Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Furacão ou Recessão: Qual é o Maior Problema ao Petróleo nos Próximos 2 Meses?

Por Investing.com (Barani Krishnan/Investing.com)Commodities02.07.2022 11:36
br.investing.com/analysis/furacao-ou-recessao-qual-e-o-maior-problema-ao-petroleo-nos-proximos-2-meses-200450489
Furacão ou Recessão: Qual é o Maior Problema ao Petróleo nos Próximos 2 Meses?
Por Investing.com (Barani Krishnan/Investing.com)   |  02.07.2022 11:36
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Os touros do Petróleo ainda podem estar fazendo caretas enquanto os ursos se alegram com a queda extraordinária de junho que levou à primeira perda mensal do WTI desde novembro.

Passando disso é a história maior do que pode acontecer nos próximos 30 a 60 dias: uma poderosa temporada de furacões no Atlântico que pode ser devastadora para a infraestrutura e fornecimento de energia na costa do Golfo dos EUA no México, e o início de uma recessão que pode em última análise, reduzir a demanda por tudo, incluindo petróleo.

Petróleo Diário
Petróleo Diário

Para os investidores em energia, não é realmente o caso de escolher um em detrimento do outro, mas ter que conviver com ambos – e descobrir o que pode ter um impacto duradouro maior nos preços.

A primeira é a temporada de tempestades, que começou oficialmente em 1º de junho com previsões de meteorologistas para um ano "acima do normal". Na quinta-feira, um “Potencial Ciclone Tropical Dois” estava atravessando o Mar do Caribe e espera-se que se fortaleça à medida que se aproxima da América Central.

“Os ciclones tropicais podem durar uma semana ou mais; portanto, pode haver mais de um ciclone por vez”, disse a Organização Meteorológica Mundial, com sede em Genebra.

A tempestade que atravessa o Caribe teve ventos máximos sustentados de 40 milhas por hora (mph) enquanto se movia para oeste a 21 mph cerca de 410 milhas a leste de Bluefields, Nicarágua, disse o Centro Nacional de Furacões em Miami.

A formação pode se tornar a tempestade tropical Bonnie ou um furacão antes e depois de cruzar a terra, alertou o centro.

Dois outros sistemas de furacões em potencial também estão sendo rastreados, com um no norte do Golfo do México com 30% de chance de desenvolvimento nos próximos dois dias e deve impactar o Texas. Uma área no Oceano Atlântico central tem 10% de chance de desenvolvimento nos próximos cinco dias, à medida que se move para o oeste-noroeste.

Enquanto os furacões vêm e vão a cada ano, qualquer tempestade em 2022 pode ter um impacto devastador na infraestrutura, oferta e preços de energia devido ao aperto já nos barris das sanções impostas à Rússia; a aparente incapacidade da Opep+ de produzir o que os países consumidores desejam e o shale dos EUA sendo mais lento do que nunca em retornar à sua glória de perfuração pré-pandemia.

LEIA MAIS - Petróleo: Cotas Mais Altas da Opep+ Não Vão Aumentar Produção de Petróleo

“Você não pode perder um único barril neste verão. Essa é a realidade”, disse John Kilduff, sócio fundador do fundo de hedge de energia de Nova York Again Capital. Adicionando:

“Quando cada uma dessas tempestades atingir o Golfo, não importa quão grande ou pequena, haverá paralisações, a produção será fechada e as plataformas serão evacuadas. Até as refinarias entrarão em um modo de desaceleração eventualmente para proteger suas plantas. Mas então, suas plantas podem ficar inundadas, o pessoal não pode entrar e eles perdem energia da rede e ficam offline. Será o pior cenário se algum tipo de grande furacão entrar na costa do Golfo dos EUA este ano.”

O colunista da Bloomberg Julian Lee observou que volumes recordes de petróleo e gás estavam sendo enviados de terminais na costa do Golfo dos EUA para compradores na Europa e na Ásia. Uma grande tempestade, ou uma sucessão de tempestades como vimos em 2005 ou 2008, colocaria esses fluxos em risco, talvez por várias semanas.

“Ventos fortes, marés altas e tempestades colocarão em risco as remessas para o exterior, espalhando o impacto de qualquer tempestade muito além das costas dos EUA”, disse Lee.

“As exportações de produtos brutos e refinados estão perto de 10 milhões de barris por dia.”

Kilduff concordou, dizendo que a infraestrutura energética dos EUA era “mais vulnerável do que em qualquer outro momento da história a tempestades”.

“Isso é por causa da situação global”, acrescentou.

“Nos anos anteriores, uma tempestade vem, mas não nos derruba do pedestal. Este ano, qualquer uma dessas tempestades pode derrubar o mercado global de petróleo”.

Igualmente incapacitante para o petróleo pode ser a recessão em evolução nos Estados Unidos.

O produto interno bruto dos EUA provavelmente contraiu cerca de 1% no segundo trimestre de 2022, disse o Federal Reserve de Atlanta nesta quinta-feira. Foi a primeira previsão oficial de recessão por uma divisão do banco central, após o declínio econômico de 1,6% no primeiro trimestre.

Economistas dizem que a narrativa da recessão pode ficar mais feia nos próximos 30 a 60 dias, à medida que o Federal Reserve continua apertando os parafusos nas taxas de juros dos EUA.

Enquanto os funcionários do banco central estão correndo para remover a liquidez o mais rápido possível do sistema financeiro para que os aumentos das taxas do Fed tenham um impacto máximo de neutralização na inflação - e o governo Biden se regozija por ter reduzido o déficit orçamentário dos EUA em mais de US$ 1 trilhão durante seu mandato — sempre há o perigo de deixar os mercados sem liquidez em uma súbita reviravolta dos acontecimentos.

Economistas dizem que os Estados Unidos podem estar testemunhando o início de um verdadeiro abalo econômico, apenas que está muito entorpecido para perceber por causa da milagrosa resiliência de seus consumidores isolados por dois anos de dinheiro de ajuda pandêmica; um mercado imobiliário ainda funcionando com aquela velha energia de estímulo e os mercados de ações muitas vezes voltando depois de alguns dias de liquidação.

Mas os consumidores dos EUA não serão super-heróis para sempre e a queda no abismo econômico pode vir mais rápido do que se pensava, alertam analistas.

Desde o início do ano, os preços das ações caíram cerca de 25%, os preços dos títulos caíram mais de 20% e o mercado de criptomoedas perdeu mais da metade de seu valor.

Isso envolveu a evaporação de cerca de US$ 15 trilhões, o que poderia fazer com que os consumidores reduzissem fortemente os gastos, disse Desmond Lachman, membro residente do American Enterprise Institute e ex-funcionário do Fundo Monetário Internacional.

Especialmente nos mercados de petróleo, “a perspectiva de uma recessão criou mais ações bilaterais de preços nas últimas semanas, impedindo quaisquer aumentos insustentáveis ​​no preço do petróleo [mesmo] quando a China reabriu” das paralisações do COVID, disse Craig Erlam, analista da online. plataforma de negociação OANDA.

Isenção de responsabilidade: Barani Krishnan usa uma variedade de pontos de vista fora do seu próprio para trazer diversidade à sua análise de qualquer mercado. Por neutralidade, ele às vezes apresenta visões contrárias e variáveis ​​de mercado. Ele não detém uma posição nas commodities e títulos sobre os quais escreve.

Furacão ou Recessão: Qual é o Maior Problema ao Petróleo nos Próximos 2 Meses?
 

Artigos Relacionados

Arnaldo Luiz Corrêa
Açúcar: João Bobo Por Arnaldo Luiz Corrêa - 12.08.2022 1

O mercado futuro de açúcar em NY encerrou a semana com o vencimento outubro/22 cotado a 18.65 centavos de dólar por libra-peso, uma recuperação de 71 pontos em relação à semana...

Furacão ou Recessão: Qual é o Maior Problema ao Petróleo nos Próximos 2 Meses?

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Nelson Sousa
Nelson Sousa 02.07.2022 15:34
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Nem recessao e nem furacao. O pior problema para o preco do petroleo continua sendo os f.d.p da esquerda mundial que está criando todo esse caos justamente para tirar o mundo do eixo e poder domina-lo!
Hugo Vinicius
Hugo Vinicius 02.07.2022 15:34
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A síndrome de perseguição kkkkkkk O bicho papão comunista tá vindo aí pra te pegar, velhote
Hailton Barros
Hailton Barros 02.07.2022 15:34
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Pior problema é idiota dando palpite naquilo que não entende e não participa. Volte ao seu capim.
Leo Fernandes
Leo Fernandes 02.07.2022 15:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Petróleo vai a 300 dólares o barril. Só o Putin reduzir a produção. Vai dar naquilo que vcs tanto festejame torcem, ou seja, o caos. Parabéns pela torcida.
Hailton Barros
Hailton Barros 02.07.2022 15:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Outro idiota falando sobre o que não entende e não participa.
Leo Fernandes
Leo Fernandes 02.07.2022 15:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
E outro idiota querendo se achar o todo sabichão. Vai estudar um pouco mais seu otário. Zé Mané.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail