Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Alta de juros longos nos EUA demanda cuidado, mas há muito tempo até próximo Copom, diz Galípolo

Publicado 15.08.2023, 10:37
Atualizado 15.08.2023, 11:36
© Reuters. Sede do Banco Central, em Brasília
14/02/2023
REUTERS/Adriano Machado

SÃO PAULO (Reuters) - O diretor de Política Monetária do Banco Central, Gabriel Galípolo, afirmou nesta terça-feira que o cenário de elevação das taxas de juros com prazos mais longos nos Estados Unidos, verificado mais recentemente, demanda cuidado para países emergentes como o Brasil.

Ao mesmo tempo, ele pontuou que existe "muito tempo" até a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

Em participação por videoconferência em evento do Conselho Federal de Economia, Galípolo pontuou que, após o Comitê de Política Monetária (Copom) ter cortado no início de agosto a taxa básica Selic em 0,50 ponto percentual, para 13,25% ao ano, houve uma "perturbação" sobre as taxas de longo prazo nos EUA.

"Sabemos que cenários de elevação de taxas de juros mais longas nos EUA demandam cuidado para países emergentes", afirmou Galípolo. "Mas o Brasil tem hoje boa aceitação no cenário internacional", acrescentou.

O diretor do BC citou dois fatores que justificam a "simpatia" atual que o Brasil detém entre os investidores internacionais. Em primeiro lugar, conforme Galípolo, há um nível "elevado" da reservas internacionais que "diferem (o Brasil) da situação de outros países emergentes".

Em segundo lugar, conforme o diretor do BC, o Brasil tem hoje a possibilidade de ser protagonista na transição ecológica, o que favorece a atração de investimentos internacionais.

Durante o evento, Galípolo também foi questionado por jornalistas sobre os últimos dados de inflação e sobre o futuro da política monetária. Em suas respostas, o diretor evitou passar indicações que destoassem das mensagens oficiais mais recentes do Copom.

"Acho que é normal que existam especulações (sobre futuro da Selic)", pontuou Galípolo. "Existe muito tempo até a próxima reunião do Copom e vamos estar analisando como estarão as expectativas, o cenário internacional", citou o diretor. O próximo encontro do colegiado corre em 19 e 20 de setembro.

Durante o evento, Galípolo também procurou, em vários momentos, reforçar que as decisões do Copom sobre a Selic são técnicas, e não políticas. Para ele, o fato de a definição dos juros ser feita por nove dirigentes do BC, com base em dados de diferentes áreas da autarquia, demonstra que não há um "modelo único" para as decisões.

© Reuters. Sede do Banco Central, em Brasília
14/02/2023
REUTERS/Adriano Machado

O diretor disse ainda que a ata do último encontro teve a "coragem e transparência" de explicitar o debate entre os membros do Copom. Na ocasião, cinco deles votaram pelo corte de 0,50 ponto percentual da Selic, enquanto quatro defenderam uma redução de 0,25 ponto.

Em sua fala, Galípolo também defendeu que o projeto do novo arcabouço fiscal, atualmente em tramitação no Congresso, reflete uma conjunção das forças políticas eleitas no Executivo e no Legislativo, e não uma visão única sobre o que deve ser feito na economia.

(Por Fabrício de Castro)

Últimos comentários

espera esse aumento de combustível mostrar os frutos na inflação... próxima reunião do copom vai ser diferenciada...
Ate p indicado do Lula-rapio entendeu q é preciso cautela na baixa dos juros.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.