Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Últimas Notícias

Fed deve indicar alta de juros em março em meio ao combate contra a inflação

Bancos vão apoiar aliança por pauta verde

Ações02.10.2020 07:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Bancos vão apoiar aliança por pauta verde

A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, que reúne organizações ambientalistas e do agronegócio, recebeu ontem um apoio de peso do setor financeiro. Bradesco (SA:BBDC4), Itaú Unibanco e Santander (SA:SANB11) aderiram ao grupo que busca consensos a fim de apontar caminhos para problemas que hoje ameaçam afetar negócios no Brasil, como o desmatamento da Amazônia.

Em comunicado conjunto, os três maiores bancos privados do País - que, em julho, já tinham anunciado a criação do Plano Amazônia, voltado ao desenvolvimento sustentável da Amazônia e à proteção da floresta - afirmaram que o objetivo é implementar ações para promover um novo modelo de desenvolvimento econômico no País. A pauta, disseram, é a economia de baixo carbono, a fim de responder aos desafios das mudanças climáticas e trazer avanços na agenda de clima e agropecuária no Brasil.

O anúncio ocorre em meio a maior cobrança pelo rastreio da cadeia agropecuária, e os bancos têm sido cobrados a negarem crédito para os que desmatam ilegalmente a Amazônia. O rastreio eficaz e fiscalização são alguns dos desafios para analisar toda a cadeia, do início ao fim.

Em outra nota enviada ao Estadão, os três bancos explicaram que reconhecem na Coalizão um ambiente no qual podem somar esforços com outras empresas e organizações da sociedade civil. "A agenda de preservação da floresta e de combate ao desmatamento exige atuação conjunta. Por isso, além de promover ações no âmbito de atuação dos bancos, temos buscado atuar em fóruns empresariais e agora com a Coalizão."

Segundo as três instituições, o Plano Amazônia continua sendo implementado e, entre as prioridades, estão a atuação junto ao setor frigorífico para eliminar o desmatamento da cadeia da carne, apoio ao desenvolvimento de culturas sustentáveis, regularização fundiária e fomento à bioeconomia. "Estamos falando sobre condições de acesso a crédito, adoção de diligências na concessão de financiamentos, entre outras ações", citou a nota. "A Coalizão tem uma agenda mais ampla, que possui convergências com os compromissos dos bancos."

Adesões

Hoje com mais de 200 membros, a Coalizão tem ganhado força com a adesão de mais entidades e empresas do setor agropecuário, que veem riscos a seus negócios diante da repercussão negativa que a crise ambiental do País tem causado mundo agora.

Desde 2019, aderiram os frigoríficos Marfrig (SA:MRFG3), JBS (SA:JBSS3) e BRF (SA:BRFS3) e associações como Abiec (exportadoras de carne), Abrapalma (produtores de óleo de palma) e União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes). Elas se uniram a entidades como Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Instituto de Pesquisas Ambientais da Amazônia (Ipam) e WWF-Brasil. O grupo, porém, teve a perda do Observatório do Clima.

"Hoje, somos o maior movimento de diálogo cidadão no que tange à agricultura, ao clima e à floresta no Brasil. O crescimento que tivemos neste ano mostra o momento de grande anseio por diálogo e por uma construção positiva entre o agronegócio, os setores de clima e agora dos serviços financeiros", disse ao Estadão Marcello Brito, um dos cofacilitadores da Coalizão e presidente da Abag.

"Em todo o mundo, a presença dos bancos e dos fundos de investimento nessa agenda mudou o debate que era focado no social e no ambiental. Trouxe uma nova dimensão que é da análise de risco de longo prazo", afirmou Brito.

O aumento do grupo ocorre também em um momento em que o governo tem sido cobrado por investidores sobre medidas para combater a devastação ambiental no País. "Toda a polarização que estamos vivendo no País, não só na agenda agroambiental, reflete o quanto estamos tensionados. E tensão cansa. Uma consequência é que as pessoas, as organizações e as empresas começam a buscar espaços onde possam dialogar e construir caminhos para solucionar os problemas", disse André Guimarães, também cofacilitador da Coalizão e diretor executivo do Ipam.

Apesar dos novos membros, o esforço por buscar convergências entre ruralistas e ambientalistas não tem sido fácil. No fim de 2019, a Coalizão perdeu seis entidades-chave do agronegócio, como a Sociedade Rural Brasileira (SRB). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Bancos vão apoiar aliança por pauta verde
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail