🔮 Melhor do que Buffett? Nosso Preço-Justo achou essa joia com +42% 5 meses antes deleLibere o preço-justo

Avanço do arcabouço fiscal já reflete em queda do juro longo e cenário está melhor, diz Campos Neto

Publicado 25.05.2023, 15:37
© Reuters. Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante sessão do Senado
15/02/2023 REUTERS/Adriano Machado

Por Bernardo Caram

BRASÍLIA (Reuters) - O avanço do arcabouço fiscal impacta as expectativas de inflação e já reflete em um recuo nos juros futuros, disse nesta quinta-feira o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que também mandou sinal ao governo ao citar estudo da autoridade monetária que mostrou ineficiência de a meta de inflação seguir o ano calendário.

"Eu reconheço o grande trabalho que foi feito pelo governo, pelo ministro (Fernando) Haddad e como o Congresso se mobilizou e fez uma votação rápida e tão expressiva em um tema como o arcabouço, que é tão importante para a gente porque influi nas expectativas", disse, em entrevista à GloboNews.

"E tem influído nas expectativas, a gente vê as taxas de juros longas caindo bastante", acrescentou.

O presidente do BC não indicou quando a taxa Selic, atualmente em 13,75% ao ano, poderá cair, voltando a dizer que é apenas um voto de nove na diretoria da autoridade monetária, mas ponderou que “o cenário está melhor”.

Na entrevista, Campos Neto afirmou que o debate sobre a meta de inflação --alvo de críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva-- ainda precisa ser resolvido e reafirmou que em momentos de incerteza como o atual o ideal era não fazer nenhum tipo de modificação.

Ainda assim, sem mencionar o governo diretamente, ele fez uma sinalização a Haddad, que já havia defendido expressamente uma "meta contínua" para a inflação, fazendo com que o alvo deixe de ser fixo no final de cada ano.

“A gente fez um estudo algum tempo atrás, iniciado por diretores que nem estão mais no Banco Central, que chegou à conclusão que havia uma ineficiência de a meta ser o ano fiscal, porque teve alguns momentos da nossa história que foram feitas desonerações em produtos que tinham peso grande na inflação para influenciar a inflação no fim do ano e fechar dentro da meta,”, disse Campos Neto.

“Isso acaba gerando mudança de preços relativos, o que não é eficiente para a economia. Então chegou-se à conclusão, olhando o que tinha sido feito no passado, que se a meta fosse contínua naquele momento não haveria aquele incentivo e que, portanto, teria sido mais eficiente”.

Campos Neto, Haddad e a ministra do Planejamento, Simone Tebet, definirão em junho a meta de inflação de 2026 no Conselho Monetário Nacional e há uma expectativa de que possam aprovar também uma alteração no calendário do regime.

SURPRESA GRANDE

O presidente do BC disse que o dado de inflação divulgado nesta quinta-feira pelo IBGE veio melhor do que o esperado, assim como os núcleos de inflação --que desconsideram itens mais voláteis.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,51% em meio, depois de avançar 0,57% em abril, mostrou o IBGE. O resultado ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de uma alta de 0,64%, e marcou a taxa mais baixa desde outubro de 2022.

"O dado de fato veio melhor, uma surpresa grande em vestuário, os núcleos de inflação vieram um pouco melhor, a gente tem dito que a inflação tem melhorado em um ritmo lento, a desinflação tem sido um pouco mais lenta do que a gente espera, mas a gente vê vários sinais positivos à frente", disse, citando melhoras na questão hídrica, commodities e alimentos no atacado.

Segundo ele, um fortalecimento do real, diante de uma desaceleração de crédito nos Estados Unidos, ajuda no processo de desaceleração de preços.

© Reuters. Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante sessão do Senado
15/02/2023 REUTERS/Adriano Machado

Campos Neto voltou a dizer que o presidente da República tem direito de falar sobre juros e afirmou que os indicados de Lula à diretoria do BC, Gabriel Galípolo e Ailton de Aquino Santos, entenderão "o quão técnico é" o processo de decisão dos juros básicos. Ressaltou ainda que permanecerá no cargo até o fim do mandato em 2024.

Ele disse que as indicações de Lula foram boas, de pessoas com capacidade técnica, e ressaltou que a diferença de opiniões na diretoria do Banco Central faz parte do processo de autonomia da autoridade monetária.

O presidente do BC afirmou que a autarquia está em processo de melhora em suas pesquisas que medem perspectivas para a inflação e ouvirá também empresários, que muitas vezes divergem de economistas ao defender redução dos juros porque sentem o custo do crédito.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.