Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Juros: Taxas sobem com risco fiscal, leitura ruim do IPCA-15 e Treasuries

Ações 24.06.2022 18:24
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
Juros: Taxas sobem com risco fiscal, leitura ruim do IPCA-15 e Treasuries

Os juros futuros fecharam a sexta-feira com alta expressiva, determinada pela leitura qualitativa ruim do IPCA-15, deterioração da percepção de risco fiscal trazida pelos ajustes na PEC dos Combustíveis e avanço no rendimento dos Treasuries. Os eventos do dia tornaram o quadro das apostas para a Selic nos próximos meses mais conservador, com a taxa terminal projetada pela curva voltando aos 14%. No balanço da semana, a inclinação ficou praticamente inalterada.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2023 encerrou em 13,64%, de 13,513% ontem no ajuste, e a do DI para janeiro de 2024 não conseguiu se manter abaixo de 13%, fechando em 13,25%, de 12,99% ontem. O DI para janeiro de 2025 terminou com taxa de 12,52% (12,224% ontem) e a do DI para janeiro de 2027 avançou a 12,46%, de 12,179%.

Após os DIs terem devolvido prêmios em várias sessões desta semana, a avaliação do mercado é de que havia espaço para recomposição das taxas em meio ao quadro de inflação pressionada, incertezas no exterior e risco fiscal crescente. A taxa do DI para janeiro de 2024, por exemplo, havia completado ontem a sexta queda consecutiva.

O ajuste começou cedo, com o IPCA-15 (0,69%) de junho pouco acima da mediana das estimativas (0,67%), e acelerando ante maio (0,59%). O problema nem foi esse, mas sim a leitura dos preços de abertura. "A composição do índice segue desfavorável, principalmente sob a ótica subjacente e dos núcleos. Para os próximos meses, as medidas tributárias devem trazer fortes recuos no IPCA, principalmente nos preços administrados, que deverão mostrar efeito rebote no ano que vem", afirma Felipe Sichel, sócio e economista-chefe do Modal. Justamente 2023 é o atual foco do horizonte relevante da política monetária.

A economista-chefe da B.Side Investimentos, Helena Veronese, diz que, apesar de praticamente em linha com o esperado, o número de hoje, em geral, não foi bom porque mostra inflação persistente e disseminada. "As perspectivas não são otimistas. Embora a gente se espere alguma desaceleração, esse último reajuste de combustíveis tem potencial de trazer novas pressões. O cenário preocupa e precisa de um BC atento e atuante como tem ficado", disse.

Pelo lado fiscal, o governo pretende ajustar os valores do auxílio-caminhoneiro para R$ 1 mil, de aumentar o vale-gás e de reajustar o Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600. As concessões seriam possíveis com a retirada da PEC da compensação a Estados que reduzirem o ICMS sobre diesel e gás de cozinha. O senador Fernando Bezerra (MDB-PE), relator da PEC dos Combustíveis, disse que o impacto fiscal total deve atingir R$ 34,8 bilhões de crédito extraordinário, fora do teto de gastos, e não os R$ 29,6 bilhões previstos anteriormente.

"O governo está cada vez mais uma vez indo na direção de aumento de gastos, buscando aumentar popularidade. Estamos há um ano recebendo notícias que estão minando a credibilidade fiscal", disse o diretor de Gestão de Renda Fixa e Multimercados da Quantitas Asset, Rogério Braga.

O saldo do dia na precificação de Selic da curva foi de aumento das apostas na elevação de 0,5 ponto porcentual no Copom de agosto, que no meio da tarde apareciam com 80% de probabilidade, ante 70% ontem, enquanto a chance de aperto menor, de 0,25 ponto, caiu de 30% ontem para 20%. Para a taxa terminal, a precificação de ontem, que era entre 13,75% e 14%, hoje foi para 14%. Os números são da Greenbay Investimentos.

Juros: Taxas sobem com risco fiscal, leitura ruim do IPCA-15 e Treasuries
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (5)
Marcelo de Aguiar
Marcelo de Aguiar 02.07.2022 19:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
nunca gostei desse indicador. fala uma língua totalmente diferente do IPCA mensal.
paulo fernandes
paulo fernandes 24.06.2022 21:38
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
a impressora ligada p comprar voto não poderia ter outro caminho...
Josue Maciel
Josue Maciel 24.06.2022 19:38
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
pandemia ... pandemia.... pandemia...
Cesar Capri
Cesar Capri 24.06.2022 19:20
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Sinal claro de stagflação, essa inflação não vai desaparecer magicamente como o BC imagina, não é problema alta na atividade, é desvalorização cambial e falta de matéria prima pra aumento na oferta. O BC foi na onda do mundo baixou juros na crise quando deveria ter mantido as taxas ou até elevado, o Brasil não tinha condições pra uma taxa tão baixa em 2020, aceleramos a economia num momento em que a produção caia, sem termos os estoques de insumos como os países mais desenvolvidos, o resultado é esse, o país roendo osso.
Bruno Vieira
Bruno Vieira 24.06.2022 19:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Deveriam começar a reduzir o juros, a onda de inflação está iniciando seu recuo!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail