Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
👀 Invista igual ao Warren Buffett e lucre +174.3% acima do badalado S&P 500 Aproveite desconto de 40%

Análise do Payroll: nem tudo é o que parece

Por Pedro GoulartResumo do Mercado09.12.2023 10:00
br.investing.com/analysis/analise-do-payroll-nem-tudo-e-o-que-parece-200461356
Análise do Payroll: nem tudo é o que parece
Por Pedro Goulart   |  09.12.2023 10:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

A economia americana atravessa um cenário singular, caracterizado pela expectativa do mercado quanto à manifestação de indicadores que reflitam fragilidade, sinalizando a efetivação das políticas monetárias do Federal Reserve destinadas a conter a demanda agregada e, por conseguinte, mitigar a pressão inflacionária. Em termos simplificados, para que a economia dos Estados Unidos evidencie a materialização dos efeitos contracionistas, é imperativo que apresente sinais de debilidade, tais como: desaceleração do crescimento econômico, redução na produção industrial, aumento do desemprego e moderação nos índices de consumo. Esses indicadores, quando observados, corroboram a eficácia das medidas adotadas pelo Federal Reserve no intuito de atingir seus objetivos macroeconômicos e ancorar as expectativas de inflação em 2%.

Com sinais de desaceleração anteriores, os agentes de mercado precificam as curvas de juros através da efetivação das expectativas acomodatícias futuras, tanto no mercado primário, quanto no mercado secundário. No último mês, podemos enxergar uma desaceleração no mercado de trabalho, que se demonstrou materialmente no aumento marginal dos pedidos de seguro-desemprego. Isso se deu por conta da cessação dos fatores que estavam impedindo a consecução das medidas contracionistas a partir dos canais de transmissão da política monetária, ou seja, fatores endógenos americanos estavam impedindo, e ainda impedem, a concretização da transmissão ideal das medidas contracionistas. Nesse sentido, podemos enxergar claramente dois fatores que estão perpetuando esse atraso na transmissão: gastos governamentais e excesso de meios circulantes por conta de afrouxamento desmedido anterior.

Os gastos governamentais, notadamente quando se considera a magnitude da dívida total dos Estados Unidos, desempenham um papel significativo nessa equação. A extensão desses gastos, muitas vezes financiados por meio de endividamento, pode gerar impactos na eficácia das políticas monetárias ao influenciar a alocação de recursos e a dinâmica da demanda agregada.

Quando o governo, de forma desmedida e, em muitos casos, com objetivos populistas e eleitoreiros, assume o papel de indutor do crescimento e orientador da economia, pode-se observar uma série de implicações de ineficiência. Essa intervenção excessiva pode distorcer os mecanismos naturais de mercado, levando a resultados indesejados e impactando negativamente a estabilidade econômica. Ao direcionar recursos de maneira pouco eficiente, visando atender a demandas políticas imediatas em detrimento de uma abordagem fundamentada em princípios econômicos sólidos, o governo pode criar desequilíbrios e incentivos distorcidos. Essa intervenção desmedida muitas vezes resulta em desperdício de recursos, ineficiência alocativa e, em última instância, pode comprometer o crescimento econômico sustentável. Para aprofundar essa compreensão é necessário compreender o papel da praxeologia e do conhecimento difundido.

O excesso de meios circulantes proveniente de políticas monetárias expansionistas anteriores comprova outra característica intrínseca da teoria econômica, a inépcia das manipulações da moeda em detrimento da economia real. O aumento da oferta de dinheiro, quando não acompanhado por um correspondente aumento na demanda, resulta em pressões inflacionárias e distorções nos mercados financeiros.

Agora, ao ultrapassar a barreira da resiliência econômica americana, evidenciada por alguns indicadores sinalizando debilidade (isso é relativo, mas alguns agentes de mercado estavam, e ainda estão precificando isso), surge a questão: o que explica o ressurgimento da força do mercado de trabalho, refletido na redução do desemprego e em dados resilientes do Payroll na perspectiva de muitos agentes de mercado?

Primeiramente, devemos considerar que o Payroll é um indicador retroativo, ou seja, um lag indicator. Isso significa que ele reflete eventos passados e pode não capturar imediatamente as mudanças na economia. Para identificar fenômenos de frequência mais altas é necessário observar indicadores mais sensíveis, como os pedidos iniciais de seguro-desemprego. No próprio relatório do Payroll, divulgado pela BLS (Bureau of Labour Statistics), é evidenciado que os empregos criados, em sua maioria, foram nas áreas da saúde e do setor público.

Isso indica que, mesmo com o aumento no Payroll, não condiz necessariamente com a dinâmica dos agentes privados, que baseiam suas decisões em cálculos econômicos e eficiência de mercado. O fato de os empregos estarem sendo majoritariamente gerados pelo setor público e em áreas específicas pode levantar questões sobre a sustentabilidade desse crescimento, especialmente se não estiver alinhado com as demandas naturais da economia. A dependência excessiva do governo na criação de empregos pode distorcer as condições de mercado, afetando a alocação eficiente de recursos.

Além disso, o setor de manufatura também registrou um aumento conjuntural, atribuído à retomada do trabalho pelos grevistas da UAW (United Auto Workers). A interpretação desses dados sem considerar as análises conjunturais pode induzir a uma visão míope das condições atuais.

Apesar do aumento marginal observado em alguns setores devido a condições endógenas e possíveis características artificiais e temporárias, é crucial reconhecer que outros setores igualmente relevantes, como varejo e transporte, apresentaram sinais de fraqueza. Essa fraqueza, por estar associada a fatores puramente econômicos, como as expectativas dos agentes econômicos no arrefecimento da demanda no varejo e nos transportes, por conta de fatores diversos, mas, principalmente por conta do aumento das taxas de juros de mercado, representa que apesar de distorções em alguns setores, a economia americana está sentindo o aperto monetário, e a leitura "crua" dos dados do Payroll pode não transfigurar isso.

Análise do Payroll: nem tudo é o que parece
 

Artigos Relacionados

Análise do Payroll: nem tudo é o que parece

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (7)
Orlando Machado
Orlando Machado 10.12.2023 16:58
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Os caras pagam para escrever isso?
Rodolfo Gomes
Rodolfo Gomes 10.12.2023 16:58
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Tb queria saber , posso mandar meu currículo e escrevo algo mais tosco pela metade do preço
Rodolfo Gomes
Rodolfo Gomes 10.12.2023 15:04
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Nem P1NT0 cresce para sempre, cresce e amolece essa é a magica da vida.
Rodolfo Gomes
Rodolfo Gomes 10.12.2023 15:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Nem PINTO cresce para sempre, cresce e amolece essa é a magica da vida.
Rodolfo Gomes
Rodolfo Gomes 10.12.2023 15:01
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Tu ganha para escrever isso ? Esqueceu de falar de um PIB de 5,2% . Se no proximos vier 5,1% e 5% os Eua esta em recessao técnica. Prefiro um pib de 5% em recessao técnica do q o pib do Brasil de 0,1 para 0,2 em plena expansão. Vc ganha do palhaço Tiririca
Aurio Tenorio
Aurio Tenorio 10.12.2023 11:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
prefiro seguir a opinião do pneu
Roberto Silva
Roberto Silva 10.12.2023 6:50
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Aumento de emprego no serviço público é aumento de despesa, igual no Brasil, uma hora a corda quebra.
Gabriel Rotter
Gabriel Rotter 09.12.2023 13:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Pablo Escobar por aqui?
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail