Garanta 40% de desconto
🚨 Mercados voláteis? Descubra joias escondidas para lucros extraordináriosDescubra ações agora mesmo

Efeito Eleições: Quais as Ações que Mais Perderam Valor na B3?

Publicado 25.11.2022, 09:37
Atualizado 11.10.2023, 23:02

Olá, pessoal! Após breve período de férias, esta coluna volta com pique total, sempre lembrando que ela sai sexta-feira sim, sexta-feira não. Como entrei em férias antes do segundo turno das eleições, resolvi traçar um panorama do que aconteceu com as ações da bolsa desde então. Analisei as 201 ações (e units) mais líquidas da bolsa brasileira, constituintes do índice Brasil Amplo (IBrA). Cabe lembrar que toda unit tem seu código terminado em 11 e representa um pacote de ações normalmente envolvendo ações ordinárias (ON) e preferenciais (PN). Aliás, ações ordinárias possuem códigos terminados pelo algarismo 3 enquanto ações preferenciais podem terminar em 4, 5 ou 6. Por um lado, ações ordinárias dão direito a voto em assembleias de acionistas e, portanto, originam o controle de uma companhia aberta. Por outro lado, ações preferenciais têm prioridade no recebimento de dividendos, caso estes não sejam suficientes para abranger todos os acionistas da empresa.

Como a análise trabalha com um universo bastante amplo, alguns papéis podem ser desconhecidos por um ou outro investidor. Minha ressalva, caso você se decida por acompanhar alguns dos papéis mencionados a seguir, é a liquidez. Alguns deles têm liquidez muito menor daquela que estamos acostumados, como, por exemplo, em Petrobras PN (BVMF:PETR4), Vale ON (BVMF:VALE3) e tantas outras blue chips. Não menos importante, faço questão de frisar que nenhuma rentabilidade aqui apresentada é garantia de rentabilidade futura e não tenho o menor intuito de fazer indicações de investimento. Meu objetivo é simplesmente compartilhar esse tipo de estudo para que vocês tenham diferentes ferramentas de análise para tomar decisões de investimento cada vez mais bem embasadas.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Também lembro que utilizo retornos totais, ou seja, que incorporam eventuais dividendos, juros sobre capitais próprios (JSCP), desdobramentos, bonificações etc. Com isso, algumas das rentabilidades apresentadas a seguir podem não ser exatamente iguais à variação da cotação do papel no período em tela. Os dados para a análise me foram gentilmente disponibilizados pela plataforma Quantum Finance. Para aqueles que quiserem acompanhar todo o meu trabalho, fica o convite para me seguir no Instagram @carlosheitorcampani e no LinkedIn: vamos nos conectar por lá também?

Panorama geral do mercado de ações

Cabe ressaltar que esta análise conta com dados pós-eleições presidenciais, portanto desde 31 de outubro até o fechamento da última terça-feira (22 de novembro). A tabela abaixo mostra rentabilidades e volatilidades anualizadas de alguns índices relevantes da B3 (BVMF:B3SA3) no período pós-eleições.

Podemos perceber que apenas o índice de BDRs está no azul e isto se explica por se tratar de uma carteira de papéis de empresas sediadas no exterior, portanto bem menos (muitas vezes, quase nada) impactadas pelo cenário nacional. Além disso, como BDRs representam papéis negociados em bolsas internacionais, a subida do dólar no período deu uma ajuda extra para os 4,5% de rentabilidade no período em tela.

Os índices nacionais estão todos negativados, mas pode-se concluir que, em geral, as pequenas empresas sofreram mais que as blue-chips porque o índice de pequenas empresas (SMLL) caiu mais do que o Ibovespa, apresentando também maior volatilidade. O índice amplo, por abarcar mais ações de pequenas empresas do que o Ibovespa, acabou sendo puxado mais para baixo em relação ao principal índice da bolsa. Também podemos perceber que o índice de fundos imobiliários (IFIX) caiu um pouco menos do que o Ibovespa, mas com volatilidade consideravelmente inferior – uma característica esperada deste mercado em relação ao mercado de ações.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Quais os papéis que estão no azul no período pós-eleitoral

Apurei que a queda média dentre os 201 papéis analisados no período ficou em -8,4%. Apenas cerca de 17% da amostra analisada, mais precisamente 35 papéis, estão com rentabilidades positivas neste período. Na tabela abaixo, apresento a lista deles, com respectivas rentabilidades e volatilidades anualizadas no período pós-eleições.

Quais papéis que mais perderam valor no período pós-eleitoral

Dos 201 ativos constituintes do IBrA, a maioria absoluta (166 deles) perdeu valor no período pós-eleitoral. Compartilho na tabela a seguir os 27 papéis que perderam 20% ou mais.

Espero que tenham gostado. Escrevo com muito carinho e com o intuito único de compartilhar análises e temas que possam ser úteis a vocês. Jamais invista no escuro! Faça suas próprias análises e forme uma opinião própria e consistente antes de investir em uma empresa. Por fim, reforço o convite para me seguir nas redes sociais @carlosheitorcampani, pois compartilho bastante conteúdo de educação financeira, investimentos e previdência.

 

* Carlos Heitor Campani é PhD em Finanças, Professor do Coppead/UFRJ, Pesquisador da Cátedra Brasilprev em Previdência e Pesquisador da ENS – Escola de Negócios e Seguros. Ele pode ser encontrado em www.carlosheitorcampani.com e nas redes sociais: @carlosheitorcampani. Esta coluna sai a cada duas semanas, sempre na sexta-feira.

Últimos comentários

que Aula 👍
Aprecio muitíssimo as análises do Prof.Carlos Heitor Campani, os dados apresentados permitem que o investidor pondere e formate sua própria decisão a respeito dos atvos adequados para sua carteira.
Parabéns mestre. Seus artigos são sempre de nível elevado, fácil entendimento e nunca tendenciosos.Parabéns 👏👏👏👏👏👏
Descobriu a pólvora!!! Nada que não se faça com Excel em 30 minutos!!!
Olá meu amigo. Digamos que eu tenha levado um pouquinho mais do que isso para baixar dados, planilhar, calcular, escrever, revisar etc. Mas acho que o ponto é que quem gastou o tempo fui eu, em benefício do tempo dos meus leitores, como você. Acho legal isso né? Esse é o meu objetivo: contribuir. Em vez de cada investidor "fazer com Excel em 30 minutos", multiplicando o tempo total gasto, todos podem se beneficiar dos meus "30 minutos". Forte abraço e continue por aqui sempre comentando.
Descobriu a pólvora!!! Nada que não se faça com Excel em 30 minutos!!!
Este artigo está muito acima do nível aqui do Investing. Parabenizo pela objetividade, simplicidade e acima de tudo inteligência da abordagem. O principal, não teceu uma única palavra sobre política. OUTSTANDING
Excelente artigo.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.