Garanta 40% de desconto
🚨 Os mercados estão em baixa. Descubra ações subvalorizadasDescubra ações agora mesmo

AMER3: 4 cenários para o futuro de Americanas

Publicado 17.01.2023, 14:04
Atualizado 09.07.2023, 07:32

A Americanas (AMER3) é uma varejista brasileira que surfou muito bem a onda de compras online na pandemia.

No entanto, com o fim da pandemia, as pessoas voltando a comprar na rua, os juros subindo forte e a economia desacelerando, AMER3 sofreu grandes perdas junto ao restante do varejo.

As ações, que já haviam caído -90% desde as máximas, caem mais -77% em 1 dia
Fonte: Bloomberg

Recentemente, a companhia se envolveu em uma reestruturação societária ruidosa (incorporação da B2W, BTOW3) e teve que voltar atrás em seus planos, mas vamos deixar essa história para depois.

No dia 11 de janeiro, o novo CEO da companhia, Sergio Rial (que havia assumido fazia 9 dias), anunciou que o balanço da companhia não considerava dívidas bancárias no valor de R$ 20 bilhões.

Os erros contábeis aconteceram por mais de 7 anos. O novo CEO e o novo diretor financeiro renunciam com efeito imediato.

As ações, que já haviam caído -90% desde as máximas, caem mais -77% em 1 dia.

O furo no balanço

O anúncio espalha perdas nas ações, em fundos de renda fixa que possuíam debêntures de AMER, e coloca o grupo 3G, controladores da companhia e empresários mais ricos do Brasil nos holofotes.

Outras controladas do grupo (a ALL aqui no Brasil e a Heinz no exterior) já haviam se envolvido em problemas inflando resultados em seus balanços.

Basicamente, a AMER não contabilizou pagamentos que os bancos faziam a seus fornecedores (risco sacado) nem contabilizou os juros pagos nesses empréstimos.

Dessa forma, sua dívida é R$ 20 bilhões maior do que consta no balanço (o dobro), e de seus lucros passados (e patrimônio líquido) deverão ser deduzidos os juros (lucros menores).

Os auditores, CVM, fiscalizadores e reguladores, como sempre, foram pegos dormindo em serviço.

Os bancos credores

Os empréstimos para a Americanas estão nos balanços de todos os bancos brasileiros que exigem do grupo controlador responsabilidade e injeção de, pelo menos, R$ 10 bilhões na varejista.

Bradesco, Santander e Itaú estão entre os três principais credores), com R$ 4,7 bilhões, R$ 3,7 bilhões e R$ 3,4 bilhões a receber
Bradesco (BVMF:BBDC4), Santander (BVMF:SANB11) e Itaú (BVMF:ITUB4) são os bancos mais expostos a Americanas. Fonte: Reprodução/ Valor Econômico

De qualquer modo, a empresa conseguiu uma liminar de 30 dias para planejar uma recuperação judicial (RJ) e se proteger dos pedidos de confisco de ativos pelos bancos.

Os bancos ficaram loucos e o BTG (BPAC11) entrou na Justiça com uma carta extremamente dura em cima do risco de imagem do grupo controlador 3G.

Afinal, o grupo 3G tem ativos de R$ 180 bilhões e uma enorme reputação (bastante manchada) a zelar.

Vale a pena comprar AMER3?

Entendida a história, vamos ao que interessa: AMER3 é oportunidade?

Hoje, vejo 4 cenários bastante prováveis para a companhia:

  1. Salva pelos controladores (3G)
  2. Vendida para competidor
  3. Recuperação Judicial (RJ)
  4. Falência

Vamos fazer algumas contas de padaria e tentar avaliar cada um desses cenários, começando pelo fim.

4. Falência

Acho improvável que a empresa simplesmente pare de operar.

É um risco reputacional enorme para os multibilionários do 3G, que serão processados de todas as formas, por todos os bancos, e possuem muitos outros negócios para zelar.

Contudo, sem injeção de capital pelos controladores e sem uma rolagem das dívidas pelos bancos, a Americanas simplesmente não teria dinheiro para continuar operando.

Se Lojas Americanas (BVMF:LAME4) não conseguir pedir recuperação judicial, ela simplesmente fecharia as portas.

Nesse caso, as ações não valem nada (AMER3 vale zero).

3. Recuperação Judicial

É provável uma RJ de Americanas.

AMER pode pedir ao juiz que proteja a companhia e seus funcionários dos bancos (uma RJ). A companhia teria que submeter ao juiz um plano de arrumação e poderia negociar a redução de suas dívidas para um patamar que conseguisse pagar.

Esse processo demoraria anos e as negociações entre acionistas e credores seriam tensas, mas AMER nunca pararia de operar. Ao final, normalmente, os credores ficam com um pedaço das ações da empresa e os acionistas são diluídos.

Acho menos provável esse cenário, pois os bancos foram enganados por números contábeis fictícios e exigem que os controladores injetem R$ 10 bilhões em AMER (o grupo 3G está disposto a injetar R$ 6 bi).

Sem mais dinheiro, os bancos judicializariam tudo o que podem, processando a empresa, o grupo 3G, os funcionários na física, auditores…

Se AMER3 entra em RJ, teríamos que entender qual seria a diluição dos acionistas no processo para entender o valor das ações de AMER3.

Em RJ, AMER3 teria um valor reduzido, apenas centavos, bem abaixo do valor atual, mas ainda teria algum valor.

2. Vendida para competidor

Vejo uma probabilidade alta de absorção da empresa. O grande problema do varejo no Brasil é a competição: muitas empresas disputam poucos consumidores.

A absorção de AMER por um competidor poderia resolver diversos problemas de uma só vez. Os bancos podem reaver seu dinheiro, o grupo controlador se vê sem um problema e as varejistas, com menos competição, podem lucrar mais.

O problema é a dívida de quase R$ 40 bilhões – Magalu (MGLU3) tem dívida líquida de R$ 9 bi, Via VIIA3) R$ 12 bi, Mercado Livre (NASDAQ:MELI) (BVMF:MELI34) de R$ 10 bi.

A gigante Amazon (BVMF:AMZO34)(NASDAQ:AMZN) teria balanço de sobra para comprar a Americanas, entretanto, mais um competidor entrando forte não teria o efeito positivo de reduzir a competição.

Imagino que, para ser vendida para um competidor, ou mesmo desmembrada e vendida, AMER precisaria de uma injeção de capital pelo 3G e mais uma "ajudinha" dos bancos.

E, dado o tamanho da dívida, provavelmente, as ações de AMER3 seriam absorvidas a um valor simbólico – abaixo dos 1,94 que negociam atualmente.

1. Salva pelos controladores (3G)

Dado o risco de imagem dos multibilionários após os problemas no balanço, imagino que essa seja a saída mais provável para AMER3.

Vamos fazer algumas contas de padaria. Hoje, com Ebitda de 3 bi (considerando que esteja correto), AMER conseguiria carregar 10 bi de dívidas (ex dívida líquida/Ebitda) de forma "saudável" em seu balanço (hoje a dívida líquida/Ebitda é alta em 5x).

Atualmente AMER3 tem 3 bi de  Ebitda e 43 m de lucro
Fonte: Bloomberg

Todavia, a dívida da varejista é de R$ 40 bi (R$ 20 bi no balanço e R$ 20 bi "fora"). O grupo 3G injetaria R$ 10 bi na empresa, mas é improvável conseguirem emitir mais 10 bi em ações – a empresa toda vale hoje R$ 2 bi na bolsa.

Atualmente o valor de mercado da Americanas é de R$ 1,8 bilhão
Fonte: Bloomberg

Os juros sobre a dívida "não contabilizada" de R$ 20 bi deveriam custar R$ 3 bi ao ano (com custo de 15% – que é baixo demais). Ou seja, a totalidade de seu Ebitda.

O maior lucro histórico de AMER foi de R$ 500 milhões, R$ 650 milhões antes dos impostos (30%). Mesmo com uma injeção de 10 bi pelo 3G, a dívida que sobra de 10bi fora do balanço custaria muito mais de 1,5 bi por ano em juros (15%).

Quer dizer, com 10 bi a mais em dívidas, AMER3 nunca teria dado lucro.

Quanto vale uma empresa problemática, que precisa de injeção de R$ 10 bi, está em renegociação com os bancos e nunca deu lucro em um setor com competição acirrada?

10 bi injetados e vendida

O problema de AMER3 é grande. Mesmo com a injeção de 10 bilhões de reais pelo 3G, a empresa ainda teria muita dificuldade em se manter "em pé".

Além disso, o Brasil está em um ambiente de juros altíssimos e economia desacelerando.

Com todas essas dificuldades, imagino que o grupo 3G injetará dinheiro na companhia e negociará com os bancos para vender as Lojas Americanas a algum competidor.

Claro, o comprador estará levando uma obrigação de dívida elevada demais, o valor das ações deverá ser bem reduzido. Simbólico.

Hoje, com as poucas informações que temos, negociada a R$ 1,94, AMER3 não parece uma enorme oportunidade.

Claro, muita água ainda vai passar embaixo dessa ponte. Um céu azul pode se abrir em meio à tempestade de AMER3.

Será interessantíssimo. Acompanhe conosco por aqui.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Últimos comentários

comprei um jogo de panela na Americanas pra ajudar. kkkkk
Mesmo caso das empresas X, do Eike Batista. Bem parecidos, os caras influentes conseguiram levar vantagem ao longo do tempo migrando seus negocios para outras atividades, secando a vaca até azedar o leite.
Ao que parece as Americanas estão enganando faz 20 anos. Devido a grande quantidade de pessoas poderosas envolvidas não vai dar nada, a empresa vai falir.
Froide agora faz parte da vida brasileira e creme compensa muito aqui no país da democracia ululante. Quem sabe o BNDES entra com a grana que falta para fechar a equação, já que o trio bilionário apoiou abertamente a lambança eleitoral feita no país para devolver o nine à cena do creme.
Golpe na contabilidade, fraude. Penso que cabe uma ação coletiva!
Vcs recomendam aguardar?
é, acho que não tem volta para americanas
kkkk apostou no cenário de menor probabilidade, os controladores injetarem dinheiro. Essa turma não é boba e sabe que a empresa já está completamente perdida em dívidas.
👇👏👏👏 A iniciativa privada é o céu, resolve tudo em matéria de economia. O mundo tá contaminado de mentira e enganação. Por conta disso, o poder público tem que fomentar educação para o povo.
Roubar um pedaço de carne no mercado é cadeia e borrachada, fraudar e cometer estelionato em 20 bi não dá nada... Ainda dizem: privatiza que a sacanagem acaba...piada
no País onde a korrupçaum e o creime compensam é nisso que dá. (sei muito bem o português mas tenho medo da cençura)
a soma da dívida com bancos não soma 20 bi! cadê o resto?
kd o bacen, cvm e crc contabilidader e auditorias?  cobram e nao fazem serviço. brincadeira. muda a mosca mas a merda é a mesma.
É possível um comprador pagar pela empresa, um preco por açåo menor que o atual negociado? Exemplo, ele assume direitos e obrigações da empresa e paga um real por açåo? Terão muitas AGEs, mas pode, porque acionista minoritário dificilmente aceitará isso.
Seria interessante ver a Amazon assumindo esse B.O., rsrs...
Esses analistas são tudo barata , mordem e assopra , um monte de enrolação pra falar no final q no momento não é confiável.
Mesbla, Mappin, Coroa Brastel, Casa Centro entre tantas outras também afundaram, mercado de varejo não tem patrimônio, fadados a falência!
Alguém ganhou muito nessa jogada! Tem que ver quem!
Conforme análise o mais certo e fazer doação da marca para os concorrentes kkk assumir a dívida porque não tem como corrente comprar uma dívida que a empresa não irá conseguir pagar
Enquanto isso os novinhos dando golpe pela internet. Um amigo veio disse um dia: faço muita coisa que os novinhos nao fazem. Kkk
Não sei se pode, mas se puder, The 9 Fingers vai salvar seus amiguinhos da 3G com o BNDES
ele q recomendou viia a 10 pratas?
O 3G tem obrigação de indenizar os investidores enganados pela FRAUDE CONTÁBIL.
E a responsabilidade do Miguel Gutierrez q ficou como Ceo 20anos?
CVM NAO VIU,PWC NAO VIU,NINGUEM VIU.PQP!
Ver como se contabilmente estava tudo ok
.Surfou muito bem a onda da pandemia. aham.. os 20bi estao ai pra provar isso.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.