📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Brasil deve ter bandeira verde para energia também em 2024, projeta diretor da Aneel

Publicado 30.03.2023, 16:53
© Reuters. Linhas de transmissão de energia em Brasília (DF) 
29/08/2018
REUTERS/Ueslei Marcelino

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A bandeira verde na conta de energia, que isenta consumidores de taxa extra, pode se estender ao longo de 2024 diante do cenário hidrológico confortável, que elevou substancialmente o nível dos reservatórios das hidrelétricas, principal fonte de geração de eletricidade do país, disse o diretor da agência reguladora Aneel Hélvio Guerra.

Ele também apontou a ampliação da oferta de energia neste ano, especialmente renovável, como fator para a manutenção da bandeira verde, que deve continuar durante todo o ano de 2023.

Em entrevista à Reuters nesta semana, o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Carlos Ciocchi, afirmou que todas as condições atuais apontam para que não haja cobrança adicional na conta de energia dos brasileiros neste ano.

"O ONS conhece bem esse ambiente, e o ambiente é confortável para 2023 e 2024. Estamos com todos os reservatórios cheios e continua chovendo, o que nos dá esse conforto", disse Guerra, à Reuters.

Mais de 60% da energia elétrica gerada no Brasil vem de hidrelétricas.

"Se tudo funcionar adequadamente, teremos bandeira verde até o fim do ano e, possivelmente, ainda no ano de 2024", adicionou o diretor da autarquia.

A previsão é de que os reservatórios das hidrelétricas cheguem ao final do período úmido, em abril, nos melhores níveis de armazenamento desde 2007.

No Sudeste e Centro-Oeste, onde estão as hidrelétricas com os maiores lagos, a capacidade dos reservatórios deve bater 85% no fim de março, segundo o ONS.

As estimativas para o período seco, a partir de abril, também são positivas, com possibilidade de o estoque da água das represas atingir em agosto o melhor patamar em 16 anos, segundo o ONS.

A chegada de um novo período chuvoso, em novembro deste ano, contribuiria para uma travessia tranquila de 2023 para 2024.

Durante a crise hídrica de 2021, a bandeira vermelha foi acionada diversas vezes, e os valores da cobrança adicional na conta de luz também foram ajustados.

O governo criou ainda uma bandeira especial, chamada à época de bandeira de escassez hídrica, para cobrir custos adicionais com o acionamento de usinas térmicas mais caras para garantir o fornecimento de energia.

Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre acréscimos que variam de 2,989 reais a 9,795 reais a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Quando a bandeira de escassez hídrica vigorou, de setembro de 2021 a 15 de abril de 2022, o consumidor pagava 14,20 reais extras a cada 100 kWh.

A perspectiva agora é de que não haja despacho dessas térmicas mais caras, sendo acionadas apenas aquelas consideradas inflexíveis, disse o diretor da Aneel

Maior oferta

Além de condições hidrológicas favoráveis, o diretor da Aneel destacou que este ano haverá um incremento na oferta de geração renovável.

© Reuters. Linhas de transmissão de energia em Brasília (DF) 
29/08/2018
REUTERS/Ueslei Marcelino

"Temos mais de 20 gigawatts em eólicas no país, temos mais entrando e quantidade alta de fotovoltaica e geração distribuída, que já representa cerca de 9% nossa matriz", declarou Guerra.

A geração eólica já tem uma capacidade instalada no país de aproximadamente 25,6 gigawatts, enquanto que a fonte solar possui um parque de 27 gigawatts (somando geração própria e distribuída).

Segundo a associação Absolar, somente em 2023 devem ser adicionados 10,1 GW em geração solar no país, sendo 5,5 GW de geração distribuída (em telhados e pequenos terrenos).

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.