x
Últimas Notícias
0

Semana Deve Apresentar a Continuidade do Otimismo para as Bolsas e Real

br.investing.com/analysis/semana-deve-apresentar-a-continuidade-do-otimismo-para-as-bolsas-e-real-200196221
Semana Deve Apresentar a Continuidade do Otimismo para as Bolsas e Real
Por Pedro Paulo Silveira   |  17.07.2017 10:15
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Mercados Globais

A divulgação do PIB chinês do segundo trimestre não deu margem aos pessimistas nesse início de semana. A China cresceu 6,9%, ante uma expectativa de 6,8% e mostrou vigor no consumo das famílias, coisa que vinha deixando a desejar. Veja o gráfico das taxas de crescimento trimestrais anualizadas:

PIB da China
PIB da China

O crescimento de 6,9% no trimestre veio junto com uma produção industrial de 7,6% e varejo de 11% em junho. Os ativos fixos, das empresa e famílias, expandiram-se em 8,6% no primeiro semestre. Os dados, portanto, mostram a economia chinesa, que hoje tem um PIB de quase US$ 11 trilhões, vigorosa, auxiliada pelas políticas de estímulo levadas a cabo pelo presidente Xi Jinping.

Na semana saem os resultados de empresas importantes com destaque para: Bank of America, Johnson & Johnson(NYSE:JNJ), Goldman Sachs, IBM, Morgan Stanley), Visa, Qualquomm, Microsoft, eBay, GE e Unilever(Londres). A expectativa apurada pela Bloomberg junto aos analistas dos EUA é que os lucros cresçam 7% em média para as empresas do S&P500. Ainda que seja uma queda em relação ao crescimento do trimestre anterior, que foi de 13,2%, essa taxa assegura um ambiente extremamente otimista para os negócios.

As empresas de energia, setor no qual se destacam as empresas de petróleo, devem apresentar um aumento dos lucros de 661%, segundo a Reuters. O setor de “utilities”, no qual estão as concessionárias, deve ter contração de 2,8%. Esse perfil de crescimento dos lucros revela a importância da recuperação dos preços do petróleo sobre o setor corporativo dos EUA. De qualquer forma, uma expansão dos lucros a essa taxa assegura uma perspectiva otimista para os mercados, que já vêm batendo recordes de valor.

Nessa madrugada o recorde foi para a bolsa de Seul, que teve o índice KOSPI a 2.4209 pontos, o mais alto da história e a Samsung bateu US$ 326 bilhões de valor de mercado, em decorrência de seu forte resultado trimestral. Ao longo da semana o Banco Central Europeu e o Banco do Japão terão suas reuniões de política monetária e as negociações do BREXIT terão sua segunda rodada em Bruxelas.

A depender de cenário inicial, devemos ver as bolsas batendo novos recordes, o dólar continuar se desvalorizando, as commodities em alta e juros bastante moderados.

Brasil

Com todo esse cenário otimista no setor externo, é provável que os ativos brasileiros continuem se valorizando, por conta dos juros internacionais baixos, do otimismo em relação ao comportamento da economia global e das bolsas. O dólar deve continuar em queda em relação ao real, a menos que o Banco Central adote uma postura diferente em relação à rolagem dos swaps. A tendência de apreciação do real é reforçada pela queda de percepção de risco em relação ao risco país e pelo comportamento benéfico da inflação, que continua a cair e assegurar uma perspectiva de queda. O BC apurou uma queda da inflação esperada para julho, de 0,19% para 0,17% e de 3,38% para 3,29% no ano, veja a tabela:

Relatório Focus
Relatório Focus

Para a inflação, além do relatório do BC, a semana começou com a FGV divulgando dois índices de negativos: o IPC-S, índice semanal de inflação ao consumidor e o IGP-10, que mede a inflação entre os dias 10 de cada mês. Veja a tabela abaixo:

IGP-10
IGP-10

Note que os preços ao atacado, medidos pelo IPA, caíram 0,84% e indicam que o o varejo ainda vai ficar sem pressão nas próximas semanas. O IPC-S caiu 0,05% na segunda semana de julho, após ter caído 0,18% na primeira. Em reação a esse cenário positivo, as taxas de juros de para 2021 continuam a cair e bateram 9,69% a.a., depois de fecharem a 9,71% na sexta feira.

O único sinal negativo que ainda permanece no senário da semana é a possibilidade das delações de Eduardo Cunha e Lúcio Funaro serem protocoladas e implicarem a base do governo ou, no pior cenário, o próprio presidente Temer.

A semana deve apresentar a continuidade do otimismo para as bolsas, juros e para o real.

Semana Deve Apresentar a Continuidade do Otimismo para as Bolsas e Real
 

Artigos Relacionados

Semana Deve Apresentar a Continuidade do Otimismo para as Bolsas e Real

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material  relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias ou ataques pessoais dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de registro no futuro, a critério Investing.com.

 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Escreva o que você pensa aqui
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
Postar
Postar também no :
1000
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários
17.07.2017 20:09 GMT
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ote que os preços ao atacado, medidos pelo IPA, caíram 0,84% e indicam que o o varejo ainda vai ficar sem pressão nas próximas semanas. O IPC-S caiu 0,05% na segunda semana de julho, após ter caído 0,18% na primeira. Em reação a esse cenário positivo, como taxas de juros de para 2021 continuam a cair e bateram 9,69% a.a., depois de fecharem a 9,71% na sexta feira. O único sinal negativo que ainda permanece no senário da semana é uma possibilidade das delações de Eduardo Cunha e Lúcio Funaro são protocoladas e implicarem uma base do governo, nenhum cenário pior, o próprio presidente Temer. A semana deve apresentar uma continuidade do otimismo para as bolsas, juros e para o real.
Responder
0 0
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
Postar 1000
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
 
 
 
Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Anexar um gráfico a um comentário
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Registrar-se com Google
ou
Registrar-se com o e-mail