Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira

Publicado 23.05.2024, 04:50
© Reuters
EWZ
-

Por Scott Kanowsky e Jessica Bahia Melo

Investing.com – Os futuros das ações dos EUA registravam alta antes da abertura das Bolsas em Nova York nesta quinta-feira, 23, repercutindo os resultados da Nvidia e seu crescimento com a demanda por soluções de inteligência artificial. A receita do grupo de semicondutores aumentou em 262% e o CEO, Jensen Huang, deu a entender que esse número ganhará força este ano pelo lançamento de sua mais nova linha de chips de IA.

Ainda no cenário corporativo norte-americano, a OpenAI fechou uma parceria de acesso a conteúdos com a News Corp, seu mais recente acordo com uma grande fornecedora de notícias.

No Brasil, o governo piora projeção de déficit público.

Como saber onde investir para continuar ganhando dinheiro em mercados voláteis? Experimente o InvestingPro e descubra! Clique AQUI, escolha o plano que deseja por 1 ou 2 anos e aproveite seus DESCONTOS. Obtenha até cerca de 50% aplicando o código OFERTAPRO. Não espere mais!

1. Futuros dos EUA avançam com resultados positivos da Nvidia

Os principais índices futuros americanos apresentavam alta nesta quinta-feira pela manhã, animados com o anúncio de lucros trimestrais da Nvidia (NASDAQ:NVDA), fabricante líder de chips de IA.

Às 7h55, horário de Brasília, o (S&P 500) registrava uma valorização de 0,62%, enquanto o (Nasdaq 100) e o (Dow Jones) subiam 1,01% e 0,13%, respectivamente, no mercado futuro.

Os índices encerraram o dia anterior em queda, influenciados pela ata da última reunião do Federal Reserve. Os documentos revelaram que as autoridades do banco central americano veem a inflação regressando lentamente à meta de 2%. Apesar de dados recentes indicarem uma redução nas pressões inflacionárias, as autoridades declararam nesta semana que ainda são necessárias mais evidências de que a desaceleração é duradoura antes de considerar reduções nas taxas de juros.

A probabilidade de um corte nas taxas de pelo menos 25 pontos-base pelo Fed em setembro diminuiu um pouco, segundo a FedWatch Tool do CME Group (NASDAQ:CME).

ACOMPANHE: Cotações das ações americanas

2. Nvidia supera expectativas

As ações da Nvidia subiram mais de 6% após o fechamento do mercado ontem, em reação aos robustos resultados do primeiro trimestre da companhia de semicondutores e aos comentários otimistas de seu CEO sobre a crescente demanda pelo novo chip de IA.

A receita trimestral, encerrada em 28 de abril, saltou 262% ano a ano, alcançando US$ 26 bilhões, superando as expectativas de Wall Street de US$ 24,7 bilhões. Para o próximo trimestre, a Nvidia projeta um aumento na receita para US$ 28 bilhões, acima das previsões de mercado de US$ 26,8 bilhões.

O faturamento proveniente de data centers, indicativo do desempenho dos chips de IA, cresceu 427% em comparação ao ano anterior, totalizando um recorde de US$ 22,6 bilhões. Os processadores gráficos para data centers da Nvidia tornaram-se componentes cruciais na infraestrutura de computação que suporta produtos de IA generativa.

"A próxima revolução industrial já está ocorrendo", afirmou Jensen Huang, CEO da empresa. "A IA trará melhorias significativas de produtividade para diversos setores, permitindo que as empresas sejam mais eficientes em termos de custo e energia, além de ampliar as oportunidades de receita."

Em seguida, Huang destacou aos investidores que a linha de chips Blackwell da empresa deverá gerar "muita" receita este ano, sinalizando que a demanda por IA deve permanecer robusta.

Esse otimismo também beneficiou fornecedores asiáticos da Nvidia, como os fabricantes de chips de memória SK Hynix e Samsung Electronics (KS:005930), e a TSMC, empresa de semicondutores por contrato.

3. OpenAI fecha parceria com News Corp

As ações da News Corp (NASDAQ:NWSA) avançaram no after-market após a empresa de mídia firmar um acordo com a OpenAI, garantindo à criadora do ChatGPT acesso a grandes publicações do grupo.

Pelo acordo, a OpenAI poderá acessar conteúdos novos e arquivados de importantes veículos, como The Wall Street Journal, The Times, The New York Post e Marketwatch.

Os detalhes financeiros do contrato não foram divulgados, mas segundo reportagem do Wall Street Journal, pertencente à News Corp, o valor do acordo supera os US$ 250 milhões para um período de cinco anos.

A OpenAI, que conta com suporte da Microsoft (NASDAQ:MSFT), tem buscado parcerias com grandes veículos de mídia, incluindo o Financial Times, para otimizar o treinamento de seus modelos de IA.

Contudo, a OpenAI enfrenta questionamentos legais, como a ação movida pelo The New York Times no final de 2023, acusando a empresa de uso indevido de dados para treinamento de seus modelos.

Em outra frente, as ações da Live Nation Entertainment (NYSE:LYV) despencaram após o fechamento do mercado na quarta-feira, com informações de que o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) pretende processar a matriz da Ticketmaster por práticas anticompetitivas.

Conforme reportado pela Bloomberg News, o DOJ, junto a um grupo de estados, deve apresentar a ação no Distrito Sul de Nova York até quinta-feira.

Após a divulgação, as ações da Live Nation chegaram a cair 9,3%, atingindo US$ 92, embora tenham recuperado parte das perdas posteriormente.

O processo deve evidenciar várias infrações antitruste da Ticketmaster, destacando seu domínio sobre o mercado de venda de ingressos para eventos. A ação buscará soluções, incluindo a separação entre Live Nation e Ticketmaster como uma das medidas corretivas.

4. Petróleo em alta

Os preços do petróleo registravam alta pela manhã, repercutindo a ata do Federal Reserve, que indicou a manutenção das taxas de juros americanas em níveis elevados por mais tempo.

Às 7h55, o barril do WTI, referência nos EUA, subiam 0,79%, cotados a US$ 78,18, enquanto o barril de Brent se valorizava 0,81%, a US$ 82,56, no mercado futuro.

A alta das taxas de juros pode elevar os custos de empréstimos, impactando negativamente o crescimento econômico e a demanda por petróleo no maior consumidor mundial.

Além disso, um aumento de 1,8 milhão de barris nos estoques de petróleo bruto dos EUA na última semana contribuiu para o sentimento negativo no mercado, embora os analistas projetassem um acréscimo de 2,5 milhões de barris.

CONFIRA: Cotação das principais commodities.

5. Piora na projeção de déficit do governo brasileiro

A equipe econômica do governo piorou na projeção de rombo nas contas públicas em 2024. A estimativa de déficit primário foi revisada para R$ 14,5 bilhões, ou -0,1% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias referente ao 2º bimestre. O governo também reverteu bloqueio no orçamento de R$2,9 bilhões.

Os valores não incluem gastos extraordinários com a tragédia causada pelas chuvas e enchentes no estado do Rio Grande do Sul. Se fossem contabilizados, a estimativa de déficit poderia ir a R$27,5 bilhões. No documento do primeiro bimestre, o governo projetou um saldo negativo de R$ 9,3 bilhões.

Ainda assim, o dado está dentro do intervalo da meta de déficit zero, que possui margem de tolerância de 0,25 ponto porcentual do PIB. De acordo com o secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, a mudança na projeção ocorre abertura do crédito suplementar, de R$ 15,8 bilhões, que terão destino ainda a ser definido, mas a prioridade deve ser a recomposição de gastos obrigatórios.

Às 7h56 (de Brasília), o ETF EWZ (NYSE:EWZ) recuava 0,03%.

*

Precisa de ajuda para navegar nos mercados? InvestingPro é para você!

Seja você busca conquistar orientações sobre investimentos ou procura por ferramentas que permitam escolher as ações corretas do Ibovespa ou dos mercados globais por conta própria, o InvestingPro tem algo a oferecer.

Você encontrará estratégias de IA, indicadores exclusivos, dados financeiros históricos, notícias profissionais e muitos outros serviços para sempre manter uma vantagem nos mercados e saber quais ações comprar e quais evitar.

E os leitores de nossos artigos têm por tempo limitado um desconto especial nas assinaturas. Inscreva-se agora! E não esqueça o código promocional "OFERTAPRO", válido para assinaturas Pro e Pro+ de 1 e 2 anos!

Recursos do InvestingPro - Use o cupom INVESTIR para um desconto adicional


1 ano de InvestingPro

1 ano de InvestingPro+

2 anos de InvestingPro

2 anos de InvestingPro+


Veja como aplicar o cupom no vídeo abaixo:

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.