Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Câmara aprova urgência de proposta de reforma tributária do IR

Publicado 04.08.2021, 16:18
Atualizado 05.08.2021, 10:41
© Reuters.  Câmara aprova urgência de proposta de reforma tributária do IR

A Câmara dos Deputados aprovou requerimento de urgência para a proposta de reforma tributária do Imposto de Renda por 278 votos a 158. Isso permite que a proposta fure a fila e possa ser pautada em plenário imediatamente. De acordo com o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), o texto deve ser votado na próxima semana. Para amanhã, 5, a previsão é votar o projeto de lei que permite a privatização dos Correios.

Também na semana que vem, segundo Barros, a Câmara deve votar a Medida Provisória 1045, que cria o programa emergencial para estimular empregos de jovens e informais. A MP precisa ser aprovada na Câmara e no Senado até 7 de setembro para que não perca validade.

O dispositivo que prevê o financiamento de novos programas do governo de estímulo ao emprego e qualificação de jovens e informais com 30% dos recursos do Sistema S deve sair do texto da medida provisória que está na pauta de votação da Câmara.

O novo ministro do Emprego e Trabalho, Onyx Lorenzoni, entrou em campo e está conversando, nos últimos dias, com todos os presidentes da confederações empresariais dos diversos setores que têm sob seu guarda-chuva as entidades do Sistema S para buscar um acordo, depois do desgaste com a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, que defendeu uma "facada" nos recursos do Sistema S para bancar o pacote de emprego.

A MP foi editada para renovar o programa que permite às empresas o corte de salários e jornada de trabalho e suspensão de contratos durante a pandemia, mas o relator, deputado Christino Áureo (Progressistas-RJ), incluiu no seu parecer a criação de dois benefícios: o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), de R$ 275, que seria pago pelo Sistema S, e a Bolsa de Incentivo à Qualificação (BIQ), pago pela empresa no valor de R$ 275. Uma bolsa que poderia garantir R$ 550 na mão do trabalhador.

O parecer do relator não tem a forma de financiamento, mas continua com a previsão de criação dos programas. O ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, tem discutido com os dirigentes das confederações um arranjo que tenha a participação do Sistema S, mas sem que esteja na MP. O parecer já previa recursos do Orçamento para os programas de 2021, além da possibilidade de complementação com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que banca o seguro-desemprego e o abono salarial, e do Fundo de Erradicação da Pobreza.

Em discurso no plenário, Barros deu a entender que mais detalhes sobre esse bônus poderão integrar a Medida Provisória que vai reformular o Bolsa Família, que passará a se chamar Auxílio Brasil. "O novo programa será chamado de Auxílio Brasil, programa com 50% a mais de valor que o Bolsa Família", disse.

Barros disse ainda que o programa vai exigir mais do que a presença dos alunos em escola, mas também o desempenho escolar e incentivar atividades esportivas. "(Programa) Que vai dar a bolsa e a qualificação feita pelo Sistema S, que vai qualificar esses jovens e dar bolsa a eles, ajudando o empresário, pagando meio a meio a bolsa desse jovem, para que ele adentre o mercado de trabalho, para que ele aprenda uma profissão, para que ele esteja pronto para quando atingir a idade produtiva estar apto a um emprego de carteira assinada."

O líder do governo na Câmara disse ainda acreditar que "a pandemia está acabando" e afirmou que o presidente Jair Bolsonaro garantiu o acesso de vacinas aos brasileiros. Ele mencionou que toda a população adulta deve receber a primeira dose até setembro.

Sobre o senador Ciro Nogueira (PP-PI), que assumiu hoje o cargo de ministro da Casa Civil, Barros disse que isso é um sinal de prestígio ao Piauí e o Nordeste e afirmou que sua nomeação é um passo na direção da boa política, do diálogo e da consolidação dos valores democráticos.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.