em relação ao juro básico, inclusive por sua isenção. Houve também uma diferença grande na captação entre o primeiro e o segundo semestre, com eventos que agitaram a economia, como a greve dos caminhoneiros, e um aumento do consumo das famílias que reduziu as aplicações e aumentou os resgates no varejo tradicional.

Mas a tendência de diversificação aparece claramente no comportamento geral do varejo tradicional e de alta renda com relação aos fundos de renda fixa, que cresceram 5,5% em 2018, bem menos que os 25,3% de 2017, em virtude da queda da taxa Selic, que fez esses fundos perderem atratividade.

Em compensação, houve forte crescimento dos multimercados em continuidade ao do ano passado, e em ações, cujo volume nas carteiras ainda é menor. Fundos cambiais também cresceram muito, mas são ainda menos expressivos em volume. “O grande destaque foi o crescimento de ações por conta da bolsa no ano passado”, diz.

Menos compromissadas, LCI e LCA e mais CDB

Ainda em renda fixa, houve uma forte queda em operações compromissadas, em que o banco vende um título do governo ao cliente com compromisso de recomprá-lo em determinado prazo. O Banco Central limitou essas operações, o que fez com que elas caíssem pelo segundo ano consecutivo, 44,1% em 2018 e 43,8% em 2017. Em compensação, os bancos passaram a oferecer mais CDBs que cresceram 14,9% no ano, mais que os 12,1% do ano passado, também pela retomada discreta do crédito.

Já as Letras de Crédito Imobiliário (LCI), muito procuradas por sua isenção, registraram uma queda de 20,6% nas carteiras de varejo, depois de caírem 10,1% no ano anterior. As LCA, do Agronegócio, que caíram 40,2% em 2017, cresceram levemente em 2018, 2%. “A queda em LCI e LCA está mais relacionada à oferta de crédito dos bancos e com a capacidade de criar garantias para essas operações com a economia ainda devagar”, explica Sanches.

O dinheiro segue concentrado na Região Sudeste, com 64% dos recursos, observa o executivo.

Por Arena do Pavini

Aplicações de pessoas físicas cresceram 9% em 2018 e arriscaram mais
 

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias ou ataques pessoais dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Registrar-se com Google
ou
Registrar-se com o e-mail