Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Como Identificar um Bom Relatório de Valuation?

Por Carlos Heitor CampaniAções18.09.2020 10:17
br.investing.com/analysis/como-identificar-um-bom-relatorio-de-valuation-200437393
Como Identificar um Bom Relatório de Valuation?
Por Carlos Heitor Campani   |  18.09.2020 10:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

(Texto #1 da Série: Conceitos de Valuation)

Olá, nesta semana começo uma série de textos conceituais sobre Valuation. O tópico é extremamente importante para todos que investem ou querem investir em ações. Sem ser capaz de identificar um bom relatório de valuation, o investidor ficará a mercê de analistas, que nem sempre constroem um relatório decente. É como entregar decisões importantes para alguém que não conhecemos: pode ser que dê certo, mas pode ser que dê errado.

Para aumentar as chances de você investir em ações corretamente, ou seja, comprar aquelas com ótimo potencial de alta e vender os papéis que inverterem a mão, há dois caminhos possíveis: realizar suas próprias análises de valoração de empresas ou saber escolher adequadamente em quais análises de terceiros confiar. Em ambos os casos, essa série de textos que escreverei irá ajudar – essa é a ideia!

Ao longo de minha carreira, já fiz inúmeros valuations de empresas e de frentes de negócios, tendo algumas vezes me deparado com pontos sobre os quais percebo que muitas pessoas têm dificuldade de entender o porquê ou mesmo de aceitar que a fórmula tradicional do livro (e a maneira como “todo o mercado” faz) não é conceitualmente precisa. Abordarei esses pontos nesta série. Neste primeiro texto, darei dicas para você distinguir um bom relatório de valuation.

Valuation é a precificação de uma empresa, de uma frente de negócio ou mesmo de um projeto (isto é, de um ativo em geral). Mais precisamente, fazer um valuation é construir um modelo econômico-matemático-lógico de precificação baseado em premissas econômicas e estimativas de diversas variáveis para se chegar ao valor de determinado ativo. Quando um relatório de análise sério e bem feito afirma que o preço-alvo para a ação XWYZ3 é R$ 10,90, por detrás desse preço, há um modelo de valuation que precificou o patrimônio líquido daquela empresa, sendo este valor dividido pelo número total de ações XWYZ3 para se chegar aos R$ 10,90 por ação.

Devo deixar claro dois pontos extremamente importantes. O primeiro deles é que um valuation não é uma ciência exata: dois analistas altamente competentes e usando corretamente os conceitos e as ferramentas matemáticas disponíveis podem encontrar dois valores bastante diferentes. Isto porque eles podem ter premissas diferentes a respeito do negócio daquela empresa, ou mesmo a respeito de variáveis macroeconômicas que impactem o seu valor. O segundo ponto importante a saber é que todo valuation terá naturalmente sua parcela de incerteza. Guarde bem esses dois pontos.

Um bom valuation precisa cumprir não mais do que três condições:

  1. O ferramental matemático e a boa teoria de finanças serem corretamente aplicados;

  2. O modelo incluir todas as fontes de valor para a empresa;

  3. As premissas utilizadas serem consistentes e razoáveis.

Já vi diversos valuations ruins e alguns péssimos. Os péssimos são aqueles que não respeitam a condição (i) acima e erram na matemática ou nos conceitos de finanças, cometendo erros crassos: acredite, eles existem por aí. Os valuations ruins são aqueles que desrespeitam ao menos uma das duas outras condições, ou seja: esquecem alguma fonte de valor para a empresa ou utilizam premissas inconsistentes e/ou irrealistas. Fique sempre atento a essas três condições para você saber se considera ou não um relatório de valuation em seus processos de tomada de decisão.

De maneira objetiva, existem duas formas tradicionais de valuation, principalmente de empresas: por fluxo de caixa descontado (FCD) e por múltiplos. Ao contrário do que alguns pensam, essas duas formas não devem competir entre si, mas sim se complementarem. Vamos a isso.

O teorema fundamental de finanças diz que o valor de um ativo qualquer é a soma de todos os seus fluxos de caixa (diretos e indiretos, como por exemplo em situações de sinergia ou canibalismo) dali ad aeternum trazidos a valor presente. Portanto, o método do fluxo de caixa descontado deve ser a base de qualquer valuation. Mas então onde entram os múltiplos? Vou explicar. O valuation por múltiplos é uma ideia simples, mas com a premissa fortíssima de linearidade. Imagine que duas empresas sejam idênticas, mas uma consegue gerar o dobro do fluxo de dividendos para seus acionistas: é de se esperar que a ação dessa empresa tenha o dobro do valor de mercado do que a outra. Perceba que nesse exemplo simples, existe linearidade e a ideia de se usar o múltiplo 2 para o valor da empresa que gera o dobro do fluxo de caixa é super adequada. Mas você deve já ter percebido que no mundo real, não existem duas empresas idênticas, de forma que os múltiplos jamais serão perfeitamente comparáveis. Por exemplo, se uma empresa possui o dobro de market share que sua concorrente, não necessariamente sua ação valerá o dobro da ação de sua concorrente pois, por exemplo, ela pode ser ineficiente e ter muito mais custos proporcionais, de forma a valer, na verdade, menos que o dobro (ou vice-versa, obviamente).

Desta maneira, valuations por múltiplos devem ser encarados como uma aproximação da realidade, e note que não há problema maior nisso. Em que pese o valuation por FCD ser tecnicamente consistente, ele sempre será impreciso por conta das diversas premissas e estimativas que precisam ser feitas. Dessa forma, sempre haverá o contraponto: qual o erro maior que estou cometendo – nas premissas e estimativas do meu modelo FCD ou na aproximação pelo múltiplo utilizado?

Com essa compreensão, explico agora a forma como um valuation deve lidar com a suposta competição entre os modelos de FCD e por múltiplos. Como disse, a precificação por FCD deve ser a espinha dorsal de qualquer relatório de valuation por sua consistência conceitual. Após isso, diversos múltiplos devem ser calculados e comparados com o mercado. Se os múltiplos ficarem em linha com o mercado, isso é um indicativo que reforça o valor encontrado. Se os múltiplos não forem semelhantes aos encontrados no mercado, um bom relatório precisa explicar adequadamente por que os múltiplos encontrados diferem dos múltiplos observados no mercado. Um maior múltiplo pode indicar maior eficiência operacional, por exemplo.

Como vimos, jamais duas empresas serão iguais a ponto de observarem exatamente os mesmos múltiplos, mas dentro de algumas condições de semelhança, esperam-se múltiplos assemelhados. Eventuais diferenças podem existir, mas o relatório precisa não apenas identificar essas diferenças como também explicar o racional econômico para elas.

Se você encontrar dois relatórios que cheguem a preços bastante diferentes, examine as três condições que citei acima. Se alguma das condições não for respeitada, despreze aquele valuation. Mas há a possibilidade de ambos os relatórios terem sido bem construídos, mas com conjuntos de premissas diferentes, porém igualmente consistentes e razoáveis: nesse caso, a diferença entre os valuations pode ser explicada pelo alto grau de incerteza para o valor do ativo ou empresa. Claramente, há um grau diverso de incerteza para empresas de diferentes setores da economia em diferentes nichos de mercado. Por exemplo, avaliar uma empresa start-up com elevado nível de inovação traz sempre uma incerteza maior do que ao se avaliar uma empresa já em estágio maturado em um mercado consolidado.

Por falar em incerteza, eu sempre que emito relatórios de valuation procuro deixar claro que o resultado do modelo não é um valor, mas sim um intervalo de valores. Um bom relatório de valuation precisa testar diferentes cenários e analisar a sensibilidade do valor encontrado às variáveis mais críticas do modelo. Ao fazer as análises de cenários e de sensibilidade, dentro de premissas e parâmetros razoáveis, encontra-se como resultado um conjunto de valores que, juntos, formam uma espécie de curva de distribuição de probabilidade para o valor daquele ativo. Com essa curva, podemos construir algo similar a um intervalo de confiança para o preço daquele ativo. E então o relatório terá chegado à sua conclusão.

Não gosto de relatórios que definem o preço de uma ação em R$ 10,90 e dou preferência a relatórios que concluem que a faixa razoável de preço para aquela ação é, por exemplo, de R$ 10,20 a R$ 11,60. Isso demonstra que o analista está consciente das limitações que existem em todo valuation, estando, portanto, no mínimo um passo a frente daqueles que acreditam que trata-se de ciência exata e cravam um único valor como preço justo.

Neste primeiro texto da série “Conceitos de Valuation”, procurei dar várias dicas para se reconhecer quando um relatório foi bem construído ou deve ser descartado. Foi uma espécie de Big Picture de como um relatório de valuation deve ser. Nos próximos textos, abordarei assuntos mais específicos, porém igualmente importantes. Por exemplo, no texto da semana que vem, incluirei o risco na história e como devemos lidar com ele. Não é incomum eu encontrar erros conceituais ao lidar com o risco e com o famigerado WACC, que acabam por produzir valuations incorretos. Falarei de muitas coisas que aprendi com a prática e não estão nos livros-textos usualmente utilizados em MBAs e cursos afins. Fique ligado e nos encontramos novamente na próxima sexta.

Forte abraço a todos.

Ps. Não sabe o que é WACC? Na semana que vem explicarei não apenas o que é como também por que o chamei de famigerado.

* Carlos Heitor Campani é PhD em Finanças, Professor Pesquisador do Coppead/UFRJ e especialista em investimentos, previdência e finanças pessoais, corporativas e públicas. Ele pode ser encontrado em seu site pessoal e nas redes sociais: @carlosheitorcampani. Esta coluna sai toda sexta-feira.

Como Identificar um Bom Relatório de Valuation?
 

Artigos Relacionados

Thiago Bisi
IBOV Fecha em Queda de 0,87%   Por Thiago Bisi - 30.11.2021

Análise gráfica (técnica) do Ibovespa, Índice, Dólar e Ações Papeis em destaque: IBOV, WINZ21, SMLL, EWZ, DJI, ESFUT, NMFUT, QRFUT, DXY, DOLFUT, DI1F25, FEF2!, CL2!, UKOIL, CCMF22,...

Como Identificar um Bom Relatório de Valuation?

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (22)
Leandro Corpus
Leandro Corpus 17.10.2020 15:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns! essa eu não esqueço mais ""não existe preço exato e sim preço variável, caso o relatório estipular um preço exato descarte - o"" Essa dica é preciosa!
John Elton
John Elton 16.10.2020 15:54
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns professor! obrigado por nos oferecer mais conhecimento.
André Quirino
André Quirino 11.10.2020 6:24
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Como não entendo nada de valuation, não posso opinar....mas a leitura foi boa...vamos acompanhar os próximos artigos e analisar a balança "tempo dispensado na leitura x conhecimento agregado". Um abraço
Jairson Dias
Jairson Dias 30.09.2020 18:16
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns, excelente artigo.
Rogerio Soares
Rogerio Soares 21.09.2020 17:22
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
o mercado financeiro é todo uma farsa, a casa vai cair e não a nada que evite isso.
Marcos André
Marcos André 21.09.2020 17:22
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
vc perdeu grana por incompetência sua!
FABIO GINO FRANCESCUTTI
FABIO GINO FRANCESCUTTI 21.09.2020 0:36
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Boa noite. O autor sempre apresenta artigos coerentes e claros. Porém, questiono, modelo de precificação (valuation) do patrimônio líquido da empresa. O modelo se adequa para aquisição do controle da empresa. A compra de uma ação, dependerá das expectativas futuras do mercado sobre o fluxo de caixa (por exemplo), ainda que o fluxo se mantenha.
Carlos Heitor Campani
Campani 21.09.2020 0:36
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Olá meu amigo, obrigado pelo comentário. Eu concordo com sua conclusão (na mensagem), apenas (se você me permitir) reafirmo que o texto vale para precificação de qualquer coisa. Note que sua conclusão não entra em confronto com nada que escrevi. E sim, os fluxos de caixa que geram o valor no final do dia. Forte abraço.
André Gustavo Nunes De Melo
André Gustavo Nunes De Melo 20.09.2020 8:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Execmente tema !
Afrânio de Araújo Coelho
AfranioCoelho 19.09.2020 22:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gostei quando ele mencionou distribuição de probabilodades e intervalo de confiança. Muito bom.
Wellington Menezes
Wellington Menezes 19.09.2020 19:25
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito bom!
Paulo Almeida
Paulo Almeida 19.09.2020 15:46
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Antonio Zallocco Neto Zallocco
Antonio Zallocco Neto Zallocco 19.09.2020 12:54
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito boa materia mas ja fui enganado por um valution que certamente o profissional nao foi sério na elaboracAo e percebo agora Que certamente houve interesses proprios.
Cleber Martins
Cleber Martins 19.09.2020 12:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito bom, gostaria que nos próximos tópicos, viessem com exemplos práticos para estruturar os estudos.
Cleber Martins
Cleber Martins 19.09.2020 12:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito bom, gostaria que nos próximos tópicos, viessem com exemplos práticos para estruturar os estudos.
Paulo Adriano Araujo
Paulo Adriano Araujo 19.09.2020 12:21
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gostei da abordagem, mas sugiro que dê mais exemplos práticos ou próximo da nossa realidade. Ou seja a conta do padeiro.
Joaquim F Mello
Joaquim F Mello 19.09.2020 12:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
uma visão diferenciada....interessante
Jose Rodriguez
Jose Rodriguez 19.09.2020 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
🇻🇪 José
Jose Rodriguez
Jose Rodriguez 19.09.2020 11:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Renato Louzada
Louzadex 19.09.2020 9:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gostei muito, este é um assunto que sempre me intrigou! Estou exatamente agora estudando fundamentos de Fisher, Graham e Buffett. Ansioso pelos próximos capítulos! Obrigado Campani!
Marco Brito
Marco Brito 18.09.2020 20:43
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito bom, quero acompanhar toda a série aqui. Sou daqueles que só acredito em investimento de longo prazo e com fundamentos sólidos. Com certeza vou aprender muito até sexta!
André Uruguay
André Uruguay 18.09.2020 17:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Excelente iniciativa, Carlos Campani!!! Queria acrescentar uma sugestão a ser abordada nos próximos textos: Damodaran afirmou que em todas as suas aulas a turma sempre se dividia em 2 grupos: os "calculadores" e os "story-tellers", os "contadores de estórias". Os primeiros têm mais afinidade com a matemática, enquanto os demais se concentram mais em tentar contar uma estória que ilustre a tese de investimento sobre um Ativo. Penso que é importante você ressaltar a importância de desenvolver AMBAS as competências!!!!!! Damodaran afirmou que nunca conseguiu que esses dois grupos trabalhassem conjuntamente e em harmonia!!!!!!!!
Carlos Heitor Campani
Campani 18.09.2020 17:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Realmente um excelente comentário, muito obrigado. E concordo!
Remela Gadoso
Remela Gadoso 18.09.2020 16:38
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Mas infelizmente a atualidade é somente mercado especulativo. Fundamentos não interessam... Robôs de negociação e sardinhada day-traders...
Carlos Heitor Campani
Campani 18.09.2020 16:38
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Sim meu amigo, você tem um ponto, mas isso vale para o curto prazo. Para o longo prazo, os fundamentos se apresentam. Lembro de uma história interessante. Quando perguntado por que a maioria das pessoas não seguia a sua estratégia paciente e de longo prazo, Warren Buffet calmamente respondeu: "Porque ninguém quer ficar rico devagar". Essa frase é genial para mim e diz muito do mercado no dia-a-dia. Forte abraço e obrigado pelo comentário.
Marcelo da Matta
Marcelo da Matta 18.09.2020 11:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Texto muito bem escrito ! Otima impressao do 1º texto !Aguardando os proximos
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail